Anúncios

INFP – Dinâmica das Funções

 

 

Esse é mais um post traduzido e adaptado na íntegra, então se quiserem ver o original que merece todos os créditos esses são os links abaixo:

  1. Simulatedworld’s Profiles for Extroverted Types
  2. Simulatedworld’s Profiles for Introverted Types

 Não sabe o que é MBTI? GUIA DE ESTUDOS

Agora temos um Grupo no Facebook

INFP: uma análise das funções cognitivas junguianas

INFP, ou Introvertido iNtuitivo Sentimento (Feeling) e Percepção , é um rótulo emprestado da nomenclatura MBTI e agora aplicado ao conjunto de Funções Cognitivas Junguianas (Fi, Ne, Si, Te)

Dominante: Sentimento Introvertido (Fi) 

“Eu sei exatamente como você se sente – me senti da mesma maneira quando isso aconteceu comigo, e realmente dói. Você deveria sempre dizer como se sente mesmo que os outros nem sempre achem necessariamente apropriado – contanto que venha do coração. Você nunca deveria ir contra o que sua bússola moral pessoal diz, mesmo que vá contra o que é mais comumente aceito moralmente por sua família, amigos ou qualquer pessoa que você respeite. Eu não quero saber o que você deveria sentir, mas sim o que de fato você sente.”

A dominância Fi do INFP é uma função de julgamento introvertido (Ji), o que significa que a prioridade máxima para INFPs é a definição completa, profunda e desenvolvida de precisamente quais valores alguém considera fundamentais para a essência de sua identidade pessoal e o que ela acha ser fundamentalmente “bom” ou “ruim” no mais profundo do seu ser. Mais do que apenas bom ou ruim; em uma escala maior, o INFP está preocupado com a própria essência do bem e do mal, significativo e não significativo, sagrado e não sagrado.

Essa dualidade torna-se central para a filosofia moral de muitos tipos Fi dominantes. Fi acredita que existe uma ordem moral definitiva para o universo (o que significa que é inevitável que algumas coisas e algumas ideias sejam inerentemente mais valiosas, mais virtuosas e mais dignas de avaliação positiva do que outras) e que a única maneira que podemos vislumbrar esse ideal sagrado é permitir-nos uma conexão e compreensão completa e total com as nossas respostas emocionais e a forma como refletem aquela que sustenta a “essência” interna do bem moral à medida que a entendemos subjetivamente e individualmente.

Um amigo INFP chama isso de “Sentimentos uh oh” quando seu Fi (reforçado por Si) de alguma forma “sente” quase que imediatamente que uma pessoa nova não é boa. Para Fi, a padronização da ética, coletivamente, perde o ponto ao conter a identidade única do indivíduo e influenciar tanto que o significado real é perdido. Moralidade para Fi não é algo que qualquer outra pessoa pode lhe dizer como abordar: é algo que você precisa olhar para dentro e sentir por si mesmo.

A moralidade é muito complexa e cheia de nuances, considera Fi, para ser marginalizada ao aproximá-la do ponto de vista coletivo. É muito dependente da essência do indivíduo e de suas impressões pessoais, também sujeitas às experiências e à compreensão desse indivíduo, para serem abordadas (ou pior, forçadas) por qualquer outra pessoa.

Assim que você tentar padronizar uma filosofia moral que funcione da mesma maneira para mais de uma pessoa, você arruinou sua natureza inerentemente única. INFPs muitas vezes têm um hábito notório de permitir que o ressentimento e a negatividade se acumulem em direção a alguém até que estejam tão incrivelmente chateados que eles não podem evitar explodir em um relatório Te de precisamente tudo o que você está fazendo de errado e porque simplesmente não é aceitável, em termos morais que eles podem justificar (Fi.)

Pelo menos dois amigos INFP me disseram que, quando se concentram em explicar e resolver suas queixas rotineiramente e com calma, antes de terem tempo para se enrolar e se preocuparem com grandes problemas, eles se acham muito mais capazes de manter as conexões profundas um-a-um que eles invariavelmente devem formar com os outros, e alcançar uma maior compreensão pessoal e empatia como resultado.

Auxiliar: Intuição Extrovertida (Ne) 

Como uma função auxiliar, Ne concede a INFP tanto a consciência como a preocupação com a forma como os outros os percebem e a capacidade de explorar, criar, experimentar e brincar com novas combinações e possibilidades para diferentes abordagens e maneiras de mudar e recriar o que vêem ao seu redor, com um olhar sobre como esses passeios exploratórias afetarão as percepções e os estados emocionais dos outros.

Este é um fator crucial na capacidade do INFP de aplicar os valores unicamente individualistas de Fi a um contexto observável externamente, de modo que ambos captem a atenção e a admiração de outros e lhe permita traduzir suas paixões internas em formas que os outros possam entender, identificar e apreciar.

O INFP precisa de Ne para espalhar a mensagem de seus ideais para uma audiência que irá ouví-lo: Ne é a ponte pela qual a visão de Fi pode ser forjada nas criações que servem como representações externas da identidade do INFP. “Sem necessidade de ganância ou fome / Uma irmandade de homens / Imagine todas as pessoas / Compartilhando todo o mundo”.- John Lennon, “Imagine”.

Muitas vezes, Ne acaba expressando-se através de meios artísticos e criativos: essa propensão para interpretar e reorganizar padrões de fenômenos externos geralmente resulta em uma habilidade particular para a manipulação da linguagem e sua capacidade de dizer exatamente o que é certo para transmitir com precisão o valor ou sentimento que o INFP quer expressar, de forma que torne esse sentimento real para os outros.

Na verdade, INFPs são muitas vezes encontradas entre romancistas, músicos, artistas gráficos, escritores e todas as outras formas de expressão criativa amplamente reconhecidas pela qual a pureza de seus mundos internos (Fi) pode ser expressada externamente (Ne).

Na melhor das hipóteses, os INFPs são escrupulosos, idealistas, brincalhões, criativos e profundamente empáticos. Sem a ajuda de Ne auxiliar, o INFP pode ficar frustrado com o conflito entre seu intenso desejo de auto-expressão e sua incapacidade de traduzir os ideais pelos quais ele se esforça para viver de uma forma que toque as almas dos outros da mesma forma que definem o significado e o propósito de suas próprias vidas.

INFPs, porque eles mostram ao mundo exterior seu lado flexível de Ne mais prontamente, parecerão muito mais abertos e acolhedores na superfície e, de fato, eles permanecerão assim, enquanto suas interações com você permanecerem relaxadas e divertidas e não precisarem entrar em uma análise ética séria ou colocá-los em situações desconfortáveis ​​que possam fazê-los sentir-se moralmente conflituosos.

Eles parecerão flexíveis agora (Ne), e firmes depois (Fi). Eles geralmente estão abertos a todos os tipos de novas experiências e conexões entre diferentes experiências – eles adoram chegar ao coração do verdadeiro natureza das pessoas e comparar as maneiras pelas quais diferentes indivíduos têm diferentes “sabores” únicos, cada um oferecendo o seu próprio tipo especial de significado, e eles adoram observar as conexões entre diferentes indivíduos nesse contexto.

Eles podem parecer bastante reservados em primeiro lugar, mas não leva muito tempo antes de abrirem Ne a você e se relacionar com você em um nível superficial – isso geralmente acontece em termos de discussão sobre algum interesse comum, tais como arte, filosofia, música, etc. … qualquer coisa que pareça interessante e digna de nota para o grupo de pessoas que o INFP considere digno. No interior, no entanto, eles são muito mais rígidos e inflexíveis em termos dos padrões éticos extraordinariamente elevados que eles colocam em si mesmos e qualquer um que eles considerem o suficientemente próximo para ser um amigo confiável.

Quando você se aproxima de um INFP, você está aceitando a responsabilidade de manter os altos padrões pessoais que definem toda a auto-imagem e filosofia existencial do INFP. INFPs oferecerão apenas o melhor tratamento ético a seus amigos e entes queridos, e eles não esperam menos em troca – se você não pode cumprir este vínculo sagrado com o mesmo nível em que se mantêm, você não deve se comprometer com um relacionamento tão próximo em primeiro lugar.

Terciária: Sensação Introvertida (Si) 

Para INFPs, a função terciária Si é consultada para fornecer uma referência rápida aos sentimentos e experiências reais que os afetaram profundamente em suas experiências passadas. Fi + Si não diz conscientemente: “Ok, a última vez que isso aconteceu, causou uma reação emocional negativa para mim, portanto, eu vou evitá-lo agora”; Fi simplesmente, instintivamente, começa a experimentar o terrível estado emocional que Si associou a qualquer experiência negativa, e o pânico e o medo assumem o controle, forçando o INFP a escapar dessa situação a todo custo, por medo de ser forçado a esse estado novamente.

Engane-me uma vez, é uma vergonha para você – engane-me duas vezes, é uma vergonha para mim. Tenho visto INFPs que, uma vez que começam a desenvolver Si, começam a prestar muita atenção a possíveis contaminantes que podem prejudicar a pureza de seus corpos físicos no ambiente ao seu redor.

Eles terão um cuidado especial para verificar os alimentos para garantir que ele não tenha se tornado ruim, tenha o conteúdo nutricional certo, etc. Alguns deles insistem em consultar um médico com mais freqüência do que o necessário, ou se desconfiar dos médicos em geral e evitar a experiência, se eles tiveram alguma experiência negativa com médicos ou medicação (como, infelizmente, um número razoável de INFPs tem.)

