Racionais (NT): Características

Publicado por

Este post visa explicar os 4 temperamentos descritos por David Keirsey, PhD. Para isso traduzirei partes na íntegra, adaptarei e complementarei com algumas outras informações.

Esta série de posts são traduções na íntegra do livro Please Understand Me II de David Keirsey, PhD.

Agora temos um Grupo no Facebook

Introdução

O temperamento é um conjunto de traços de personalidade observáveis, tais como hábitos de comunicação, padrões de ação, conjuntos de atitudes, valores e talentos característicos. Abrange, também, as necessidades pessoais, os tipos de contribuições que os indivíduos fazem no local de trabalho, assim como o papel que desempenham na sociedade. David Keirsey, PhD identificou quatro temperamentos básicos, são eles: Artesãos (SP)Guardiões (SJ)Racionais (NT)Idealistas (NF).

Cada temperamento tem suas próprias qualidades e deficiências, forças e desafios. O que explica essas diferenças? Para usar a ideia de temperamento mais eficazmente, é importante entender que os quatro temperamentos não são simplesmente coleções arbitrárias de características, mas brotam de uma interação das duas dimensões básicas do comportamento humano: nossa comunicação e a nossa ação (nossas palavras e nossa ações), ou, simplesmente, o que dizemos e o que fazemos.

Os interesses dos Racionais

Todo mundo tem interesses, mas nem todos têm os mesmos interesses. Além disso, nossos interesses são alinhados com nossas habilidades, de modo que estamos interessados ​​em fazer o que fazemos bem e tendemos a fazer bem o que nos interessa fazer.

Os interesses dos Racionais são diametralmente opostos aos dos Guardiões e bem diferentes dos Artesãos e Idealistas. Isso pode ajudar a justapor os interesses dos quatro temperamentos para que as comparações possam ser facilmente feitas.

Na escola, os Racionais geralmente escolhem cursos de ciências (e matemática) e evitam as humanidades e negócios. Alguns vão tentar artes e ofícios devido à sua maneira utilitária com ferramentas, mas eles raramente ficam com uma determinada arte ou artesanato o tempo suficiente para desenvolver as habilidades necessárias para viver disso.

Enquanto preocupados com a tecnologia desde uma idade precoce, os NT raramente estão interessados ​​em moralidade (SJ) e apenas um pouco interessados ​​na manutenção da moral (NF). Por outro lado, eles vão trabalhar arduamente no aprimoramento de técnicas (SP), mas eles não são tão dedicados a isso como eles estão para a tecnologia. Na escolha de carreira, é melhor que eles trabalhem com sistemas e não materiais, ferramentas ou pessoal. Compreendemos os Racionais melhor se analisarmos atentamente seus interesses em ciência, tecnologia e sistemas.

Interesse educacional nas ciências

O desejo dos Racionais de saberem como a natureza funciona nunca acaba. Mesmo quando em seus noventa anos, se a sorte for suficiente para chegarem até lá, NTs ainda estarão estudando seus livros, observando ainda os padrões do mundo, projetando seus experimentos, ainda aprendendo o que houver para aprender sobre qualquer ciência que tenha  capturado sua atenção e interesse pela juventude.

Preocupado com a tecnologia

Os Racionais estão preocupados com a tecnologia e continuam preocupados com ela durante toda a vida. A tecnologia está relacionada à técnica, algo que os Artesãos estão preocupados – com certeza, ambas as palavras derivam da raiz indo-europeia ‘tekt’. Porém enquanto a técnica está preocupada em como executar a tarefa, ou seja, em aperfeiçoar a habilidade em realizá-la, a tecnologia está interessada em construir a própria técnica, na lógica da construção e não em realizá-la/praticá-la na realidade.

Interesse vocacional em sistemas

Os Racionais sentem-se intrigados por sistemas, sejam eles mecânicos, abstratos ou biológicos, e por todo tipo de entidades sistêmicas.  Naturalmente, qualquer organismo, seja vegetal ou animal, é infinitamente mais complexo do que qualquer máquina. Mesmo um subsistema, um mamífero, por exemplo, é muito mais complexo do que o mais moderno aeroporto. Mas de qualquer forma, independente do nível de complexidade, é a própria complexidade que intriga os NTs e convida-os a estudá-los.

A orientação dos Racionais

Nascemos em um mundo social e vivemos nossas vidas nesse campo. Nossos períodos de desorientação, devido a choques, perigos ou surpresas, são geralmente de curto prazo, após eles, rapidamente nos reorientamos e voltamos ao nosso quadro de referência social comum. Afinal, nós humanos, somos os mais sociais de todos os animais, e esse traço intenso resultou em sociedades complexas, e é nossa habilidade de viver em sociedade que cria o nosso referencial de vida.

Aqui é afirmado que os Racionais são pragmáticos sobre o presente, céticos sobre o futuro, relativistas sobre o passado, o seu lugar preferido está nas intersecções, e seu tempo preferido são intervalos, diferentemente dos outros temperamentos na maneira como eles veem essas coisas.

Examinemos de perto essas cinco dimensões de orientação para que possamos entendê-las. Não ficaremos surpresos quando nossos amigos Racionais provarem, em seu insistente pragmatismo, serem menos hedonistas (SP), por exemplo, ou menos altruístas (NF), ou menos estoicos (SJ) do que os demais temperamentos.

Pragmático em olhar ao redor

Todos os diferentes tipos de personalidade têm uma maneira diferente de ver o mundo ao seu redor.

Para os Artesãos, a perspectiva predominante é hedonista, O que significa que eles procuram ações prazerosas no aqui e agora.

Já os Guardiães são estoicos em perspectiva, dando o máximo de si para suportar os fardos da vida e manterem um olho nas necessidades e responsabilidades atuais de outros.

E os Idealistas são altruístas nesta questão, sempre preocupados com os outros, dando tudo de si para aqueles que se preocupam.

A perspectiva dos Racionais não é como nenhuma dessas. Assim, eles vão para o que poderia ser chamado de “mini-max”, soluções que que trazem resultados máximos para um esforço mínimo. Mínimo esforço, não porque sejam preguiçosos – isso nunca poderia ser -, mas porque o esforço desperdiçado os incomoda demais.

Para NTs, os outros tipos, os SPs, SJs, e NFs, parecem relativamente pouco claros sobre seus objetivos, e incapazes de realizar os objetivos por meios eficazes, de modo que eles sentem que é necessários selecionar ou conceber as ferramentas mais eficientes, materiais, e ações possíveis para garantir que o objetivo seja atingido.

A eficiência é sempre o foco dos Racionais. Eles são obsessivos por eficiência, em todos os momentos, onde quer que estejam, não importa o que façam, não importa com quem estejam interagindo.

Os Racionais consideram os costumes sociais nem de forma respeitosa, nem sentimentalmente, mas, novamente, pragmaticamente, como algo útil para decifrar as lições da história, e assim evitar erros. (Os NTs ouvem o aviso de que “Aqueles que ignoram as lições da história estão condenadas a repeti-las “, e eles têm um horror de repetir erros). Por isso, desde cedo os NTs são naturalmente desinteressados na tradição e costumes, não deve ser surpresa que eles abandonem prontamente o costumeiro em prol do que funciona na prática.

Cético em relação ao futuro

Em sua antecipação das coisas por vir, os Artesãos (SP) são otimistas, os Guardiões (SJ) são pessimistas, esperando armadilhas, e os Idealistas (NF) são crédulos, esperando o melhor das pessoas.

Os Racionais são surpreendentemente diferentes em suas antecipações: eles são céticos, e assim esperam que todos os empreendimentos humanos, mesmo os seus próprios, estejam sujeitos a erros.

Para um NT, nada pode ser assumido como correto. Tudo é incerto e vulnerável a erros – inclusive a evidência dos sentidos, todos os procedimentos e produtos, meios e fins, observações e inferências – e, portanto, todos devem ser cautelosos. Isso é o que ceticismo é, uma atitude de dúvida sobre se aparências ou crenças são confiáveis.

Relativístico ao olhar para o passado

Os diferentes temperamentos têm diferentes maneiras de olhar para o passado, seja refletir sobre eventos passados, de chegar a um acordo com as coisas que aconteceram, especialmente aquelas coisas que não resultaram bem.

