Polaridade: Masculino/Feminino

Publicado por

Ato I: A natureza é sábia

Na natureza só há movimento, atração, onde há diferença de potencial.

As coisas só caem, por haver a diferença de potencial gravitacional. Os átomos e moléculas se mantém unidos pela diferença de potencial eletrostático. Porque o vento, venta, senão pela diferença de pressão em diferentes regiões. O calor flui de um corpo para outro pela diferença de temperatura, mais quente para o mais frio. O mesmo podemos dizer do magnetismo.

A polaridade Negativo e Positivo é o que rege o universo, e principalmente determina em que direção as coisas fluem, se movem e se atraem.

A natureza teria sido muito incoerente se não aplicasse a mesma regra à atração homem e mulher ou a qualquer casal, independentemente da orientação sexual.

Porque existiria a atração entre duas pessoas, senão pela diferença de “potencial”. Se há atração, é porque percebemos no outro algo que não temos. E por isso vai nos agregar, ensinar, complementar e nos fazer sermos melhores pessoas, humanos, conquistadores da vida, mais fortes e capazes, sendo dois que sendo um.

Podemos perceber que muitas vezes o racional é atraído pelo emocional. Algumas outras o introvertido é atraído pelo extrovertido, a pessoa capaz de nutrir e cuidar da família, é atraída por outra que é capaz de conquistar e conseguir o sustento, adquirir bens materiais, dinheiro e melhor qualidade de vida para a família, ou trazer o urso morto para casa, por assim dizer.

Mas note que no âmago da questão, lá no fundo onde poucos percebem, há a mesma sabedoria que vemos em toda a natureza para que tal atração tenha ocorrido: A diferença de potencial. Mais especificamente, hoje, quero tratar da diferença de potencial, da polaridade: masculino/feminino.

Vou tratar ao longo do texto usando o estereótipo básico homem (Masculino e Racional) e mulher (Feminina e Emocional), mais por comodidade, mas para isso, antes, preciso elucidar seriamente que a mesma regra vale para o caso de o homem ser o F e a mulher ser o T, e também para casais homossexuais, pois a polaridade masculino/feminino, apesar de ser mais comum no estereótipo, vale também nesse caso.

Vemos que em casais homossexuais, também há, claramente, um indivíduo que encarna a polaridade masculina e outro que retém a polaridade feminina. Se assim não fosse, não haveria atração.

Me deu nesse segundo, uma vontade de iniciar explicando de trás para frente. Bom vai entender as inspirações da Fi-Ne, né?

Enfim (ou à princípio), comecemos analisando de o porque de muitos casamentos serem, assexuados, geralmente sem, ou com pouco sexo, um ninho de frustração, mágoas, rancores, e principalmente, onde já não há mais uma gota sequer de atração entre eles.

Casamentos que acabam sendo unidos pela cola da rotina, obrigações paternais/maternais, a luta mês a mês para o pagamento dos famigerados boletos da morte, daqueles passeios em família onde o foco são apenas os filhos e os familiares, e não mais o casal, pois o casal já não existe mais.

Aquele casal que quando saem juntos, à sós, conversam só de trivialidades ou das responsabilidades do lar e filhos, uma vez que já não há mais o calor que só a intimidade e profunda conexão emocional pode criar e manter. E que por consequência fazem aquele sexo nota 3, ambos presos num eterno rodízio de arroz com feijão, apenas para não morrerem de fome, que é servido uma vez por semana, ou por mês, as vezes ao ano…

E nos perguntamos: Porque?!

Porque aquele casal um dia super apaixonado, cheio de vida, planos e sonhos, tanto individuais quanto para o casal, se degenerou nessa massa amorfa, assexuada e sem vida? Bom, “casal” implica “dois”, logo muitas vezes, tirando casos onde fortes efeitos externos atuaram, a culpa só pode ser, pasmem, dos dois.

Mas como estou inspirado hoje para aconselhar nós homens, que falhamos em nosso papel, o texto será à partir dessa ótica, do que nós podemos ter feito de errado. Quem sabe, se houver necessidade, um dia faço um texto com a ótica das damas…

Enfim, a grande maioria dos homens casados que entrevistei ao longo da vida, tem em geral apenas duas perguntas: Porque minha mulher não faz, ou muito erroneamente como pensam “não gosta” de sexo e Porque minha mulher me só reclama, me enche o saco, manda e me cobra tanto. (aquela maldita)

Tentar responder essas duas perguntas chave de muitos homens casados, é muito mais fácil quando sabemos que a raiz do problema é a mesma.

O cerne da questão é se perguntar racionalmente, friamente, e avaliar profundamente a questão: Qual dos dois polos masculino/feminino da relação você ocupava quando iniciaram o relacionamento?

Em outras palavras, qual era o seu papel, qual das energias era encarnada por você, que fazia o casal ser mais forte junto que separado, e que fez ela ter tanta atração por você e querer se unir à você em primeiro lugar?

E assim que a resposta te vier, vai perceber, que você não deve estar mais desempenhando esse papel, e em geral, deixou de desempenha-lo há muito, muito tempo.

E por ter despolarizado à si mesmo, despolarizou toda a relação. E com isso a forte atração que um dia houve, foi dissipada. (sábia natureza)

Ato II: O homem zumbi

Lembra daquele rapaz no qual ela se apaixonou, e do qual ela mal podia tirar as mãos, e ficar separada? Lembra daquele cara que acordava todo dia de manhã com ela montada em cima? (entre outras coisas que não vou comentar porque sou um cavalheiro)

Lembra daquele cara que quando ela te olhava, seus olhos até brilhavam e ela nem piscava te tão atraída, fascinada e apaixonada que estava?

Aquele cara que ela olhava e se orgulhava de “ter conseguido”, pois ela tinha fé, ou talvez plena certeza, que a protegeria, amaria, que por ter tanto fogo e força de vontade e paixão pela vida e por si mesmo, a levaria sempre para frente, na direção da evolução do casal e da família.

Um homem digno de ser conseguido e mantido. E por isso ela te dava em resposta todo carinho, amor, dedicação e sexo que você precisava. (se não, mais)

Entenda que a mulher só dá ou faz as coisas por um homem que ela julgue de valor. Ela não faz por prazer, e sim porque entende que se não fizer, haverá uma fila de outras prontas para fazer tudo isso por você.

Nobre amigo, saiba que mulheres tem um mecanismo fortíssimo para avaliar o homem e se potencial. Tirando a fase jovem delas, onde estão apenas na farra e só querem pegar o gato da balada para encher seus egos, quando mais velhas e querem levar a coisa à sério, criar um família, em geral, elas serão bem mais rigorosas na escolha. Então se foi “escolhido” pela mulher que realmente queria, sinta-se honrado.

Quando ela avaliou você naquela época, ela se apaixonou não só por você, mas, MUITO mais ainda, pelo seu POTENCIAL. Não só pelo homem que você já era, mas pelo homem que ela tinha fé, e podia jurar que se tornaria. Entenda isso.

E aí vem aquelas duras perguntas:

  • E no momento, quanto do seu potencial, foi realmente concretizado?
  • Quantos sonhos e anseios, ela já teve que desistir, por ter percebido ao longo dos anos que todo aquele potencial, era apenas uma miragem?
  • E você ainda tem coragem de culpá-la por não querer rasgar suas roupas e te estuprar (no bom sentido) toda vez que chega em casa do trabalho?
  • Você pode culpá-la por sempre estar de mal humor, magoada, ranzinza, cobrando coisas, fazendo listas, exigindo, mandando-o fazer isso ou aquilo?
  • Se ponha no lugar dela por alguns instantes, e veja o homem que você poderia ter sido, e o homem que você é. Você tem orgulho de si mesmo?

Isso para não falar, dos homens que depois que casam ainda se mostram, abusivos, frios, estúpidos, mandões, suprimem a vontade e desejos da sua mulher, as colocam ou tentam colocar num papel submisso, atacam sua autoestima, fazem jogos psicológicos, traem e mentem, pensando que ela não sabe, etc.

Nesses casos, não preciso nem falar mais nada, né?!

E tudo isso para proteger seus frágeis egos, que no fundo sabem que se tornaram apenas a sombra de um homem, e que para salvar o restinho que tem de sua masculinidade e frágil autoestima, precisam submeter a sua mulher e família a terríveis torturas físicas e psicológicas, para ainda se sentirem “homem”.

Em resumo, um dos jeito que eliminar a polaridade masculina e acabar com a atração e amor do casal, é essa, quando você perdeu as características masculinas de assertividade, força de vontade, ânimo para superar obstáculos, resolver os problemas, conquistar novas terras e recursos e guiar ela e a família para um futuro promissor, e mais ainda, concretizar seu potencial.

Entenda, que não há uma mulher que não fique molhada ao ver um homem de verdade, no momento em que conquista tudo pelo qual lutou e sacrificou tanto. Essa é a glória para uma namorada ou esposa. Ver seu homem conquistar parte do mundo, e vencer.

Nunca, ela vai estar mais apaixonada e atraída do que quando vê você chegar ao topo.

E é por isso que as menininhas desmaiam em shows, ou só do astro tocar um dedo em seus ombros, porque a diferença de polaridade entre eles (na cabeça dela) é tão grande, mas tão grande, que a atração fica insustentável e quando ele a toca, ela literalmente eletrocuta, dá shutdown e desmaia, sem falar de quão ensopada as coisas devem estar “lá embaixo”.

E não é isso que você, como homem, mais quer?
Ainda mais da mulher que ama e escolheu para passar a vida junto?

Mas agora que tudo que ela vê é um barrigudo que só sabe tomar cerveja e ver jogo de futebol postado sem camisa no sofá, sem tomar banho as vezes, um cara que está no mesmo emprego há anos, não é promovido, não abre seu próprio negócio, não faz mais os esportes interessantes que fazia, não sonha mais e não deseja mais.

Será que pode culpar a pobrezinha por não ter desejo sexual por ti? Será que pode culpá-la por não te receber mais com amor e carinho quando chega, e só resmungar, reclamar e te acusar.

Aprenda, que a mulher NUNCA fala diretamente, ela sempre fala por metáforas, pois espera que um homem de verdade, e ainda mais SEU homem, a entenda.

Então quando ela reclama da máquina de lavar que você não levou para consertar, de que não tem dinheiro para trocar o carro ou colocar os filhos na escola de inglês, de você passar o dia inteiro no sofá vendo TV, de não sair mais com ela ou com a família, de fazer tempo que não viajam ou de que não faz isso ou aquilo, na verdade a mensagem é muito mais profunda.

A mensagem real que ela jamais teria coragem de te dizer olhando nos olhos é: Você falhou comigo.

Um dia acreditei em você, e por isso amarrei meu vagão na sua locomotiva, e para onde você nos levou? Para isso aqui? “Isso” é tudo que você pode ser? “Isso” é tudo que podemos ser? Então o que eu posso esperar do futuro? Nada? Só uma sequencia de dias como esse? Que eu fui fazer comigo mesma? Porque fui acreditar nele? Tola!

E é por isso que ela te prova, te testa, te ataca, te ameaça, te dá carinho e sexo selvagem de vez em quando, te orienta, te indica possíveis caminhos que não viu, te sugere, te sussurra, levemente te compara com outros maridos que estão atingindo seus potenciais.

Porque ela quer te amar novamente como ela te amou, ela quer reviver esse zumbi que jaz no sofá da casa dela. Ela quer ver você feliz, com aquele ânimo, joie de vivre, com aquele fogo nos olhos por saber que o mundo é todo seu para ser tomado, de saber que você é capaz e de que por ela estar contigo, ela será “arrastada” junto!

Em outras palavras, se ela reclama, é porque ela ainda te ama.

Acredite, o dia em que ela não o amar mais, ela pegará suas coisas e partirá. Sem olhar para trás. E todo homem depois diz que “nem imaginava” que as coisas estavam etão ruins. Sim, mas só porque são cegos!

Bom, quem já conhece meus textos, sabe que me exponho sem, medo, dó, nem piedade. Como bom INFP que sou, não gosto de esconder nada que possa ajudar aos outros. Então para não ficar só nesse bla bla bla teórico, vou dar um rápido exemplo TOTALMENTE DESPRETENSIOSO.

Em toda minha vida, nunca tive essa paixão, como INFP/Eneagrama 4w5, nunca soube quem eu era, qual meu papel no mundo e sociedade, quais eram meus dons, e por isso não tinha paixão e fogo para conquistar, NADA.

Era uma sombra sem vida, depressivo, resmungão, pessimista, e que olhava para o futuro e via apenas uma série infindável de copy/pastes do dia anterior. E suicídio me parecia muitas vezes a melhor saída.

Não preciso dizer que “mulheres” era uma coisa extremamente escassa em minha vida. Obviamente por tudo que citei lá em cima. Nenhuma mulher que atrelar seu vagão à uma pessoa que não ama a si mesma e não está feliz e empolgada na vida. Por instinto elas tentarão procurar o mais alfa, forte e protetor que elas conseguirem “atrair”.

MAS, ao invés de fazer alguma besteira, fui atrás de me conhecer, identificar meu erros de comportamento, crenças limitantes, defeitos psicológicos, traumas de infância, fraquezas e principalmente forças e dons.

E depois de décadas me encontrei e mais ainda, depois que a Te inferior despertou consegui colocar em prática. Eu finalmente entendi o “porque” de eu ter sofrido tanto, e corrigi. E hoje uso tudo que passei para inspirar textos como esse para ajudar pessoas bem mais novas que eu a não perder décadas como eu perdi.

E eis que nasceu o blog. E hoje eu sou EU, e sigo diária e diligentemente minha rotina de trabalho em prol dessa minha paixão. E conto a vocês, as coisas começam a mudar.

 

Conto tudo isso, para inspirar, sério, para saberem que se eu, um cara qualquer, posso conseguir superar e continuar superando minhas debilidades, cultivar meus dons, agir concretamente no mundo, e se posso matar um demônio interior por dia, amigos, você também podem. E acreditem em mim, juro, os frutos disso começam aparecer, e em abundância.

Entenda que para conquistar mulheres, você não precisa necessariamente investir “nelas”, e sim em você. E depois conseguir ser a mistura perfeita de cavalheiro com o bad boy, seja você, o seu próprio James Bond.

Lembre-se sempre daquela sabedoria: Ao invés de tentar caçar as borboletas, faça um belo jardim, e elas virão até você.

Não há nada mais irresistível para uma mulher que um homem que coloca metas e as cumpre, tem palavra e caráter, seja isso para ela, mas principalmente para si mesmo. Um homem que segue sua paixão, seus sonhos, que sabe se propósito na vida e vai atrás com fúria, que como o juggernaut, é inexpugnável, uma máquina, e nada, nem ninguém, muito menos ela, vai conseguir parar ou dominar.

E confie em mim, ela vai testar diversas vezes seu caráter e sua determinação para ver se realmente é o homem que ela quer e deseja estar ao lado. E se falharem, já sabe.

E eis meus amigos, que esse é o primeiro motivo pelo qual a polaridade possa ter sido destruída e desintegrada. E se esse for seu caso, está na hora de reaver e fazer renascer esses traços específicos de sua masculinidade.

Tem alguns links que elaboro algumas ideias sobre isso, aí abaixo:

  1. Esposa Bruaca: Mito ou Realidade?
  2. Marido Zumbi: Mito de criação
  3. Porque os bonzinhos só se ferram? (Conquista)

Ato III: O homem geleia

Agora que já vimos o primeiro jeito de destruir a polaridade, e com ela a atração, e com ela, por sua vez, sua relação. Passemos ao próximo.

Como espero ter ficado claro na introdução, a polaridade é o que gera a atração e mantém unido tudo na natureza. E não poderia ser diferente com casais.

O que acontece no começo é que o positivo atraí o negativo, o masculino, atraí o negativo. E como já vimos, quando mais polaridade houver, mais atração.

Essa polaridade pode se dar por status, poder físico, poder no mundo, estar no comando, pela beleza, por dinheiro, inteligência, por ser culto, por estar no topo de alguma área do interesse dela, ex: se ela gosta de surf, você é o campeão, ela gosta de xadrez e você é mestre, pode ser uma arte marcial, se ela gosta de animes, medicina, engenharia, astronomia, filmes ou de escrever, se você tiver destaque nessa área, será notado, e se ela te ver como digno de admiração em qualquer coisa que seja, ela te notará e uma polaridade poderá ser criada. Ainda mais se outras o tiverem notando também, pois o fato de outras mulheres o notar, é indicativo de valor. E nada é mais resistível que um homem valoroso.

O mesmo serve para os homens, que também, precisam ver valor nela, e ela tendo algo de superior que eles gostariam de ter em suas vidas. Infelizmente paras as moçoilas, quase sempre é beleza física.

Isso fica claro pela quantidade de seguidores no Facebook que as garotas atraentes, ainda mais as exibicionistas tem, e uma legião de trouxas curtindo suas fotos e falando: “Oi, linda”, “Você é linda”, etc.

Imbecis! Elas sabem disso, e estão cansadas de saber (ou não). É exatamente por isso que é esse tipo de coisas que elas postam, porque esse é o melhor que elas tem a oferecer de si mesmas e porque esse é geralmente o único tipo de elogios que conseguem receber para alimentar seus frágeis egos.

E nunca vi na vida, um homem conseguir uma mulher por falar o obvio! Pelo amor do Big Bang! Se componham!

Já, infelizmente, para as simples camponesas de nobre coração que vão todos os dias ao bosque recolher lenha, não tem tantos seguidores, se não forem o estereótipo da beleza. Não importa quantos PhDs elas tenham, nem os altos cargos, nem nada. As vezes isso pode até afastar e intimidar os pretendentes mais tímidos ou inseguros. Sim, amigas, eu sei, a vida não é fácil para vocês. Eu me compadeço da sua dor.

Dito isso, uma vez que houve a polaridade e por consequência a atração, foi por algum motivo. E de novo, vou ver da ótica do padrão básico por ser mais fácil e comum. Logo adaptem para seu caso específico.

O segundo jeito, homens, de dissipar a polaridade é sair do polo inicial em que estava, masculino, e ir para o neutro, ou pior para o feminino. É incrível o quanto isso é comum.

Uma teoria é que durante as grandes guerras, onde a maioria dos homens não estava em casa, pois estavam lutando por anos, ou morreram, os filhos homens, acabaram sendo criados pelas suas mães e avós.

Que hoje, também, devido a quantidade de horas que dedicamos fora de casa, principalmente os pais, o filhos ficam sem uma figura masculina em quem se basear, na qual se pautar para entender qual é a essência de “ser homem”.

Muito antigamente, os meninos treinavam desde cedo para a guerra, a caçar, a sobreviver na selva, ou em condições adversas, ao lado de seus pais e dos outros homens a tribo.

Menos antigamente, onde a sociedade era machista, as crianças aprendiam a ser operários de fábrica, dar manutenção aos carros e a casa, construir com suas mãos, e ir atrás dos seus objetivos com seus pais.

Hoje já não é mais assim. As crianças são criadas pela mãe, quando muito pela avó, empregada, TV e internet, uma vez que é preciso que ambos, pai e mãe saiam para ganhar o sustento.

Isso quando os pais não se separam e a figura masculina fica ainda mais inexistente na vida do menino. Ou em casamentos com sérios problemas, ou então num em que o pai mesmo, já seja um homem geleia e seja essa a referência que o menino absorve.

Bom, tantos cenários, que podem fazer com que os meninos não consigam desenvolver sua masculinidade de forma saudável e equilibrada.

E nesses casos, dois caminhos podem acontecer, eu acredito. Os dois extremos.

Ou os meninos acabam exagerando na sua masculinidade para suprir, encobrir sua fragilidade real, e amor do qual foi privado, se tornando abusivo com mulheres, seja verbalmente, seja por mentir à todas só para conquistá-las e depois de uma noite de sexo, desaparecem, ou ao dar valor a imensa quantidade de mulheres que conseguem e não para a qualidade ou profundidade da relação. Tudo porque seu lado sentimento é confuso, e por isso, ele temem estar em contato com ele. Nesse caso, desenvolvem o tipo de apego Evitante.

Ou então, os meninos podem ir para o outro extremo. E para suprir a falta de amor materno que lhes faltou e a falta de presença masculina, eles “se tornam” e incorporam as características femininas que tanto precisavam quando estavam crescendo e tem a autoestima muito baixa, pois não aprenderam a se valorizar e a serem amados. Esse é o tipo de rapaz que incorpora o tipo de apego Ansioso.

Se quiser se aprofundar nos tipos de apego, esse é o link: Os tipos de apego

Toda a criança precisa, em sua criação, e nos anos de formação da personalidade, da presença e o equilíbrio entre as duas polaridades (masculina e feminina), geralmente pai e mãe.

O pai provém, protege e dá segurança, a mãe nutre, cuida e ensina. Mas isso está cada vez mais raro nos dias de hoje. E eis que nos tornamos adultos não saudáveis, pendendo para um dos lados e criando diversos mecanismos de defesa.

Se quiser se aprofundar nos tipos de apego, esse é o link: Mecanismos de defesa

Nesse texto, vou falar do segundo tipo, os “homem geleia”, que desenvolveram seu lado feminino muito mais do que o saudável e estão sob os dramáticos efeitos não saudáveis do apego Ansioso.

Era um vez um homem, que vivia sua vida normalmente, trabalho, amigos, hobbies e tarefas. Tudo transcorrendo bem. Ele tinha sua vida coesa. E se achava equilibrado e normal.

E eis que conheceu uma mocinha interessante, gatinha, e gente boa. E para sua sorte, ela estava solteira, teve atração e começou a gostar dele também. Tudo corria muito bem no começo. Pois no começo, ele só a estava conhecendo, estava só meio afim, ou só “gostando”, então, ok. Tudo transcorria muito bem, felizes, curtindo a vida, o namoro, sexo, paixão, emoções, ideias, e compartilhando a vida e experiências interessantes.

Eis que algo aconteceu: Em algum momento ele se apaixonou.

Se apaixonou por estar recebendo pela primeira vez ou pelo menos como raramente recebeu no passado, o amor, carinho e sendo compreendido e aceito por quem ele realmente é. Em outras palavras, sua amada namorada, o estava enchendo e preenchendo com a energia feminina da qual foi privado na infância, e a qual, mal sabia ele do quanto precisava e sentia falta.

E isso despertou intensas, fortes, ou até mesmo incontroláveis emoções, nele. Pela primeira vez era amado de verdade, aceito do jeito que é, e agora, poderia abrir todo seu lado emocional, seus traumas, medos, anseios não realizados, frustrações, e se agarrar naquela fonte (inesgotável?) de amor e aceitação, e podia se banhar nas profundas águas da energia feminina de sua namorada. Ledo engano!

Quando ele deu vazão a todo esse tipo de emoção e apego não saudável, ele despolarizou o masculino e foi para o feminino. Ele substituiu suas características masculinas que eram atraentes para ela, como postura, assertividade, força, caráter, saber quem é e onde quer chegar, de ser um homem interessante e cheio de objetivos, hobbies, amigos e vida, para se tornar o temível: homem geleia.

Esse é o cara pegajoso, grudento, ciumento, as vezes até chorão, babão, “romântico” ao extremo, te enche de mensagens, ligações, gasta metade do seu salário contigo, em presentes, jantares, viagens, mas claro, porque ele te ama profundamente, não é?

Não! Ele faz isso porque no fundo sente-se extremamente inseguro, com autoestima baixa a ponto de não achar que “só ele” baste para manter essa fonte do delicioso maná de energia feminina em sua vida. E se ela for embora, como irá viver? – Pensa o pobre homem geleia.

Esse é o cara que em poucos meses esqueceu os amigos, abandonou hobbies, parou de estudar ou fazer cursos, passou a tirar notas baixas, para ter mais tempo sob a deliciosa e frondosa árvore da energia feminina de sua namorada.

E sendo, e agindo assim, ele se tornou tão feminino quanto sua amada, senão mais, o que desintegrou a polaridade e a atração.

Amigo, quer saber porque sua mulher não te quer mais, não te deseja, não faz sexo contigo? Simplesmente porque ela é não é lésbica.

E como mulher hétero que é, quer um homem masculino ao seu lado.

O único tipo de mulheres que esse cara atraí, são as de muita baixa autoestima, inseguras, e tão ou mais grudentas e não saudáveis que ele. Pois sendo assim, ainda há uma pequena polaridade sobrando para haver atração.

E esses são aqueles casais que não se desgrudam um minuto, mensagens e ligações o dia todo, e quando estão longe um do outro, parece que lhes falta o ar, pois cada um é a máquina de suporte à vida do outro. Nada bonito. Nada saudável. E essa relação não gera felicidade autêntica.

Ou ele poderá atrair também uma mulher Maria João. Aquela sargenta que veste as calças na família, que é a gerentona e oprime seus funcionários. Fria, calculista e “sem amor”. Pois haverá uma triste polaridade também, o homem geleia se submete, fica em casa, cuida da família, enquanto ela saí para dominar o mundo, decide toda sua rotina e decide também qual a hora do sexo.

Nada contra. Não estou julgando. Só quero ver todos felizes, e se essa é sua felicidade autêntica nobre amigo, esse texto não é para você.

Agora se esteve mentindo para si mesmo todo esse tempo, continue…

Tirando esses casos, se a garota for saudável, equilibrada, e portanto feminina, ela começara a perder toda e qualquer atração por você. Rapidamente. E se continuar por muito tempo, desenvolverá inclusive nojo desse ser andrógeno, amorfo, desprezível  e sem vida, essa sombra de um homem. O gosmento, homem geleia.

Sabe porque? Porque ela ainda te ama. E como te ama, quer manter a relação. E mulheres, ou Fs, são mais sábias nesses quesito, e inconscientemente ela percebe que algo que está errado, pois a atração está esvaecendo. E isso a deixa desesperada.

O que ocorre então é que sem perceber, ela começa a polarizar para o masculino para compensar, sua polarização para o feminino. E mulheres ODEIAM polarizar para o masculino.

O homem geleia, é aquele para o qual ela pergunta: O que faremos no fim de semana? E ele retorna uma pergunta, “O que VOCÊ quer fazer?”.

Assertividade e decisão são características da polaridade masculina, esse tipo de coisa é altamente brochante para uma mulher. Ela não quer decidir NADA. Possivelmente ela já faz muito disso em seu trabalho a semana toda, e agora no fim de semana ela quer se divertir e relaxar, e se deitar na verdes gramas da sua masculinidade. E se sentir, amada, segura, em paz e feliz.

É por isso que ela liga diversas vezes para ti, quando acontece algo ela quer compartilhar, quando há alguma dúvida dentro delas, elas buscam sua opinião. Claro! E tolos, não é para encher seu saco que ela te pergunta tanto, e sim para sentir sua energia masculina.
Saber que é assertivo e sabe o que é melhor para ela. Você é seu rochedo. Sua montanha inamovível. Que você está lá para ela.

Ela quer apenas se arrumar, ficar linda e sair para um noite na cidade ou ela vai querer que uma viagem gostosa “tenha aparecido do nada”, tudo pago, tudo planejado e pronto, pelo seu HOMEM.

E assim ela vai poder relaxar e se entregar a sua energia natural feminina, gostosa, feliz, alegre, risonha, meiga, carinhosa e toda babona para cima de você, sabendo que o masculino está muito bem cuidado por seu homem, aquele quem ela escolheu.

Já é desgastante o suficiente elas viverem na energia masculina a semana toda no trabalho, vida, filhos, etc. Enquanto e SEMPRE que ela estiver contigo, é SUA responsabilidade encarnar todas as características masculinas que estamos citando nesse texto.

NUNCA, jamais, faça sua mulher ter que ficar polarizada na energia masculina quando estiver ao seu lado. Isso será o beijo da morte.

Primeiro porque um homem feminino é repugnante para elas, e segundo porque elas são péssimas “homens”. A energia masculina não lhes é natural e não lhes cai bem, e se você fizer ela ficar polarizada assim por muito tempo, ela perderá todo o respeito, amor, carinho, tesão, atração por você. E vai te deixar. É só uma questão de tempo.