Quando aplicado de forma positiva, porém, dá-lhes uma base em algo real, algo a que eles possam se apegar que sempre estará lá para eles, porque sempre esteve – isso pode ser fundamental para levar o INFP ao estado espiritualmente consciente e confortável que ele deseja. O desenvolvimento do Si terciário ajuda o INFP a conectar sua saúde física e as necessidades de seu corpo à saúde emocional e espiritual sobre a qual Fi está tão focado.

À medida que os INFP aprendem a prestar mais atenção ao Si, eles aprenderão quais condições e ambientes poderão levá-los a uma melhor saúde física e reconhecer o enorme efeito que isso terá em sua saúde emocional e espiritual. À medida que o Si melhora, aparecerá para tirar uma página dos ISJs em sua recusa em trabalhar em condições que “não sentem corretas” na medida em que não são propícias para promover o estado de calma, relaxamento e consciência emocional sob o qual sua criatividade pode fluir mais livremente.

Mais importante, no entanto, Si serve como uma voz de cautela e experiência para ajudar a evitar a armadilha Ne de ficar tão perdido na exploração criativa que o INFP esquece onde sua zona de conforto é e repete os mesmos erros dolorosos várias vezes. INFPs com Si fortemente pronunciado parecerão menos ingênuos, mais cansados ​​do mundo e talvez um pouco mais cínicos – mas geralmente é o melhor, já que as experiências negativas repetidas devido ao fato de confiar muito rápido as ensinará.

Inferior: Pensamento Extrovertido (Te) 

Idealmente, Te fornece para INFPs um complemento objetivo aos julgamentos de valor de Fi, permitindo que eles considerem a importância de atingir objetivos reais através de sistemas externos, reais e funcionais no mundo. Isso é muito difícil para muitos INFPs processarem porque forçar qualquer tipo de cooperação nos outros para um bem maior (Te) é muitas vezes visto como equivalente a destruir o direito das pessoas de expressar sua individualidade apesar de tudo (Fi.) Este dilema moral atormenta muitos INFPs.

Te, ocasionalmente, vai aparecer e fazer com que o INFP exploda e diga a todos, em detalhes minuciosamente objetivos, quão pobremente eles estão cumprindo os padrões esperados de suas responsabilidades. Mata um INFP fazer isso, porque ele quer tanto respeitar o direito dos outros à individualidade pessoal e auto-expressão, mas, no fim das contas, ele deve reconhecer que algumas pessoas não cooperarão voluntariamente e devem ser forçadas a mudar pelo bem da sociedade como Um todo – não, para o bem do bem em si!

Até onde posso dizer, a linha de raciocínio é algo do tipo: “Você não está cumprindo seu dever moral comigo como amigo (Fi) e sempre que eu estive em um relacionamento positivo no passado (Si) seguiu certos padrões (Te), e mesmo que eu odeie fazer isso, você está ameaçando o meu direito à identidade pessoal (Fi) e, portanto, devo explicá-lo objetivamente e muito, muito sem rodeios, como seu comportamento não pode ser tolerado (Te) ”

A verdadeira questão para os INFPs que lutam com Te inferior é o conflito entre o individualismo idealista, altamente pessoal de Fi e a atitude meio maquiavélica: “o fim justifica os meios”, “faça não importa o que isso custe”. Em última análise, uma vez que Fi, Ne e Si estão satisfeitos, um INFP que se aproxima da maturidade total deve ser capaz de reconhecer que, às vezes, o estímulo incondicional da liberdade de expressão individual simplesmente não é prática do ponto de vista do gerenciamento de recursos e que, para a sociedade (ou qualquer outra organização) funcionar de forma significativa como uma unidade, algum grau de individualidade pessoal deve, às vezes, ser sacrificado.

No entanto, os INFPs continuam desconfiados de qualquer sugestão de que as pessoas sejam “forçadas a se encaixar” ou de alguma forma obrigadas a se conformar com qualquer coisa que viole sua sensação de liberdade de escolha ou de identidade pessoal. À medida que Te começa a equilibrar essa atitude, os INFPs perceberão gradualmente que realmente criar o mundo utópico ideal que eles imaginam tão naturalmente exigirá prestar atenção a algumas questões práticas, ou seja, alguma forma de avaliação objetivamente impessoal e que isso não precisa entrar em conflito com seus ideais – pode, de fato, apoiá-los e ajudá-los em sua busca para estar bem com o mundo.

E, mesmo que nunca encontrem perfeição, pelo menos terão um certo grau de sucesso mensurável para o qual se dirigir – e essa pode ser a única maneira de se sentir satisfeito em um mundo que nunca mais estará à altura dos ideais perfeitamente harmoniosos para os quais Fi vive.

Anúncios

Deixe uma resposta

Powered by WordPress.com. Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: