Ícone do site Don't Forget to Be Awesome

Função Inferior: Sentimento Extrovertido (Fe) – ISTP/INTP

Anúncios

Vou aproveitar que compartilharam uma página que achei muito boa e fazer os posts das 8 funções como inferiores. Traduzirei e adaptarei na íntegra, então se quiserem ver o original que merece todos os créditos esse é o link: MBTI

A função inferior é a mais difícil de entender e descrever. Ele incorpora a parte de nós da qual aceitamos menos. Embora muitas vezes não estejamos conscientes de suas atividades, seria impreciso descrever a função inferior como “fraca”, porque todas as nossas funções principais são poderosas à sua maneira. O poder e a força da função inferior, na verdade, vem da suposição equivocada de que ele não tem poder. Subestimamos a função inferior e por isso corremos vários riscos.

Para quem não sabe quais funções tem cada tipo, segue a tabela:

Tipo NickName Funções
ESFJ Cônsul/Provedor Fe, Si, Ne, Ti
ESFP Animador/Performer Se, Fi, Te, Ni
ESTP Empreendedor/Promotor Se, Ti, Fe, Ni
ESTJ Executivo/Supervisor Te, Si, Ne, Fi
ENTP Debatedor/Inventor Ne, Ti, Fe, Si
ENTJ Comandante/Marechal Te, Ni, Se, Fi
ENFJ Protagonista/Professor Fe, Ni, Se, Ti
ENFP Ativista/Promotor Ne, Fi, Te, Si
ISTJ Logístico/Inspetor Si, Te, Fi, Ne
ISTP Virtuoso/Artesão Ti, Se, Ni, Fe
ISFJ Defensor/Protetor Si, Fe, Ti, Ne
ISFP Aventureiro/Compositor Fi, Se, Ni, Te
INTJ Arquiteto/Mastermind Ni, Te, Fi, Se
INTP Logicista/Arquiteto Ti, Ne, Si, Fe
INFP Mediador/Curandeiro Fi, Ne, Si, Te
INFJ Advogado/Conselheiro Ni, Fe, Ti, Se

O Papel da Função Inferior

À medida que você desenvolve, é natural tornar-se mais dependente da função dominante e reprimir de forma involuntária a função inferior, a fim de conferir à função dominante um controle tão consciente quanto possível da vida. No entanto, a função dominante não pode lidar com a realidade por conta própria sem se sentir cada vez mais exaurida à medida que você a usa até o limite, ao mesmo tempo em que prefere ignorar suas fraquezas. À medida que você suprime mais fortemente a função inferior e resiste à sua perspectiva das coisas, sentira-se gradualmente reprimido e sua energia reprimida começará a “escorrer” para sua mente consciente sob a forma de impulsos ou compulsões inexplicáveis, especialmente quando se sente frustrado ou emocionalmente vulnerável.

Quando você depende muito da função dominante por longos períodos de tempo, as funções abaixo não podem funcionar de forma saudável, e a função inferior permanece profundamente submersa na mente inconsciente, enquanto você continua reprimindo essa perspectiva em favor da função dominante.

À medida que a função dominante vai sendo empurrada para além das suas capacidades, você se sentirá cada vez mais estressado porque haverá muitos problemas na vida com os quais você não pode lidar com uma perspectiva tão estreita e limitada.

Quando o estresse da vida esgota seu foco e energia mental até chegar á níveis críticos, a função dominante irá chegar à um ponto de desgaste tão grande e pode fazer com que você perca o controle de si mesmo, e isso permite que os impulsos primitivos da função inferior emerjam do inconsciente e os levem á sua mente consciente, também conhecido como “estar nas garras” (In The Grip) de sua função inferior.

O grau de reatividade da função inferior estará relacionado à força com a qual você reprime suas atividades. Como a visão da função inferior do mundo é oposta da qual você está acostumado, você irá inconscientemente resistir a essa perspectiva, mesmo que inunde sua consciência. Isso resulta em uma visão distorcida da realidade e os pontos fracos ou destrutivos dessa função se manifestarão.

Ao liberar a energia reprimida da função inferior, você pode encontrar algum alívio temporário do estresse; No entanto, os comportamentos extremos e fora de equilíbrio ou destrutivos que surgem geralmente podem exacerbar os problemas que estavam causando o estresse, que potencialmente podem criar um padrão negativo de comportamento destrutivo.

De acordo com a teoria das funções cognitivas, a psique é um mecanismo de auto-equilíbrio. Quando a função inferior entra em erupção, está lhe enviando uma mensagem informando que sua psique está fora de equilíbrio porque você está dirigindo a maior parte de sua energia mental para a função dominante.

Isso significa que há um lado positivo nessa manifestação da função inferior em termos de nos dizer onde precisamos crescer e melhorar para reequilibrar a nós mesmos. Aprender a usar a função inferior apropriadamente recalibra a distribuição de energia para que sua psique possa estabelecer um melhor equilíbrio.

Portanto, em vez de reprimir a função inferior, devemos gradualmente aprender a estar mais conscientes dela e menos resistentes á ela. Embora você não possa usar a função inferior como abordagem principal da vida como uma função dominante, você pode aprender a respeitá-la pela sua força e poder.

À medida que você entende o valor da função inferior e as vantagens que ela pode lhe proporcionar na vida cotidiana, seu poder de perturbar sua mente consciente desaparecerá gradualmente. Você ganhará uma nova perspectiva para entender a vida, o que levará a comportamentos mais adaptativos e efetivos.

Fe inferior

Ti-doms pode usar Fe conscientemente para tarefas que requerem atenção à manutenção de relacionamentos. Por exemplo, ao formar uma amizade, é preciso saber quando expressar gratidão ou apreciação para manter o interesse da outra pessoa. No entanto, uma vez que Fe é a força adversa para Ti, Ti é muito propenso a suprimir e reprimir Fe e a não entender sua natureza fundamental. Enquanto Ti-doms pode usar Fe de maneiras muito simplistas, eles não podem entender como usar Fe como “abordagem principal da vida” como uma função dominante, e aí está a principal fonte de conflito psicológico.

Ti se concentra em sua própria análise desapaixonada; Ele quer dissecar como as coisas funcionam para entender como navegar uma situação da maneira mais precisa, autossuficiente e efetiva. Quando os Ti-Doms dependem muito do Ti, eles se identificarão com as atividades de Ti, usando seu próprio conhecimento ou modelo do mundo para construir a base de sua identidade.

Por isso, Ti se sentirá continuamente ameaçada pela perspectiva de Fe porque Fe tem o potencial de perturbar ou quebrar a imagem do ego. Fe está focada em manter relacionamentos e harmonia social através da adoção voluntária de valores sociais coletivos e obrigações mútuas.

Mas Ti tende a interpretar erroneamente Fe como restritiva, fraca, excessiva, incompetente ou até mesmo lavagem cerebral ao tentar seguir a multidão. Em última análise, Ti rejeita vigorosamente a perspectiva de Fe porque teme que obrigações e responsabilidades sociais restritivas neguem a possibilidade de independência e autossuficiência e, sem independência existencial, se torna mais um da manada que pode ser manipulado. Assim, os Ti-doms não saudáveis ​​ou imaturos fazem o possível para rejeitar Fe, a fim de proteger sua imagem do ego como um “pensador crítico independente ou imparcial”.

No entanto, quando Ti-doms depende muito de Ti e suprimem Fe, eles desenvolverão uma visão excessivamente subjetiva e solipsista do mundo. Em vez de usar Fe de forma adequada, Ti usará Fe para confirmar seus próprios julgamentos críticos e estreitos de outras pessoas.

Em outras palavras, Ti-doms desenvolverão uma tendência mal adaptada para interpretar os fatores sociais, por exemplo, eles podem descartar os valores sociais como sem importância e, em seguida, mal interpretar as situações sociais, ou podem ficar presos entre esperar demais ou muito pouco dos outros, às vezes mesmo tratando as pessoas como intercambiáveis.

Quando Ti não está funcionando de maneira saudável, Ti-doms serão mais propensos a atuar de forma insensível ou insegura nos relacionamentos e isso levará a um acúmulo de sentimentos de incompetência, solidão ou alienação, especialmente quando eles são incapazes de manter saudáveis ​​relações longas ou conectar-se com os outros de forma significativa.

Nenhuma função pode ser totalmente suprimida, de modo que o Fe inferior vazará na consciência de maneiras estranhas.

Fe saudável deseja uma conexão íntima com os outros e sente-se completamente à vontade para ver a realidade de alguém como estruturada em grande parte por influências e obrigações sociais. Isso pode criar uma sensação subjacente de inquietação ou negação em Ti-doms porque Ti requer fundamentalmente a liberdade de compreender a realidade de uma perspectiva imparcial e individualista.

Assim, quando Ti se aprofunda, Ti-doms podem apresentar tentativas um tanto desesperadas de recuar diante das estruturas / influências sociais como forma de reforçar sua própria independência e se defender contra a natureza exigente e consumidora do Fe.

Por exemplo, eles podem:

No entanto, isso significa que Ti não entendeu a verdadeira fonte de seu próprio desconforto e, portanto, o conflito subjacente permanece sem solução. Ti vê Fe como o “inimigo” e não como uma parte importante e útil de sua própria psique.

Quanto mais tempo este conflito entre Ti e Fe continua, maior a probabilidade de sucumbir à experiência “In the Grip”. Ti pode tentar resistir a uma experiência In the Grip projetando suas próprias dificuldades externamente para outros.

Não querendo voltar um olhar crítico sobre si mesmo, Ti pode culpar os outros pelo seu próprio fracasso em se envolver com Fe, por exemplo, julgando que outras pessoas são tão “irracionais” ou “exigentes” e / ou criticam as atividades sociais como sendo muito exaustivas ou complicadas.

Por um lado, Ti-doms anseiam conexão com o mundo de Fe e inconscientemente desejam ter a graça social e o apoio social dos melhores Fe-Doms; Por outro lado, eles se ressentem por esse desejo e depois se retiram defensivamente, criando um muro inconsciente e impenetrável entre eles e quaisquer influências emocionais, ignorando o problema real.

Quanto mais eles resistem à atração de se integrar completamente com o mundo social, mais eles se sentirão limitados e restringidos por uma sensação de obrigações sociais crescentes.

Episódios In the Grip em Ti-doms pode ser desencadeados emocionalmente de várias maneiras, como:

Quando eles se tornam estressados ​​e mentalmente cansados ​​até o ponto em que Ti não pode mais manter seu domínio, os impulsos de Fe não saudáveis ​​irão finalmente entrar em erupção do inconsciente, levando Ti-doms a se renderem ao Fe de maneira negativa ou destrutiva.

As maneiras pelas quais esses impulsos psicológicos se manifestam comportamentalmente são muitas vezes únicas para o indivíduo e as circunstâncias.

A fronteira geralmente clara entre o eu e os outros torna-se desfocada, pois eles recebem muita informação de outras pessoas, facilmente subjugados pelas emoções e então incapazes de se impedir de expressar sua própria turbulência interna externamente.

Eles podem:

A fim de evitar adequadamente uma experiência In the Grip, é essencial que Ti-doms aprendam o valor real da perspectiva do Fe e as vantagens que pode conferir. Para Ti-doms, emergir com sucesso de uma experiência In the Grip geralmente requer que eles tenham algum tempo para refletir e espaço pessoal para se comporem longe das responsabilidades de trabalho.

É importante que eles não sejam pressionados a falar sobre como se sentem quando não estão preparados para essa conversa. Os Ti-doms também podem se engajar em atividades produtivas relacionadas ao Fe que requerem um foco positivo na conexão relaxada com os outros ou canalizando sua energia para paixões pessoais.

Independentemente das atividades escolhidas, devem realizar dois objetivos:

Como o acesso à função inferior é extremamente difícil de alcançar devido à sua natureza oposta, a função auxiliar também deve ser usada para aliviar a pressão psicológica sempre que possível:

Desenvolvimento contínuo relacionado ao tipo Ti-doms:

Adaptado de: Was That Really Me ?: Como o stress cotidiano traz nossa personalidade oculta. Quenk, N. 2002. E não sou louco, eu não sou apenas você: o significado real dos dezesseis tipos de personalidade. Pearman, R. Albritton, S. 1996.

Referências: MBTI

Sair da versão mobile