Os Guardiões são fatalistas sobre seus problemas, os Idealistas são místicos, e os Artesãos cínicos.

Mas para os Racionais, mesmo que às vezes possam usar qualquer uma dessas maneiras de racionalizar o passado, são muito mais frequentemente relativistas em sua retrospectiva. Para Racionais, eventos não são em si mesmos bons ou maus, favoráveis ​​ou desfavoráveis. Está tudo na maneira como se olha para as coisas, eles dizem – tudo é relativo à referência. A realidade, como a verdade e a beleza, estão nos olhos do espectador.

O lugar é a interseção

Os Racionais não vêem os lugares como simplesmente posicionados no espaço. Com o olho sempre nas relações entre as coisas, eles estruturam o espaço como se estivessem fazendo um mapa ou traçando um gráfico – como uma rede bidimensional, com um eixo “x” e “y” – e eles definem um lugar como a junção de estas duas coordenadas independentes, o ponto em que essas duas linhas se cruzam.

“Eu vou encontrá-lo na esquina da rua X com a Y é uma expressão bastante comum, indicando o ponto que se cruzam duas dimensões , e para um Racional é essa interseção que define o “lugar”. Nem se limitam a duas dimensões, muitas vezes adicionando uma terceira, especificando “no quinto andar”, e para terminar de definir o evento, eles podem adicionar a quarta dimensão (tempo): “às quatro da tarde”.

Com tal orientação, o Racional tem pouco tempo e não tem interesse em outras orientações espaciais, como os “centros” para o Artesão, as “passagens” do Guardião e os “caminhos” para o Idealistas. É essa atitude sobre espaços e lugares que provavelmente seja mais intrigante para outros temperamentos do que qualquer outra das estranhas formas de interpretação da realidade do Racional.

O Tempo é o intervalo

Os outros tipos tendem a ver o tempo como uma linha ou um fluxo que flui de ontem (o foco dos Guardiões), através do agora (o foco do Artesãos), e em direção ao amanhã (o foco dos Idealistas).

Mas não os Racionais. Para eles o tempo não existe como uma linha contínua, mas como um intervalo, um segmento confinado e definido por um evento. Somente os eventos possuem tempo, tudo mais é atemporal.

Em certo sentido, o foco dos Racionais está fora do tempo, como é ordinariamente compreendido, e é nesse sentido que podem ser considerados atemporais.

Instintivamente, se não deliberadamente, prestam atenção ao dito de Einstein
Os eventos não acontecem no tempo, ao invés disso o tempo são os eventos, pois cada corpo de referência (sistema de coordenadas) tem seu próprio tempo particular, a menos que nos digam o ponto de referência a que se refere a declaração de tempo, não há significado em uma declaração do tempo de um evento.

A Autoimagem dos Racionais

Todos nós temos um conceito de nós mesmos composto de coisas que acreditamos sobre nós mesmos. Três aspectos da nossa autoimagem, ou “auto-conceito”, como é ás vezes chamado, são de especial importância para determinar quão bem estamos à respeito de nós mesmos: autoestima, autorrespeito e autoconfiança.

Para todos os temperamentos, incluindo os Racionais, acho que a autoimagem é algo triangular, as três bases de autoestima que nos afetam. Assim, quando nossa autoestima aumenta, este incremento tende a reforçar o nosso respeito próprio, e sendo assim, a autoconfiança. Da mesma forma, à medida que ganhamos em autoestima, torna-se menos difícil de manter nossa autoconfiança e autoestima.

Autoestima na engenhosidade

Os Racionais orgulham-se de sua engenhosidade em realizar as muitas e variadas tarefas que estabeleceram suas mentes. Na verdade, a engenhosidade é tão importante para a autoestima dos Racionais, como a arte para os Artesãos (SP), a confiabilidade para os Guardiões (SJ) e a empatia para os Idealistas (NF).

Não importa se a tarefa seja projetar uma máquina ou experimento, desenvolver uma teoria ou um plano de longo alcance, construir um computador ou um negócio. O grau de inventividade que eles trazem à essas tarefas é a medida de sua engenhosidade e, portanto, a medida de seu orgulho em si próprios.

Autorrespeito na autonomia

Enquanto a engenhosidade é a base da autoestima do Racional, a autonomia é a base dp seu autorrespeito. Tanto quanto possível, às vezes mesmo tendo consequências, os Racionais desejam viver de acordo com suas próprias leis, ver o mundo pelas suas próprias luzes, e respeitarem-se no grau em que agem de forma independente, livre de toda coerção.

Individualistas, os NTs resistem qualquer esforço para impor regras arbitrárias sobre eles. Na verdade, eles preferem ignorar qualquer lei, regulamento ou convenção que não faça sentido para eles, embora estejam dispostos a obedecer aquelas que façam.

Autoconfiança na resolução

As Racionais são autoconfiantes na medida em que sentem em si mesmos a força de vontade ou uma resolução inabalável. Os Racionais sabem, por exemplo, que não podem controlar funções involuntárias, tais como desejo sexual, digestão, doenças, e assim por diante. Porém, o involuntário é, por definição, não sujeito à vontade, mas deve ocorrer espontaneamente.

E ainda, embora eles saibam que algumas coisas devem acontecer por si mesmas, os Racionais podem temer esta perda de controle. É por isso que tantos NTs desenvolvem medos irracionais, especialmente de germes e outras formas de sujeira, algo que eles não têm controle sobre.

Embora tenha tendência a prejudicar o seu desempenho, a determinação é de extrema importância para eles que, sob estresse, não têm escolha senão invocar a sua vontade e esforçarem-se ainda mais.

Os Valores dos Racionais

Os diferentes tipos de temperamento diferem no que eles valorizam. Assim, eles podem diferir em seu humor preferido, no que eles depositam sua confiança, em que desejam, no que procuram continuamente, o que mais gostam, e no que eles aspiram.

É no domínio dos valores que os Racionais separam-se mais claramente dos outros tipos, e em particular dos Guardiões (SJ). Onde os Guardiões valorizam a preocupação, os Racionais valorizam a calma; Onde os Guardiães confiam na autoridade, os Racionais confiam na razão; Onde os Guardiões anseiam por pertencer, os Racionais anseiam por conquistas; Onde os Guardiães buscam segurança, os Racionais procuram conhecimento.

Essas diferenças de valores são tão extremas que nos servirão para estudar todos os seis valores Racionais em algum detalhe, dessa forma, não nos surpreenderá encontrá-los, menos generosos, menos autoritários ou menos entusiasmados do que nós.

Preza ser calmo

O humor preferido de Racionais, é um de calma.

Os Artesãos (SP) gostam de ficarem animados, os Guardiões (SJ) provavelmente se preocupam com suas responsabilidades, e os Idealistas (NF) dão importância ao entusiasmo.

Já os Racionais preferem permanecer calmos, frios e coletados. E se não puderem anular esses componentes emocionais, eles vão tentar arduamente evitar deixar a sua preocupação e emoção atrapalhar, ou dar um show de entusiasmo.

SPs, SJs, e NFs ficam perplexos diante desta aparente calma em circunstâncias difíceis do que qualquer outra característica dos NTs. Na verdade, como eles são relutantes em expressar emoções ou desejos, os NTs são muitas vezes criticados por serem insensíveis e frios. No entanto, o que parece ser indiferença não é indiferença, mas o pensamento, introspecção, e a concentração do investigador contemplativo.

Assim como os investigadores eficazes cuidadosamente mantém seus sentimentos em cheque e avaliam suas ações para que elas não perturbem suas investigações ou contaminem os seus resultados, do mesmo modo, os Racionais são propensos a examinar e controlarem-se da mesma maneira deliberada, tomando cuidado para evitar o efeito de seus próprios desejos, emoções e expectativas em suas observações.

Mas não se enganem, apesar de se deterem em qualquer exibição exacerbada de emoção, os Racionais não são as pessoas frias e distantes que são muitas vezes parecem.

Por um lado, eles podem ficar bastante intensos e pressionados sobre assuntos sob seu controle (e há poucas coisas que eles admitem não poder controlar), tornando-se muito estressados quando pensam não serem capazes de resolver um problema se assim decidirem. Para outro lado, são românticos enrustidos, seus sentimentos são tão variados e fortes quanto aqueles de outros tipos, embora novamente, e mais do que eles, Racionais tendem a mantê-los firmemente em cheque.

Confiança na razão

A única coisa que os Racionais confiam incondicionalmente é a razão – tudo o mais apenas sob certas condições. Assim, eles confiam em seguida em sua intuição, em seus impulsos confiam ainda menos, e eles tem total desconfiança em “autoridades”.

Anseiam por conquistas

Uma das coisas mais importantes a se lembrar sobre Racionais, é que eles anseiam por realização. Alguns podem supor que esses tipos aparentemente calmos e contemplativos não têm desejos. Mas debaixo desse exterior calmo, há uma sede em conquistar seus objetivos, independentemente de quais os objetivos que eles próprios fixaram. Enquanto NTs preferem adquirir know-how, e gostariam de serem engenhosos, eles desejam também conquistar, e seu desejo nunca é totalmente satisfeito.

Porque sua fome para a realização pressiona-os constantemente, Racionais vivem focados em seu trabalho. Para eles, o trabalho é trabalho e o jogo é trabalho.

Condenar um NT a ociosidade seria o pior tipo de punição. Contudo, os Racionais não trabalham tanto pelo prazer da ação (como os Artesãos), nem para a segurança que um trabalho oferece (como os Guardiões), nem para ajudar os outros (como os Idealistas), os Racionais trabalham com o único desejo em atingir os seus objetivos.

De fato, uma vez envolvidos em um projeto, tendem a serem relutantes, se não incapazes, de limitar seu compromisso de tempo e energia. Infelizmente, neste ponto eles podem ser excessivamente exigentes de si mesmos e dos outros, estabelecendo padrões muito altos e tornando-se bastante tensos sob estresse. Não é de admirar que NTs frequentemente tem sucesso em seu campo escolhido.

Buscando conhecimento

Enquanto os Artesãos vão em busca de estímulos, os Guardiões em busca de segurança, e os Idealistas de sua própria identidade, os Racionais estão à procura de conhecimento.

O conhecimento para os Racionais nunca é meramente especulativo. Quando NTs perguntam “porque?”, eles estão realmente perguntando “como?” e não “porque?”

Perguntar por que o céu é azul, por que a água é “molhada”, por que uma alavanca tem mais poder, não é para ouvirem o significado dessas coisas (algo que preocupa muito seus primos abstratos, os Idealistas). As perguntas dos Racionais são sobre o por que dessas coisas tomarem a forma que tomam, sobre como as coisas são e a descrição da estrutura e função de tudo.

Prezam deferência

O que agrada a um tipo de pessoa pode não ser tão agradável outro. Os Artesãos sentem-se bastante satisfeitos com o tratamento generoso, Guardiões com a gratidão, Idealistas em serem reconhecidos por seus “Eus” únicos.

Certamente os Racionais não são indiferentes à generosidade, à gratidão ou a individualidade, só que eles ficam muito mais satisfeitos quando um admirador os pede para comentar sobre algo que ele tenha produzido, especialmente se o pedido é para uma exposição de sua lógica.

Os NTs consideram que essa deferência não é dada tanto a si mesmos por eles mesmos.
Portanto, mesmo se eles não sejam especialmente brilhantes, é de se esperar que suas produções tenham sido cuidadosamente planejadas, com prós e contras tratamento detalhado dos possíveis erros.

Mas os Racionais não podem pedir deferência, assim como os Guardiões não podem pedir apreciação, ou Idealistas, o reconhecimento. Deve chegar até eles espontaneamente, por interesse em seu trabalho.

E, claro, se por sua ver que eles não conseguiram realizar algo que consideram digno de nota, então eles não desejam ser perguntados a respeito. Seu problema é que sua realização é muitas vezes tão altamente técnica – o projeto de um chip de computador, por exemplo – que a maioria das pessoas são apenas vagamente conscientes do quão difícil foi fazer, e por isso têm pouca ou nenhuma razão para reconhecer e dar crédito ao seu criador.

