Anúncios

Guardiões (SJ): Concretos e Cooperativos

Este post visa explicar os 4 temperamentos descritos por David Keirsey, PhD. Para isso traduzirei partes na íntegra, adaptarei e complementarei com algumas outras informações.

Esta série de posts são traduções na íntegra do livro Please Understand Me II de David Keirsey, PhD.

Agora temos um Grupo no Facebook

Introdução

O temperamento é um conjunto de traços de personalidade observáveis, tais como hábitos de comunicação, padrões de ação, conjuntos de atitudes, valores e talentos característicos. Abrange, também, as necessidades pessoais, os tipos de contribuições que os indivíduos fazem no local de trabalho, assim como o papel que desempenham na sociedade. David Keirsey, PhD identificou quatro temperamentos básicos, são eles: Artesãos (SP)Guardiões (SJ)Racionais (NT)Idealistas (NF).

Os Cooperativos Concretos

Os SJ possuem a combinação da linguagem concreta com o comportamento cooperativo, que os separa inconfundivelmente das outras três personalidades. Essa é a sua combinação única de temperamento, e portanto, eu quero adicionar
outro nome na lista, e chamá-los de “Cooperativos Concretos”.

Apesar deles partilharem do uso concreto da linguagem com os SJs e o comportamento cooperativo com os NFs, sua linguagem difere da dos SJs, e seu comportamento é visivelmente diferente dos NFs.

Observe também que eles não têm nada de importante em comum com os NTs, que são seu oposto, pois têm comportamento utilitarista e linguagem abstrata.

Linguagem Concreta

Como os seus primos Artesãos, os Guardiões falam em sua maior parte sobre o
detalhes concretos que eles observam em seu ambiente material ou social. Eles podem ouvir educadamente a conversa sobre temas teóricos ou abstratos, mas eles tendem a não responder em espécie e mudarão para coisas mais concretas para falar sobre temas mais sólidos e sensíveis, como bens e serviços, alimentos e vestuário, créditos e débitos, preços e salários, ganhos e perdas, transporte e recreação, clima e abrigo, acidentes e desastres, ricos e pobres, famosos e infames, rádio, TV e filmes.

O discurso dos Guardiões é coerente no sentido associativo, o que significa que eles passam de um tópico para outro de forma associativa, em vez de dedutivamente
ou indutivamente, como Racionais e Idealistas respectivamente.

Quando os Guardiões são lembrados de algo, por mais distante ou não relacionado ao tema em questão, eles costuma mencionar. E muitas vezes isso os lembra de outra coisa que por sua vez puxa outro tópico… E assim a conversa vai de tópico à tópico, por contiguidade, como uma fileira de dominós, um derrubando, o próximo ao invés de vez de implicação (Se…Então…), como os intuitivos.

Tais conversas são interessantes para todos os que participam, uma vez que a cada um é
dada a vez para falar sobre o que é pertinente à sua própria vida, mas nenhum tópico é
aprofundado demais, e as questões que surgem, tendem a não se instalar por muito tempo na conversa.

SJs são muito bons nesse tipo de conversa, ao contrário dos seus opostos, os NTs, que são
muito pobres nisso.

Os Guardiões são capazes de armazenar um enorme quantidade de fatos sobre temas que lhes interessam, os quais vão relembrar e, novamente, associar livremente na conversa.

Eles podem se lembrar dos nomes das pessoas, dos aniversários, dos nomes de seus pais e filhos de amigos, como as crianças estão indo na escola, quem são os amigos de seus parentes, quem perdeu o emprego, quem recentemente nasceu ou morreu (quando e de que) a data, hora e localização de eventos familiares, sociais ou cívicos, e assim por diante, com uma informação se ligando a próxima.

Esta é uma informação concreta, referente à pessoas específicas, produtos, situações e lugares, e se presta ao valor comparativo (o que é melhor que o que) e quantidade (muito mas não o suficiente).

É o armazenamento, recuperação e associação sem esforço de tais dados que torna os Guardiões os mais confortáveis em conversar de todos os tipos.

Além de ser associativo e comparativo, o discurso do Guardião é predominantemente ortodoxo. SJs são sempre desconfiados de colocar um ar abstrato ou ter fantasias no que eles dizem.

Então eles costumam usar um vocabulário bastante convencional e frases simples, muitas vezes mencionando ditos, provérbios e adágios antigos (particularmente
sobre valor e quantidade), como “um centavo economizado é um centavo ganho”,” uma maçã ruim estraga o barril “, etc.

Os Guardiões também usam palavras e frases comuns da área em que atuam ou se interessam e da região e cultura onde cresceram.