E aí você reclamará e dirá não entender porque sua mulher não tem mais tesão por você? Agora não tem mais desculpas…

Ponha na sua cabeça que ela não sua mamãe, vovó, psicóloga, nem muito menos bote salva-vidas. Ela é sua mulher, e você é o homem dela. Ponha-se no seu devido lugar.

Guarde seu mimimi, suas frustrações, traumas, medos e inseguranças para seus melhores amigos ou para uma psicóloga profissional. Não é obrigação dela aguentar esse drama e esse lamaçal nojento de emoções não saudáveis. E na primeira chance que ela tiver, ela vai pular fora.

Ninguém, vai, pode, nem quer te salvar, nobre amigo! Você terá que salvar à si mesmo. Você precisa participar do seu próprio resgate.

Esse tipo de coisa acontece muito com homens F não saudáveis, por terem total contato com suas emoções, ou homens T que suprimiram seu lado emocional a vida toda, e quando finalmente se sentem seguros com alguém, de verdade, que os ama e inunda de energia feminina, as comportas se abrem, aquele volume insuportável de águas emocionais é derramado sobre moça, que não cometeu delido algum a não ser amá-lo com todo seu coração.

Ela sofrerá agora. Dramas, ataques de ira e ciúmes, lições de moral, ameaças, ataques passivo-agressivos, viverá debaixo de coisas como: Onde você estava? Com quem está falando no celular? Você é uma vadia que nunca me amou! Entre outros deliciosos momentos de prazer e carinho ao seu lado, o imbecil fora de controle.

E as pobres mulheres ficam, assim, presas entre a cruz e a espada.

Precisam escolher entre o homem geleia, do qual elas não tem tesão algum, mas que as trata bem e pode lhes dar uma família ou o garanhão sexy, alfa do qual elas morrem de tesão e mal podem tirar suas mãos de cima dele, mas que as trata como lixo, não dá valor, nunca tem tempo para elas, e para o qual ela é apenas mais um risquinho na cabeceira da cama, ou mais uma foto para mostrar aos amigos da “mina que ele comeu”.

Então, nobre homem geleia, a responsabilidade é sua, de recuperar sua masculinidade perdida, ou de cria-la, caso nunca tenha existido em primeiro lugar.

No caso dos meus amigos F, que sofrem em dobro, sim eu sei bem, mas há uma vantagem grande se tudo der certo. Ao recobrar/criar sua masculinidade, você será quase que o “homem perfeito”.

Pois terá todos os traços que tratamos aqui, os quais são essenciais, mas que qualquer homem T pode ter também, e mais a sensibilidade, poder e força emocional, para entender sua mulher por dentro e seu conectar com ela num nível que muitas delas nem sonham que exista. Você a conquistará, por dentro e por fora. E aí meu amiiigooo…

Então, se fizerem o trabalho direitinho, sim é foda para caramba, são anos de suor sangue e lágrimas, mas vai perceber que todo o “sofrimento” e dificuldades de ser um homem F, valeu a pena em dobro no final.

Pois ao passarmos a vida em contato com fortíssimas emoções, aprendemos à manejá-las, e quando tomamos finalmente o controle da situação interna, o força emocional e sentimental que isso gera é muito poderosa e criadora.

Ao contrário de nos outros homens “machões” que suprimiram suas emoções e fraquezas a vida toda, e quando elas emergem, é praticamente o desastre nuclear, o apocalipse zumbi, para as pessoas que estiverem ao lado deles ou que pior, dependam deles emocionalmente.

Ato IV: A Redenção

Se fizerem a lição direitinho, aí tudo mudará, a atração que ela tem por você voltará, ou, se seu caso é estar encalhado, começarão a sair mulheres de tudo quanto é lugar e você “nem saberá” o motivo.

Abra sua gaveta de meias: Mulher! Abre seu email: Mulher! Vai na balada só para relaxar, do nada uma senta na sua mesa, e você se pegará pensando que aconteceu. As cabeças delas começarão a virar quando estiver passando, no metrô, trabalho ou almoço de negócios. E mal saberá o que acarretou tão agradável situação. (ou será que agora saberá?)

E essa situação, é ou não é, mais agradável do que a que está?

Só depende de você! À luta, homens! Em busca do pênis perdido! (masculinidade)

Anúncios

Deixe uma resposta