Assim, a grande maioria dos Racionais que conseguem alcançar algo grande são heróis públicos desconhecidos e, portanto, heróis apenas para sua família ou seus colegas – e talvez em seus próprios olhos.

Aspirando para ser um feiticeiro

Como os Racionais valorizam o intelecto estratégico tão altamente, eles tendem a tomar como seu ídolo o assistente tecnológico, especialmente o gênio científico.
Sendo assim, aspiram serem magos no sentido de serem dono de um poder mágico sobre a natureza, e na busca unânime dos objetivos da ciência: a previsão e o controle dos eventos, e a compreensão e explicação de seus contextos. “Abra” um Racional, e encontrá um cientista; Mas vislumbrem a figura que os Racionais aspiravam a tornar-se, e verão um mago.

Os Papéis Sociais

Existem dois tipos de papéis sociais, aqueles que são atribuídos a nós em virtude de nossa posição em nosso meio social, e aqueles que alcançamos e tomamos para nós mesmos. Nós, forçosamente, seremos filhos, irmãos e irmãs e faremos parte de uma família a qual não foi escolhida.

Por outro lado, escolhemos ser companheiros para o nosso cônjuge, pai para a nossa prole, superior aos nossos subordinados, subordinados aos nossos superiores, amigos para os amigos, e assim por diante.

Sendo assim, não temos escolha senão promulgar nossos papéis, nas interações com outros nunca podemos ser totalmente livres de interpretarmos papéis.

A “Mente-Gêmea” (Mindmate)

Compartilhar com seus cônjuges o que eles têm em suas mentes é de suma importância para os Racionais. Eles são propensos a iniciar discussões com seus companheiros sobre uma grande variedade de tópicos e persegui-los até que a questão fique clara, havendo acordo ou não.

As questões que perseguem são quase sempre abstratas e não concretas – como teorias políticas e economias, questões éticas e religiosas, epistemologia e linguística e, é claro, descobertas na ciência e na tecnologia, embora essas teorias sejam geralmente demasiado teóricas para compartilhar quando o companheiro não se interessa por assuntos mais abstratos e profundos.

Seu desejo de partilhar ideias intelectuais coloca limites ao tipo de companheiro que os Racionais estão aptos a escolher. O desejo não será cumprido caso relacionem-se com Guardiões ou Artesãos, nenhum dos quais está disposto a perseguir tópicos abstratos recorrentemente ou por mais de alguns minutos.

Portanto, se o desejo de compartilhamento intelectual for o critério para escolher um companheiro,  será mais prudente em escolher outro Racional ou um Idealista. Por outro lado, se por alguma razão o papel Mindmate não for tão importante, os Racionais têm tanta margem de manobra quanto outros tipos para encontrar seu companheiro, embora escolhendo os tipos mais amigáveis, Guardiões Conservadores (ESFJs e ISFJs) e Artesãos Improvisadores (ESFPs e ISFPs), provavelmente implicará menos conflito conjugal.

Os Racionais geralmente abordam a seleção de parceiros como um problema difícil e até mesmo ameaçador, um que requer um estudo empírico cuidadoso e calma mas rigorosa introspecção. Afinal, eles dizem para si mesmos, não há espaço para o erro nessa escolha, já que o relacionamento é para toda a vida. Até no casamento NTs são pragmáticos.

O pai individualizador

Pais racionais são geralmente mais preocupados com o crescimento da individualidade em seus filhos do que os outros tipos. É de vital importância que cada criança na família se torne progressivamente mais auto-dirigida e autossuficiente para lidar com os desafios da vida.

O líder visionário

Os líderes Racionais geralmente têm uma visão de como uma organização é, e como ela irá se sair no longo prazo, dado que sua inteligência mais desenvolvida é o planejamento estratégico. Eles parecem muito à frente no planejamento e por toda parte, seus planos não deixam nada importante ao sabor do acaso.

E devido à sua visão abrangente e de longo alcance, muitas vezes eles são capazes de transmitir sua visão das coisas que estão por vir  a seus seguidores, de modo que seus seguidores unam-se a eles na empreitada que imaginaram.

 

 

Quer saber mais sobre os Temperamentos? Sim! Claro que quero…

Anúncios

Deixe uma resposta