Ao mesmo tempo, o discurso do Guardião é freqüentemente atado com admoestação. SJs
costuma alertar os outros sobre possíveis perigos, seja de se machucar: “tenha cuidado, você se machucará”. Eles também estão inclinados a advertir os outros sobre o perigo de cometer transgressões morais – “Não seria correto fazer isso”, tendem a repreender quem não os ouve.

Comportamento Cooperativo

A civilização é um conjunto de cidades, e as cidades são conjuntos de objetos. ruas,
calçadas, edifícios e transportes são todas ferramentas. E os milhões de objetos, máquinas, prédios, ruas, e meios de transporte também são ferramentas.

Agora, onde quer que existam ferramentas devem haver regras que regem o uso deles. Nossa inclinação pode ser tanto para cooperar com estas regras ou seguir nosso próprio caminho, e os SJs estão muito envolvidos com o lado cooperativo da vida.

Por exemplo, os SJ acreditam que devemos estacionar no lado direito da rua, mesmo que o lado esquerdo esteja vazio, parar nas luzes vermelhas mesmo quando não haja outros carros, ao virar, dar seta, mesmo que não haja ninguém, e assim por diante.

Cooperação, conformidade, obediência: Essas atitudes em relação às regras são muito mais importantes na consciência dos Guardiões, do de qualquer outro temperamento.

Na verdade, os Guardiões podem considerar o estilo utilitarista dos Artesãos – faça o que for preciso para finalizar o trabalho logo e conseguir o que se quer – de alguma forma anti-social e irresponsável.

Não se deve ignorar as regras apenas por divertimento ou apenas para acelerar o processo. Ignorar as regras pode funcionar por um tempo, mas seguir assim é a
estrada para a ruína.

A cooperação é o caminho mais seguro, e isso exige abrir mão de atitudes egoístas e  trabalhar com os outros numa conformidade mútua, com acordos bem definidos, serão haverá o caos.

Vamos todos cooperar uns com os outros em busca de objetivos comuns, diz o Guardião,
pois, a longo prazo, a disciplina e trabalho em equipe nos leva onde queremos chegar.

Os Guardiões trabalham duro para cumprir e fazer cumprir as leis que governam a ação,
insistindo que apenas estabelecendo e obedecendo regras e regulamentos, manteremos a ordem civil, e assim protegeremos nossas casas, comunidades, e negócios.

Os outros tipos, embora possam agradecer a alguém que está mantendo a ordem, não estão realmente interessados ​​em qualquer uma das regras e, portanto, estão dispostos à deixar esta tarefa para o sempre vigilantes Guardiões.

Os Guardiões procuram a responsabilidade do comando e não deveria ser surpresa que quase metade dos presidentes dos Estados Unidos tenham sido Guardiões, e com toda probabilidade a maioria dos oficiais de alto escalão militar e CEOs de corporações têm o temperamento Guardião.

Os SJs também se orgulham de servir em grandes júris e corpos disciplinatórios, para não mencionar carreiras policiais, oficiais de justiça, procuradores e juízes. E os Guardiões vêm equipados para todas essas atividades.

Os Artesãos podem ser conhecidos por terem sentidos altamente aguçados, mas alguns sentidos do Guardião são tão aguçados quanto, quando se trata de observar as regras. SJs sabem o que as regras dizem, onde os limites estão desenhados, e com um olho afiado, são capazes de Detectar a menor sugestão de não conformidade, o menor grau de desvio,
violação ou transgressão.

A compreensão dos regulamentos dos Guardiões é excedida apenas por sua fé na regulamentação como pedra angular da sociedade. SJs tem confiança de que a autoridade legal é o único meio adequado para sancionar ações ou resolver problemas,
e de fato, as numerosas leis, estatutos, códigos, ordenanças, estatutos e
cartas encontradas em cada comunidade ou instituição foram redigidas por Guardiões como sendo a melhor esperança de manter a ordem civil.

Além disso, os Guardiões acreditam na propriedade oficialmente registrada. O SJ não concorda com o SP que a posse é nove décimos da lei. Pelo contrário, a lei para o SJ é a única base confiável de posse. A posse ilegal – mesmo um endividamento excessivo – está muito alta na lista de males para o SJ, enquanto a propriedade legítima é algo para ser profundamente respeitado. De fato, nos aproximamos muito mais da compreender os Guardiões se pudermos ver a base fortemente reguladora para a perspectiva de fazer e
não fazer, ter e não ter, na qual eles se pautam.

 

Quer saber mais sobre os Temperamentos? Sim! Claro que quero…

Anúncios

Deixe uma resposta

Powered by WordPress.com. Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: