Sentimento Introvertido (Fi) – INFP/ISFP

Publicado por

Agora temos um Grupo no Facebook

 Agora temos um Canal no YouTube

Traduzirei e adaptarei na íntegra, então se quiserem ver o original que merece todos os créditos esse é o link: MBTI Notes

Não sabe o que é MBTI e está boiando? Clique aqui: MBTI

Para quem não sabe quais funções tem cada tipo, segue a tabela:

Tipo NickName Funções
ESFJ Cônsul/Provedor Fe, Si, Ne, Ti
ESFP Animador/Performer Se, Fi, Te, Ni
ESTP Empreendedor/Promotor Se, Ti, Fe, Ni
ESTJ Executivo/Supervisor Te, Si, Ne, Fi
ENTP Debatedor/Inventor Ne, Ti, Fe, Si
ENTJ Comandante/Marechal Te, Ni, Se, Fi
ENFJ Protagonista/Professor Fe, Ni, Se, Ti
ENFP Ativista/Promotor Ne, Fi, Te, Si
ISTJ Logístico/Inspetor Si, Te, Fi, Ne
ISTP Virtuoso/Artesão Ti, Se, Ni, Fe
ISFJ Defensor/Protetor Si, Fe, Ti, Ne
ISFP Aventureiro/Compositor Fi, Se, Ni, Te
INTJ Arquiteto/Mastermind Ni, Te, Fi, Se
INTP Logicista/Arquiteto Ti, Ne, Si, Fe
INFP Mediador/Curandeiro Fi, Ne, Si, Te
INFJ Advogado/Conselheiro Ni, Fe, Ti, Se

 

Fi dominante (IxFP)

O sentimento introvertido procura refletir sobre a experiência humana e individual, a fim de alcançar a expressão autêntica e aliviar o sofrimento. O objetivo principal é respeitar a experiência individual e proteger a integridade moral, atuando de acordo com os valores pessoais sempre que possível.

As pessoas com essa função dominante tendem a aceitar plenamente os sentimentos privados, as necessidades emocionais e as fronteiras psicológicas como meios de decisão legítimos, com o objetivo de preservar ou melhorar o bem-estar humano.

Eles tendem a desfrutar de atividades que ofereçam oportunidades para autoexpressão criativa, usando seus valores pessoais para moldar positivamente o mundo ao seu redor e para ajudar os outros com sua própria autoexpressão e autocuidado. Desta forma, eles podem viver a vida de uma maneira que é autêntica e sincera, muitas vezes, quando em seu melhor, tornando-se uma fonte de inspiração moral para os outros.

No entanto, eles podem sofrer de autoestima flutuante ou sentimentos e desejos instáveis quando incapazes de realizar metas/tarefas difíceis devido à subestimarem as fontes extrínsecas de motivação e não entenderem como definir “sucesso”.

Quando uma pessoa não sabe como usar Fi de forma adequada, ela tende a ser inconscientemente autocentrada em suas perspectivas, incapaz de entender experiências que estão muito distantes das suas, as vezes projetando seus próprios valores, desejos e preconceitos nos outros sem perceberem.

Os Fi dominantes saudáveis ​​tendem a ser muito bons em entender a profundidade da experiência humana e usar esse conhecimento para ajudar aqueles que precisam de empatia e compaixão.

Para determinar se a Fi é a sua função dominante, pergunte a si mesmo como você reage às situações:

  • É muito importante para você “permanecer fiel a si mesmo”, não importa o que está acontecendo?
  • Você tende a ser sensível ao conflito ou à intrusão sobre suas crenças/limites morais?
  • Você se sente bastante incomodado, ressentido ou internamente conflituoso quando as pessoas agem de forma que você não concorda?
  • Você é opinativo e com bastante frequência discorda fortemente das coisas que as pessoas fazem/dizem?
  • Você costuma “saber” quando uma ação é certa ou errada, sem necessidade de explicar ou justificar o porquê disso?
  • Você presta atenção se os indivíduos estão sendo tratados de forma justa e podem se expressar livremente?
  • Você tem uma forte sensação de querer uma justiça adequada quando “erros” são cometidos?
  • Você precisa de um certo grau de privacidade para a reflexão (sobre seus sentimentos/desejos) e desagrada-lhe intensamente situações que até mesmo infringem um pouco o espaço pessoal dos outros, e então sente um forte desejo de defender ou protestar?

Melhorando a Perspectiva Fi

Cognitivamente, Fi incentiva a construir um conjunto de valores pessoais para navegar no mundo de forma a reduzir o sofrimento ou a turbulência psicológica.

Os valores e perspectivas Fi são:

1) Reflexão e aceitação incondicional de sentimentos

2) Harmonia interna e integridade pessoal

3) Sensibilidade e empatia. Almeja e esforça-se para entender por que essas coisas são importantes e quais os benefícios que podem trazer para sua vida.

Sem refletir o suficiente sobre como se sente sobre as coisas, torna-se muito difícil atuar de maneira que promova o autocuidado adequado e o bem-estar psicológico. As pessoas com Fi subdesenvolvido são muitas vezes resistentes à reflexão ou têm dificuldade em reconhecer e aceitar seus próprios sentimentos, o que pode eventualmente levar a comportamentos insalubres, imorais ou autodestrutivos.

Fi bem desenvolvida combate a falta de autoconhecimento dedicando tempo para analisar sentimentos e usá-los como um indicador confiável de limites e limites pessoais, promovendo assim a autoaceitação. Fi desenvolvida sabe que sentimentos e emoções fornecem informações muito importantes sobre a relação do si mesmo com o mundo, sempre se certificando de proteger ou cuidar do indivíduo sempre que necessário.

Se você não pode acessar e processar bem suas emoções, elas podem drenar sua energia mental, e as emoções reprimidas ou não resolvidas podem influenciar sua mente inconsciente, então a Fi busca manter contato com sentimentos e emoções sempre que possível, a fim de diminuir qualquer impacto negativo que possa resultar disso.

Portanto, para desenvolver Fi

Aceite a si mesmo e suas fraquezas, não ignore as emoções negativas não resolvidas, não tente resistir ou negar seus sentimentos, reconheça suas necessidades pessoais e limitações afim de garantir que você não se empenhe demais ou faça coisas que são prejudiciais para o seu bem-estar; Faça atividades que o ajudem a manter contato com seus sentimentos, como o envolvimento com as artes e a literatura, mantenha um diário onde você possa esclarecer e externalizar seus sentimentos.

Quando tiver uma forte reação à algo, pergunte a si mesmo se sente alguma insatisfação ou sofrimento que está tentando ignorar ou deixar de lado ou “superar à força”, ou se você tiver uma explosão emocional, descubra como/porque sua reação se tornou tão extrema.

Melhore sua inteligência e consciência emocional (existem muitos livros/fontes disponíveis), estude e desenvolva um bom vocabulário para identificar emoções e expressar sentimentos de forma saudável em vez de deixá-los piorar em comportamentos negativos e anormais.

Sem manter a harmonia interna e valorizar a integridade pessoal, é muito difícil encontrar a direção moral certa na vida. As pessoas com Fi subdesenvolvido são muitas vezes facilmente levadas por recompensas externas ou méritos superficiais de status social porque não estão em contato com elas mesmas e com o que é realmente importante na vida.

Fi desenvolvido sabe que manter a integridade pessoal significa agir com integridade moral, porque quando você faz coisas prejudiciais para o bem-estar psicológico (seja para você ou para outros), você se torna uma versão corrupta e inautêntica de si mesmo que, por sua vez, cria um ambiente corrupto e prejudicial para todos.

Fi desenvolvido sabe que os valores do “sistema” nem sempre são os melhores para os interesses dos indivíduos, por isso também é necessário ter um conjunto pessoal de valores morais a seguir, fazer investimentos pessoais para tornar o mundo um lugar melhor para todos viverem.

Toda pessoa tem uma experiência única do mundo e a Fi busca compreender a experiência dos indivíduos, promovendo autoexpressão autêntica em si mesmo e nos outros.

Portanto, para desenvolver Fi

Faça atividades artísticas ou criativas que promovam a auto expressão autêntica, reflita sobre se os seus valores promovem a ação moral, reflita mais cuidadosamente sobre seus próprios valores morais e seus padrões para definir o “sucesso”, reflita sobre a origem dos seus valores e se seus valores são verdadeiramente seus.

Quando você toma decisões, pergunte a si mesmo se você permanece fiel a si mesmo ou se está sacrificando demais pelo que acabará se tornando um ganho vazio ou autocentrado, pergunte-se se suas ações promovem o crescimento psicológico positivo.

Sem sensibilidade e empatia, o mundo seria um lugar bastante difícil e inóspito para viver, especialmente para as pessoas que não têm meios para se protegerem de serem exploradas. As pessoas com Fi subdesenvolvido frequentemente têm dificuldade em ter empatia ou serem sensíveis às necessidades dos outros por estarem fora de contato com suas próprias necessidades e sentimentos.

Fi desenvolvido sabe que os valores que você usa para se julgar a si mesmo são os valores que você usará para julgar os outros, portanto, se você não consegue entender suas próprias necessidades e sentimentos em profundidade e aceitá-los como legítimos, então você não pode aceitá-los quando visto em outros, até mesmo se tornando propenso a projetar suas próprias inseguranças e problemas emocionais em outras pessoas e se comportando de maneiras insensíveis ou prejudiciais.

O Fi poderoso dedica o tempo necessário para entender o sofrimento pessoal e, portanto, é capaz de simpatizar com a dor de outras pessoas, sentindo-se compelido a ajudar a aliviar o sofrimento sempre que possível. A sensibilidade sobre si mesmo, cria a sensibilidade nos outros e Fi aceita o peso dessa sensibilidade como um importante motor de ação moral.

Portanto, para desenvolver Fi

Reflita sobre se seus valores e padrões são razoáveis ​​em termos de respeito pelas experiências únicas de todos, certifique-se de refletir com mais atenção sobre a experiência única de uma pessoa antes de passar julgamentos morais sobre suas ações, dê às pessoas espaço suficiente e a liberdade para serem elas próprias em vez de tentar mudá-las para se adequar aos seus próprios padrões.

Se você (inadvertidamente) fez algo insensível, examine por que você não conseguiu entender o dano de suas ações antes de agir, reflita sobre se sua compreensão moral é muito preta ou branca (extremista – sem considerar qualquer contexto ou nuance).

Reflita sobre se você é propenso à estereótipos sem qualquer pensamento sobre os indivíduos que fazem parte deste grupo, dedique mais tempo para entender as pessoas que são diferentes de você, seja mais respeitoso e aceite as diferenças individuais porque nem todos têm a mesma experiência que você, seja mais compreensivo quando as pessoas precisam expressar seus sentimentos, porque permitir que sejam ouvidas é um importante primeiro passo para encontrar uma solução para um problema (de relacionamento);

Perceba que sua solução para um problema pode não ser adequada para todos, por isso, esteja disposto a fazer ajustes e acomodações, e perceber que às vezes as pessoas devem cometer “erros” para aprender algo.

Seja mais generoso para oferecer ajuda e criar um mundo melhor em vez de exacerbar problemas com julgamentos negativos ou amargos. Observe qualquer comentário, crítica ou conselho que você obtenha sobre fazer as coisas de forma mais sensível, paciente ou pensativa.

Sentimento Introvertido (Fi) vs Sentimento Extrovertido (Fe)

Enquanto o sentimento introvertido examina emoções através da lente do que é autêntico e verdadeiro e a harmonia intrapessoal, o sentimento extrovertido olha as emoções através da lente do que é útil em manter a harmonia interpessoal.

  • Enquanto o sentimento introvertido acredita que devemos “viver e deixe viver “, o sentimento extrovertido acredita que devemos viver de forma que todos possam viver em conexão e harmonia um com o outro.
  • Enquanto o sentimento introvertido acredita na autenticidade a todo custo, o sentimento extrovertido acredita em comprometer traços individuais ou desejos próprios para o bem do grupo.
  • Enquanto o sentimento introvertido procura entender as emoções em primeiro lugar, vivê-las e gerenciá-las em segundo, o sentimento extrovertido procura gerar emoções e vivenciá-las antes e compreendê-las em depois.
  • Enquanto sentimento extrovertido está preocupado em como a si mesmo afeta o mundo e os indivíduos, o sentimento introvertido está preocupado em como o mundo e os outros indivíduos, afetam a si mesmo.

Como as funções funcionam: Fi dominante (ISFP / INFP)

O mundo está constantemente nos bombardeando com informações e exigindo que nós respondamos às mudanças no mundo, usamos funções cognitivas para processar informações e tomar decisões de forma mais eficiente.

A função dominante é a primeira ferramenta mental na qual você confia no processo de tentar entender o mundo. As funções extrovertidas (Se Ne Te Fe) são objetivas porque permitem que você responda rapidamente, e mude para se integrar bem ao seu entorno. Já as funções introvertidas (Si Ni Ti Fi) são subjetivas porque exigem que você filtre, processe e forneça informações para congruência com sua experiência pessoal.

