Eneagrama 5: O Investigador

Publicado por

Este guia visa apresentar a teoria e tipologia do Eneagrama. Os posts serão traduções e adaptações do original, que merece todos os créditos: The Enneagram Institute e os livros de Riso-Hudson

 

Agora temos um Grupo no Facebook

Relação estimada com a Tipologia MBTI

Enea Jungian Functions MBTI Types
Cinco Pensamento Introvertido ou Intuição Introvertida Frequentemente INTP, INTJ, ISTP, INFJ, ISTJ
Esporadicamente INFP, ISFP, ENTJ
Raramente ESTJ, ENTP, ENFP, ENFJ, ESFJ, ISFJ, ESTP, ESFP

Tipo Cinco: O Investigador

Saudável

Observa tudo com extraordinária percepção e atenção. São mentalmente alertas, curiosos, têm uma inteligência de busca: nada escapa à sua atenção. Mostram habilidades de previsão e projeção. Capaz de se concentrar: ficar absorvido no que chamou a atenção deles.

Bom domínio de qualquer área de seu interesse. Excitado pelo conhecimento: muitas vezes se tornam especialistas em algum campo. Inovador e inventivo, produzindo trabalhos extremamente valiosos e originais.

Altamente independente, idiossincrático e caprichoso. No seu melhor: tornam-se visionários, compreendendo amplamente o mundo enquanto o penetra profundamente. De mente aberta, vê as coisas no seu verdadeiro contexto. Faz descobertas pioneiras e encontra formas totalmente novas de fazer e perceber as coisas.

Mediano

Começa a querer conceitualizar tudo antes de agir – resolver as coisas apenas em suas mentes: construção de modelos, preparação, prática, coleta de recursos. Estudioso, adquirindo técnica.

Torne-se especializado e, muitas vezes, “intelectual”: envolvimento em pesquisas e teorias de construção. Cada vez mais destacados à medida que se envolvem com ideias complicadas ou mundos imaginários.

Torna-se mais preocupado com suas visões e interpretações em vez de realidade. São fascinados por assuntos raros e esotéricos, mesmo aqueles que envolvem elementos obscuros e perturbadores.

Destacado do mundo prático, uma “mente desencarnada”, embora forte e intensa. Começa a tomar uma posição antagônica em relação a qualquer coisa que interfira com seu mundo interior e visão pessoal. Torna-se provocativo e abrasivo, com visões intencionalmente extremas e radicais. Cínico e argumentativo.

Não saudável

Torna-se recluso e isolado da realidade, excêntrico e niilista. Altamente instáveis ​​e temerosos de agressões: rejeitam e se afastam dos outros e de todos os apegos sociais.

Sentir-se obcecado com suas idéias ameaçadoras, ficando horrorizado, delirando e dado à grandes distorções e fobias. Busca o esquecimento, eles podem cometer suicídio ou ter uma ruptura psicótica com a realidade. Delirante, explosivamente autodestrutivo, com conhecimentos esquizofrênicos.

Motivações-chave

Quer ser capaz e competente, dominar um conjunto de conhecimentos e habilidades, explorar a realidade, permanecer inalterado pelos outros, reduzir suas necessidades.

Visão geral dos Cinco

A conexão entre gênio e loucura tem sido debatida há muito tempo. Estes dois estados são realmente pólos separados, as extremidades opostas do espectro de personalidade. O gênio é alguém que funde o conhecimento com a visão da natureza da realidade, alguém que tem a capacidade de ver as coisas com total clareza e com uma compreensão impressionante.

O que separa o gênio do louco é que o gênio, além de idéias extraordinárias, tem a habilidade de vê-las corretamente, dentro do contexto em que estão.

O gênio percebe padrões que estão realmente presentes, enquanto o louco impõe padrões, projetando percepções errôneas em cada circunstância.

O gênio às vezes parece estar fora de contato com a realidade, mas apenas porque ele ou ela opera em um nível mais profundo. O louco, no entanto, está realmente fora de contato com a realidade, tendo apenas delírios para substituí-la.

O Cinco é o tipo de personalidade que mais exemplifica esses extremos. Nos Cinco, vemos o gênio e o louco, o inovador e intelectual, o viciado em drogas ligeiramente excêntrico e o esquizoide delirante profundamente perturbado. Para entender como esses estados amplamente diversos fazem parte do mesmo tipo de personalidade é entender o Cinco.

Cincos são membros da Tríade de Pensamento. Seu problema potencial resulta do fato de que eles enfatizam pensar sobre fazer, se envolver intensamente com seus pensamentos. Cincos pensam tanto que seu mundo mental se torna todo absorto, virtualmente até a exclusão de tudo o mais. Isso não quer dizer que Cincos não façam nada, mas que eles estão mais em casa em suas mentes, vendo o mundo de um ponto panorâmico e destacado, do que estão no mundo da ação.

Os três membros da Tríade de Pensamento – Cincos, Seis e Setes – concentram sua atenção no mundo fora de si. Isso pode parecer contrariar a afirmação de que Cincos estão absorvidos em seus pensamentos, mas na verdade não o faz.

Cincos concentram sua atenção no mundo externo por uma variedade de razões, uma das mais importantes é que o material que eles pensam, vem através de suas percepções sensoriais – a precisão de que eles nunca podem estar completamente seguros porque não estão certos sobre o que está fora de si. René Descartes provavelmente era um Cinco.

A única coisa que eles sabem com certeza são seus próprios pensamentos. Assim, o foco de sua atenção é externo, no meio ambiente, ao mesmo tempo emque se identifica com seus pensamentos sobre o meio ambiente.

A fonte de muitos de seus problemas é sua necessidade de descobrir o quanto suas percepções da realidade, e a realidade em si, são similares, para que assim possam agir nela e fazer as coisas com confiança.

Cincos possuem problemas com a segurança e a ansiedade como os outros dois membros da Tríade de pensamento, os Cincos medianos tendem a ter problemas com a insegurança porque temem que o ambiente seja imprevisível e potencialmente ameaçador.

Além disso, eles se sentem impotentes para se defender contra os muitos perigos do mundo: eles acreditam que eles não são capazes de funcionar tão bem como outros e, assim, tornam sua prioridade número um para adquirir as habilidades e conhecimentos que eles sentem serem necessários para que eles possam operar adequadamente na vida.

Seu medo básico, de ser indefeso e incapaz, influencia seu comportamento de maneiras significativas. Cincos acreditam que seus recursos e capacidades pessoais são limitados, então eles respondem a sua ansiedade ao reduzir suas atividades e necessidades. Quanto mais ansiosos se sentem, mais eles minimizam suas necessidades.

Embora essa possa ser uma abordagem sensata aos problemas às vezes, os Cincos ansiosos podem se reduzir a viver em condições extremamente primitivas para aliviar seus medos de inadequação. Naturalmente, dada esta orientação, Cincos se sentem facilmente sobrecarregados pelas necessidades dos outros, e tenta evitar situações em que outros esperem mais do que se sentem capazes de dar.

À medida que seus medos aumentam, Cincos começam a “encolher” do mundo e de conexões com outros. Quando Cincos são saudáveis, eles são capazes de observar a realidade tal como é e são capazes de compreender fenômenos complexos de relance porque estão participando da vida e testando suas percepções.

Em sua busca por segurança, no entanto, as percepções de Cincos até mesmo comuns tendem a tornarem-se distorcidas. O seu pensamento torna-se mais complicado, elaborado e cada vez mais alimentado pela ansiedade.

À medida que se retiram do mundo, faz com que seja alimentados os seus medos de que não podem lidar com o mundo. Eventualmente, mesmo os requisitos básicos de vida parecem esmagadores e assustadores. E se eles se tornam não saudáveis, Cincos são o tipo de pessoas que se separam da maioria dos contatos humanos.

Uma vez isolados, eles desenvolvem suas ideias excêntricas em extremos tão absurdos que ficam obcecados com noções completamente distorcidas sobre si mesmos e sobre a realidade. Em última análise, as Cincos pouco saudáveis ​​ficam totalmente aterrorizadas e presos pelas visões ameaçadoras que criaram em suas próprias mentes.

O problema com a ansiedade, uma das questões comuns aos tipos de personalidade da Tríade do Pensamento, está relacionado à dificuldade de perceber objetivamente a realidade. Eles têm medo de permitir que alguém ou qualquer coisa os influencie ou seus pensamentos.

Porque eles duvidam de sua própria capacidade de agir, eles temem que as intenções dos outros os dominem ou que as pessoas que são mais poderosas do que eles, os controlará, manipulará ou as possuirão. Ironicamente, no entanto, mesmo os Cincos medianos não ligam de serem possuídos por uma ideia, desde que a ideia tenha se originado dentro deles.

Nada deve permitir influenciar o seu pensamento, a fim de que o seu senso de confiança em desenvolvimento não seja diminuído, embora confiando apenas em suas próprias ideias e percepções, e sem testá-las no mundo real, Cincos pode tornam-se profundamente fora de contato com a realidade.

O resultado disso, é que os Cincos mediano decaem para o nível não saudável. Cincos são incertos, independentemente de suas percepções sobre o meio ambiente serem ou não válidas. Eles não sabem diferenciar o que é real e o que é o produto de suas mentes.

Eles projetam seus pensamentos ansiosos e seus impulsos agressivos para o meio ambiente, ficando com medo das forças antagônicas que parecem estar dispostas contra eles. Eles gradualmente se convencem de que sua interpretação peculiar e cada vez mais escura da realidade é a maneira como as coisas realmente são.

No final, eles ficam tão aterrorizados que não podem agir mesmo que sejam consumidos pela ansiedade. A base de sua orientação para o mundo está no pensando. Os Cincos são talvez mais precisamente caracterizados como um tipo de pensamento subjetivo porque o objetivo de seu pensamento nem sempre é introvertido (ou seja, direcionado para si);

Em vez disso, é dirigido muitas vezes para o ambiente, para o que Cincos querem entender para que eles possam estar mais seguros Sobre aquilo. O impulso para o seu pensamento vem, como diz Jung, do “fator subjetivo”, de sua necessidade de saber o que está fora de si, bem como de sua ansiedade quando eles não entendem o meio ambiente.

É por isso que pensar é o método em que os Cincos usam ambos para se encaixar no mundo e, paradoxalmente, defender-se contra ele. Um dos resultados do caminho que Cincos seguem, é que mesmo os saudáveis ​​não estão profundamente enraizados na experiência visceral.

Eles são o tipo de pessoas que conseguem uma grande quantidade de quilometragem intelectual com pouca experiência, porque sempre acham algo de significado onde os outros vêem pouco ou nada. Isso pode os levar a grandes descobertas.

No entanto, quando param de observar o mundo e concentram sua atenção em suas interpretações, Cincos começam a perder contato com a realidade. Em vez de manter uma mente aberta enquanto observam o mundo, eles se envolvem demais com seus próprios pensamentos e sonhos.

Isso os leva mais longe do mundo da ação construtiva – a própria arena em que sua autoconfiança precisa se desenvolver. Eles podem passar muito tempo a brincar com ideias, fantasias ou visões de realidades alternativas que quase não têm impacto prático sobre suas vidas, deixando-os mais temerosos sobre si mesmos e se sentindo mais vulneráveis ​​às predações do mundo.

A dinâmica dos Cinco

A Direção de Desintegração

Os Cincos, na direção de desintegração, vão em direção ao Eneagrama 7.

Os Cincos vão para o Sete começando no Nível 4 de desenvolvimento, onde sob estresse começará a exibir muitas das qualidades de Setes medianos à não saudáveis. O Cincos medianos tendem a recuar da conexão com outros e de atividades no mundo que eles temem que não serem capazes de lidar.

Assim, eles se tornam cada vez mais estreitos em seu foco e preocupações. O movimento em direção ao Sete pode ser visto como uma reação inconsciente a esse encolhimento do mundo dos Cinco.

No Nível 4, Cincos estarão concentrando suas energias em estudar, praticar e preparar. Eles não se sentem confiantes para entrar na arena da vida e acreditam que o desenvolvimento de seus conhecimentos e habilidades lhes dará a proteção que precisam para sobreviver.

Juntamente com isso, no entanto, vem um desejo de variedade e uma agitação de mente característica do tipo Sete. Também como Setes, Cincos neste nível estão constantemente adquirindo informações, construindo suas coleções de música, livros e vídeos, ou qualquer outra coisa que atenda ao seu interesse.

Eles passam de um tópico para outro, procurando o assunto que os satisfará, por um projeto no qual eles realmente podem se envolver. Mas nesse estado de inquietação, nenhuma das suas perseguições é inteiramente satisfatória para eles.

No nível 5, Cincos tornam-se ainda mais preocupados e envolvidos com seus projetos e ideias. Eles estão começando a isolar-se socialmente e se concentrarem mais em seus pensamentos do que no mundo ao seu redor.

Cincos começam a ficar famintos por estimulação, e sob o estresse podem começar a envolver-se com uma grande variedade de experiências que não se relacionam diretamente com seus projetos ou motivações centrais. Eles se distraem com videogames, filmes. livros e novelas de ficção científica e horror.