Caraterísticas do Sentimento Introvertido (Fi):

  • Foco: a natureza da experiência humana em primeira mão.
  • Explora as diferentes facetas do bem-estar psicológico.
  • Cultivada através da conciliação de novas impressões sensoriais com uma concepção experiencial de “bom” ou “mau”.
  • Mantém uma abordagem receptiva e sensível à vida, constantemente filtrando experiências de uma maneira que honra necessidades e limites pessoais (de si mesmo e/ou outros).
  • Valoriza os aspectos incondicionais e universais da experiência humana.
  • Conduzida a manter um sólido senso de integridade pessoal (alinhando os mundos interno e externo sempre que possível).
  • Toma decisões com base na preservação da harmonia entre os processos psicológicos internos (pensamentos, opiniões, crenças, sentimentos, etc.) e usando valores pessoais para entender e cuidar dos outros.
  • Define o verdadeiro conhecimento em termos de compreensão de como a experiência individual pode ser universalizada para revelar verdades maiores e valores humanos fundamentais.

Sabe que respeitando a vida e experiência humana individual:

1) Constitui o alicerce da nossa identidade coletiva como sociedade (podemos julgar uma sociedade baseada em como trata seus membros individuais).

2) Apoia e abre espaço para a expressão criativa que a sociedade precisa para florescer além da mera sobrevivência.

3) Ancora o eu imbuindo-o de pensamentos e ações com significado moral.

4) Reduz o conflito maximizando a aceitação das diferenças individuais, promovendo a liberdade do condicionamento do grupo/sociedade para que todos possam renegociar papéis, deveres, necessidades e desejos, ou objetivos, conforme necessário (viver e deixar viver).

5) Define as relações sociais em termos de “fluidez” (cada indivíduo trazendo tudo o que pode de si para o grupo)

6) Interpreta as relações sociais em termos do grau de liberdade para ser que realmente é, e ajusta as necessidades e desejos individuais.

Inspira os outros tornando-se o ponto focal dos valores mais nobres e de valores de alto nível das pessoas, especialmente através da liderança pelo exemplo e proporcionando uma bússola moral para orientar as tendências sociais.

Os Fi-doms geralmente são atraídos para carreiras ou interesses que lhes permitem: fazer algo que consideram bom e significativo; Expressar seus valores pessoais na comunidade em geral; Trazer estrutura e significado para o seu mundo interior (por exemplo, atividades artísticas ou criativas); Encontrar uma sensação de propósito superior, e de alguma forma, se conectar a experiências humanas universais; Ser sensível às necessidades imediatas ou ao sofrimento dos outros; Nutrir a autoexpressão criativa em si mesmo ou nos outros.

Fraquezas de Fi Dominantes

  • (As fraquezas geralmente decorrem de desequilíbrios no eixo Fi-Te)
  • Muitas vezes têm dificuldade em se adequar devido a ignorar padrões externos.
  • Tendem a lutar com muitos conflitos internos ou baixa autoestima.
  • Sente-se à deriva se não puderem expressar seus valores no mundo.
  • Desconfortável com estruturas externas, limites, regulamentos.
  • Confia muito em sua própria experiência para interpretar eventos externos (demasiado subjetivos ou até mesmo egocêntricos).
  • Dificuldade em entender que fazer boas escolhas envolve o uso de padrões externos e medidas de sucesso/falha.
  • Dificuldade em resolver problemas complexos ou entrincheirados, e negligencia as oportunidades de fazer mudanças a longo prazo por causa de ser facilmente influenciada por necessidades pessoais sempre flutuantes.
  • Podem parecer irracionais, temperamentais, egoístas ou julgadores para os outros.
  • Podem ser muito privados, inexpressivos e difíceis de serem entendindos
  • Dificuldade em estabelecer interações sociais previsíveis.
  • Podem colocar expectativas razoavelmente altas (morais) sobre as pessoas.
  • Facilmente ofendidos se as pessoas não compartilham os mesmos valores (dogmáticos).
  • Não gostam de serem definidos ou erroneamente julgados pelos outros (hipersensível).
  • Devido à uma forte pressão interna para se definirem claramente e manterem sua própria identidade, integridade e valores, podem ser levados a duvidar de si mesmos, a um comportamento impulsivo ou a comportamento defensivo.
  • Dificuldade em integrar conhecimento fora de suas próprias necessidades e experiências pessoais.

Adaptado de: Tipo de Personalidade: Manual do Proprietário. Thomson, L. 1998.

Referências: MBTI

Anúncios

Deixe uma resposta