Eles adoram deixar suas mentes livres e associar-se, e podem desfrutar de momentos de idiotismo e humor pouco frequente que muitas vezes surpreendem as pessoas ao seu redor. Cincos sob estresse também podem desenvolver um gosto pela vida noturna, explorando restaurantes, bares e discotecas, ou muitas vezes observando à vida das pessoas nas mídias sociais e internet – muitas vezes apenas como voyeurs. Eles geralmente serão secretos sobre isso, no entanto, e apenas alguns poucos amigos seus estarão conscientes desse aspecto de suas vidas. À medida que a ansiedade aumenta, o mesmo acontece com seu desejo de distração e estimulação.

No nível 6, Cincos começam a ficar mais temerários e desesperados em encontrar um nicho para si. Eles passam a sentirem-se ameaçados pela maior parte das interações com os outros e podem ser antagônicos e provocativos em defesa de seu “relvado” intelectual ou criativo.

Eles se entregam em alta velocidade para evitar a ansiedade e podem ser insensíveis e agressivos na busca de tudo o que eles querem no Tempo. As qualidades cansadas e calosas dos Sete apenas reforçam o cinismo crescente dos Cincos, tornando-os impacientes com as pessoas e extremamente endurecidos em sua visão do mundo.

Alguns podem achá-los selvagens e excitantes neste nível, mas a maioria das pessoas é repudiada por sua energia intensa e eriçada. Além disso, Cincos Sob estresse não hesitará em usar drogas ou álcool para afastar suas ansiedades. Eles irão buscar o que lhes oferece alívio de suas dores e medos, mesmo que sua fuga seja dispendiosa e de curta duração.

No Nível 7, os Cincos pouco saudáveis ​​serão extremamente isolados, cortados do contato com os outros e do mundo e, conseqüentemente, não têm saídas construtivas para sua intensidade interior.

Quando eles vão em direção ao tipo Sete nesse nível de desenvolvimento, eles descarregam esta energia em uma variedade de comportamentos escapistas, que só os torna mais dissipados e incapazes.

Cincos não saudáveis ​​se desprendem, entrando num estado isolado e temível para uma atividade selvagem. Suas mentes estão começando a ficar fora de controle, e quando elas não podem mais conter seu medo, essa enorme turbulência mental é agitada de forma impulsiva e muitas vezes irresponsável.

Para apaziguar seu medo e ansiedade, eles se voltam em atividades insensíveis, pelo qual conseguem apenas se meterem em piores problema e conflitos mais sérios com o meio ambiente. Eles serão irracionais, tendo um julgamento extremamente fraco e fazendo escolhas precárias sobre quais ações tomar. Quando outros questionam seu escapismo autodestrutivo, suas respostas podem ser abusivas e infantis.

No Nível 8, Cincos estão cheios de terrores e não podem distinguir as imagens horríveis que irromperam do inconsciente da realidade. Sob o estresse aumentado, seu comportamento torna-se maníaco e imprudente. Mais perto do tipo Sete não saudável agora, Cincos deterioram-sem ficando totalmente fora de controle.

Algumas das coisas terríveis que temem podem realmente acontecer como resultado de seu comportamento errático e irresponsável. E tão temerosos quanto Cincos se tornaram, muitas vezes são negligentes e desconhecem os perigos reais. Por exemplo, eles podem ser mortos – não porque eles sejam devorados por seus móveis ou expostos aos raios da morte de sua televisão, mas porque, não observando aonde eles estão indo, eles são atropelados por um caminhão.

Esses Cincos foram de controle são imprudentes e propensos à acidentes: eles podem ser envenenados, não pela KGB, mas porque eles erroneamente comeram algo que não deveriam ter comido.

Cincos em estado neurótico, precisam restabelecer o contato com a realidade (particularmente os aspectos positivos dela), embora neste nível eles sejam completamente incapazes de fazê-lo. Eles agem de forma impulsiva, errática e histérica, como um Sete maníaco-depressivo, tornando-se cada vez mais instável e imprevisível.

No Nível 9, os Cincos são consumidas pelo terror, e estão desesperados para escapar dos horrores que eles “percebem” ao seu redor. Da mesma forma, eles não conseguem encontrar nada em si mesmos que inspirem confiança ou lhes dê qualquer sentido de que eles serão capazes de lidar com o resto de suas vidas.

Temendo que tenham atingido algum tipo de estado horrível sem saída, eles podem compulsivamente causar danos permanente à si mesmos ou à outra pessoa. Mesmo que eles não se suicidem, suas atividades imprudentes podem ter prejudicado gravemente sua saúde e limitar sua capacidade de prosseguir outras atividades.

Como os tipos Sete não saudáveis, eles estarão debilitados, desgastados e paralisados ​​de medo. À medida que a ansiedade chega a um novo passo, eles podem fazer algo irrevogável, como homicídio impulsivo ou suicídio.

A Direção de Integração

Os Cincos vão em direção ao Eneagrama Oito, em sua direção de integração.

Cincos normalmente não sentem que eles sabem o suficiente para agir: sempre há mais para saber. Eles sempre se sentirão inseguros até dominarem o mundo real e não serem simplesmente mestres de suas próprias mentes.

Do ponto de vista psicanalítico, seus egos são tipicamente muito fracos para os ids – suas agressões e outros impulsos tendem a dominar suas mentes. Isso não mais acontece com Cincos saudáveis, pois, integram suas percepções do mundo em si mesmos, identificando-se com elas em vez de simplesmente observá-as.

Já não se identificam apenas com seus pensamentos, mas também com os objetos de seus pensamentos. Nesse ponto, a integração, fez com que o Cinco comece a superar seu medo do meio ambiente e a confiar em si mesmo e nele.

Daí a sua autoconfiança cresce, assemelhando à Oitos saudáveis. Quando eles vão para a direção de integração, Cincos também percebem que, muito pouco do que pensavam que não sabiam, na verdade eles sabem.

Eles também percebem que não precisam saber absolutamente tudo antes de poderem agir. Eles aprenderão mais enquanto estiverem fazendo as coisas; Eles serão capazes de resolver novos problemas à medida que surgem. Eles entendem que saberão o que precisam saber na hora em que o evento ocorrerá.

Sua confiança não virá de uma coleção de habilidades ou de um vasto conjunto de informações que eles memorizaram, mas de uma conexão real com sua presença no mundo.

Eles então não se sentem mais separados do mundo, não como uma sombra desamparada, mas como uma parte poderosa e integral dele.

Cincos integrados atuam a partir da realização de seu próprio domínio genuíno. Embora eles não saibam tudo, eles sabem o suficiente para levar a vida, superar seus desafios com confiança, e a lidar com outras pessoas com naturalidade.

A correção de suas ideias foi tão bem confirmada pela realidade que eles não mais temem agir. Eles adquirem a coragem necessária para colocar suas ideias e, conseqüentemente, na linha.

Assim, Cincos ao se integrarem percebem que eles são capazes de contribuir com algo que vale a pena para outros. Como resultado, seus pensamentos são finalmente expressos em ação e possivelmente em liderança. Esses Cincos integrados mostram aos outros como fazer o que só eles sabem fazer. E, como já vimos, o valor prático de suas ideias pode ser incalculável.

Pensamentos Finais

Tomando uma visão geral dos Cinco, podemos ver que houve uma luta entre vários pares de opostos polares: entre pensar e fazer, entre um fascínio com o mundo e um medo do mundo, entre a identificação com os outros e rejeição deles, entre amor e ódio.

Esse processo de atração e repulsão do meio ambiente como um todo começou com sua ambivalência em relação aos pais. Mas, infelizmente, o que acontece é que Cincos gradualmente se tornaram tão obcecado com a defesa de ameaças potenciais do meio ambiente – isto é, de qualquer coisa que considerem prejudicial e perigoso – que também excluem o bom.

Eventualmente, caso não haja nada no mundo com o qual os Cincos possam se identificar, nada de verdade ou valioso em que eles possam acreditar, o resultado final seria o niilismo total: não há nada a que possam se conectar.

Como qualquer outro tipo de personalidade que se agarra na espiral descendente da neurose, Cincos acabam atraindo a própria coisa a qual eles mais temem: sentirem-se desamparados, inúteis e incompetentes.

A ironia é que eles se tornaram indefesos e incompetentes porque rejeitaram o apego a tudo. E intensificando seu envolvimento com seus processos mentais, em vez de encontrar segurança ou poder, Cincos causaram sua própria insegurança e impotência.

É um fim trágico. Se há algo perverso e sombrio – mesmo demoníaco – sobre Cincos, é para se proteger, eles repeliram implacavelmente o mundo e outros seres humanos. O que é então deixado? Apenas um fascínio e uma atração terrível pela escuridão.

Quer saber mais sobre Eneagrama? Mostre-me onde!

Anúncios

Deixe uma resposta