Anúncios

INTP – Dinâmica das Funções

Esse é mais um post traduzido e adaptado na íntegra, então se quiserem ver o original que merece todos os créditos esses são os links abaixo:

  1. Simulatedworld’s Profiles for Extroverted Types
  2. Simulatedworld’s Profiles for Introverted Types

 Não sabe o que é MBTI? GUIA DE ESTUDOS

Agora temos um Grupo no Facebook

 

INTP: uma análise das função cognitivas junguianas

INTP, ou Introvertido Intuitivo Pensamento e Percepção, é um rótulo emprestado da nomenclatura MBTI e agora aplicado ao conjunto de Funções Cognitivas Junguianas {Ti, Ne, Si, Fe}.

Dominante: Pensamento introvertido (Ti)

“Eu acho que mais do que tudo, eu só quero que as coisas façam sentido. Muitas vezes eu sinto como se a maioria das pessoas em torno de mim tomassem decisões com base em critérios totalmente irracionais e é difícil ver como eles podem perder as partes básicas de construção do senso comum, raciocínio lógico e decisão- Eu gosto de trabalhar com sistemas, especialmente sistemas teóricos de ideias que representam conceitos que me interessam – quanto mais complexo e inter-relacionado, melhor. Há algo atraente em conceituar e refazer sistemas, criando uma sensação de completude total, algo que me traz muito prazer.

É realmente importante que as coisas permaneçam justas e consistentes – se eu não sentir que estou sendo tratada justa ou razoavelmente, vou falar e explicar em detalhes exatamente o que há de errado com o raciocínio defeituoso que está sendo usado contra mim. Eu me esforço para maximizar a clareza e a precisão conceitual quando estou lidando com os outros, e espero que eles façam o mesmo. Se não consigo estabelecer uma definição clara de uma idéia, então como posso conectá-la de forma significativa a qualquer outra coisa? “

INTPs acreditam firmemente que a análise e a avaliação conceitual não são para os fracos de coração. O que eles estão procurando não é menos do que o absoluto, a precisão da definição e a verdade universal. Quase quixotescos¹ nesta busca idealista para compreender a natureza de tudo, o INTP acredita que tudo pode, em última instância, ser definido, categorizado e sucintamente sistematizado em uma única imagem conceitual unificada – mesmo que esse grau de completude não seja algo que a humanidade possa esperar alcançar.

Ao contrário dos INTJs, que resistem à definição conceitual rigorosa até evidências empíricas torná-las indiscutível, os INTPs devem categorizar e definir suas idéias em blocos claramente distintos antes que possam começar um discurso ou troca de informações. Ti dominante cria uma consciência tão aguda da especificidade de definição que os INTP geralmente garantem uma reputação de minuciosidade que faz fronteira com neuróticos e pode fazer outros subirem pelas paredes. (Afinal, você não pode soletrar “nitpick” sem “INTP”).

E, embora às vezes eles possam abusar desta habilidade para jogar jogos com outros ou estabelecer sua própria superioridade intelectual, na maioria das vezes, eles simplesmente reconhecem diferenças de definição a um grau de detalhe muito melhor do que a maioria dos outros tipos são mesmo capazes de discernir. Até que possamos saber exatamente o que nossas palavras denotam e conotam, não podemos nem mesmo fazer qualquer diferenciação significativa – que são, é claro, a base para tudo.

INTPs mais frequentemente encontram trabalho em áreas onde eles podem aplicar seu senso de identidade estrutural interna a sistemas complexos de ideias onde eles podem ampliar o alcance de um problema e descobrir uma nova área na qual exercitar todos os relacionamentos intrincados que compõem as características determinantes e a estrutura total disso.

Para Ti, a aplicação prática raramente é uma grande preocupação; INTPs estão no negócio do desenvolvimento de ideias para o bem da aprendizagem e da expansão cerebral. Se eles podem mapear uma área da realidade que, até o momento, não possui definição, os INTPs podem achar um sentido de propósito, ao sentir que contribuíram para o desenvolvimento ou esclarecimento do entendimento da humanidade, desmistificando algo anteriormente não entendido.

É difícil exagerar a importância de encaixar tudo no universo e todo o reino da existência na noção abrangente de Ti da causalidade total de todos os relacionamentos, propriedades e axiomas que compõem a definição de tudo envolvido na vida tal como a conhecemos. Quando uma nova informação contradiz o conjunto de regras anteriormente compreendido por Ti, não há escolha senão recuar para a introspecção privada até que o inevitável erro de raciocínio seja descoberto e a cadeia causal de dedução reparada, verificada e checada para um fluxo consistente de coerência retórica.

Cada peça de um sistema implica a necessidade de outras peças que equilibram, com funções simétricas: com suficientes demonstrações e explicações Se / Logo para possíveis situações de exceção, para eles literalmente tudo pode ser mapeado e explicado e demonstrado que partilha de uma visão global de previsibilidade lógica. O universo não pode funcionar de outra maneira. Se ainda estamos com conclusões erradas, é porque nós começamos com premissas ruins ou ainda não criamos subsecções suficientes de explicação sistêmica: de qualquer forma, a resposta sempre está em análise e reavaliação futuras.

Como todos os tipos de Ji dominante (IxxP), os INTPs são, acima de tudo, pessoas de princípio, e defenderão esses princípios até a morte (especialmente se você tentar debatê-los!) A busca pela verdade supera quaisquer valores culturais transitórios, transcende qualquer preconceito ou diferença interpretativa, torna irrelevante qualquer valor menor ou arbitrariamente escolhido, e representa o ideal final ao qual todos devem se sentir privilegiados ao ter o menor encontro. É de vital importância para o INTP buscar o conhecimento puramente por causa do entendimento e defender seu senso de integridade lógica no processo. Qualquer coisa menos seria, bem… ilógica.

Auxiliar: Intuição Extrovertida  (Ne)

“Pensar demais, analizar demais separa o corpo da mente / Enfraquecendo minha intuição, deixando oportunidades para trás”. –Tool, “Lateralus” (letras de Maynard James Keenan, INTP)

Infelizmente, os principais interesses e conjuntos de habilidades do INTP são, na melhor das hipóteses, esotéricos, muitas vezes não se prestam a muito uso em termos de conexão e interação com outros seres humanos.

Enquanto o INTP pode gastar um tremendo tempo e esforço desenvolvendo uma compreensão incrivelmente completa de inúmeros conceitos e ideias multifacetadas, ele pode encontrar-se  lamentavelmente incapaz de articular seu significado ou importância para os outros sem algum método para conectar conceitos abstratos ao que seus colegas já entendem.

Quando desenvolvido bem, Ne irá conceber ao INTP uma série de características de equilíbrio positivas, que vão desde a conscientização e desejo de brincar com as expectativas e interesses de sua audiência a ultrapassar – a percepção contextual de semelhança conceitual e uma habilidade correspondente (e algo inesperada) para ensinar esses conceitos a outros que não entendem.

Para muitos INTP, isso se torna um dos presentes mais valiosos e de grande alcance que Ne tem para oferecer – ele pode achar, para sua surpresa, que seu talento natural para observar semelhanças estruturais entre o aparentemente não relacionado permite que ele reformule as mais incompreensíveis ideias em explicações unificadoras surpreendentemente compreensíveis com as quais seu público pode se identificar facilmente.

Essa capacidade marca uma das diferenças mais substanciais e notáveis ​​entre INTPs e INTJs: enquanto Ni capta intuitivamente o simbolismo conceitual bastante prontamente, a incapacidade comparativa do INTJ (ou o simples desinteresse em tentar) para “traduzir” essas abstrações resulta em uma peculiar desconexão comunicativa que INTPs são muitas vezes mais capazes de suavizar através do Ne.

Talvez o mais importante de tudo, Ne concede ao INTP não apenas uma compreensão mais ampla da vasta interconectividade de suas diversas buscas intelectuais, mas uma sensação de criatividade brincalhona e um entusiasmo motivado por novas possibilidades para o futuro. Quando Ne se desenvolve mal, e o INTP é deixado com TiSi, seu senso de auto-dúvida e consciência iminente sobre a incompletude de sua própria compreensão pode levar a um isolamento social extremo e a um esgotamento abatido por falhas repetidas nas tentativas de navegar mundo confuso e ilógico da interação externa.

Ne encoraja o INTP a lembrar que, independentemente do que as falhas e as inadequações de hoje tenham feito, amanhã será um novo dia cheio de novas possibilidades para diferentes abordagens, conexões e mudanças. Se o modelo atual não se sentir consistente, sempre podemos ajustá-lo, retrabalhá-lo ou ajustar suas variáveis ​​e transformá-lo em algo mais, amanhã. As possibilidades são infinitas – elas já estão por aí, esperando ser encontradas, e cabe a nós reorganizar as peças até encontrá-las.

Ne, idealmente, deve servir para equilibrar a insistência de Ti na perfeição dedutiva através de informações completas, permitindo que o INTP “preencha os espaços em branco” e faça suposições mais difíceis e intuitivas em informações que ele ainda não possui ou compreende completamente.

Como Ti preferiria trabalhar com instruções Se / Logo que fornecem explicações unificadoras de amplos intervalos de dados teoricamente absolutos, a falha em consultar Ne pode muitas vezes resultar em uma desconfortável falta de ação ou fazer qualquer tentativa de algo até o INTP sentir que ele tem informações completas e suficientes para resolver a totalidade da causalidade do sistema em sua mente.

O Ne adequadamente desenvolvido leva o INTP a aceitar a realidade de que a vida está cheia de incertezas e que, se nos recusarmos a agir sem conhecer todas as variáveis, nunca aprendemos ou progredimos.

Quando ele fica preso em uma encruzilhada crucial, Ne lembra-lhe de simplesmente se afastar e experimentar algo diferente – mesmo que não funcione sempre ou forneça uma explicação completa, isso pode levá-lo apenas ao que precisa ver, a fim de que descubra o próximo passo no processo. Isso permite que ele saia da casca e experimente coisas novas no caso de algo inesperado acontecer, e esse tipo de curiosidade viva combina melhor com a sede incansável de verdade e conhecimento de Ti para produzir um INTP completo e equilibrado psicologicamente.

Terciária: Sensação Introvertida (Si)

Como função terciária, Si pode ter uma variedade de efeitos de equilíbrio na cognição total do INTP. Ele tende a funcionar melhor quando Ne já foi autorizado a crescer e se desenvolver como assistente natural e complemento de Ti; No entanto, vale a pena notar que, como todas as funções terciárias, seus efeitos podem ser potencialmente prejudiciais se forem usados ​​ou interpretados fora do contexto.

O propósito mais essencial de Si é proporcionar uma sensação de conforto na familiaridade, na ideia de que nossos mapas internos de informações indiferenciadas funcionam melhor quando somos capazes de sustentá-los com um fluxo consistente de dados sensoriais concretos e que devemos ser desconfiados de pessoas, lugares e situações que o mapa ainda não traçou.

Para os INTP sob a influência do Si terciário, isso pode gerar um certo grau de cinismo e, até mesmo, desconfiança irracional das situações que experimentaram antes e associaram uma conotação negativa. INTP pode desenvolver uma estranha suspeita sobre os efeitos adversos de seus arredores em sua saúde física; Eles podem selecionar detalhes sensoriais insignificantes para usar como bodes expiatórios por sua incapacidade de produzir um trabalho consistente. (“Eu estaria produzindo um material fantástico aqui se pelo menos esses idiotas pudessem me oferecer um café decente!”)

A influência de Si, em sua infância, pode levar INTPs a evitar novas experiências ou bloquear possíveis abordagens novas ou mudanças na metodologia que podem muito bem melhorar o desenvolvimento de suas ideias ou aumentar a gama de opções disponíveis para elas. “Eu tentei e não funcionou” pode se tornar um tipo de mantra que permite que o INTP evite a natureza incômoda de pular para o desconhecido com informações incompletas e criar mais suporte para a superioridade de suas convicções pessoais e crenças subjetivas sobre a natureza da justiça e da razão.

Dado o reforço negativo suficiente, à medida que o ciclo TiSi se instala, o INTP pode mesmo desenvolver um hábito de evitar as próprias situações e mentalidades que seu crescimento pessoal mais precisa.

Totalmente convencido de que as coisas estão injustamente dispostas contra ele, ele pode se voltar a um cinismo amargo sobre a natureza friamente inconsistente do universo áspero, estúpido e ilógico ao seu redor. Sensível às suas falhas na área social, especialmente, ele pode convencer-se de que as únicas pessoas que valem a pena interagir são aquelas que se sentem “seguras” na medida em que defendem os mesmos tipos de pontos de vista com os quais ele já é familiar: trancado em um ciclo egoísta de lógica subjetiva e ao reforço subjetivo de dados experienciais que apoiam isso, ele pode simplesmente se resignar ao destino de estar sozinho e não apreciado, confortando-se com ideais grandiosos e românticos de ser “o único com alguma integridade real” ou “o único que realmente se importa com a Verdade”.

O problema de um Si muito abundante de forma muito rápida é que isso pode levar a uma tendência a ignorar o desenvolvimento Ne. O INTP já tem muita profundidade, e uma perspectiva subjetiva suficiente; O que ele precisa fazer primeiro é desenvolver uma sensação dos efeitos palpáveis ​​que suas ideias têm sobre os outros para que ela possa conectar suas perspectivas com as suas próprias e aprender a comunicar significativamente a importância de suas convicções. Bloquear este processo de crescimento com mais encorajamento para entrar em mais das mesmas experiências familiares só irá causar uma regressão em seu desenvolvimento.

Quando concedido um papel mais equilibrado e positivo, Si não deve servir como uma mera desculpa para o INTP se manter enraizado para sempre na zona de conforto experiencial, mas como um contrapeso útil para a tendência de Ne para voar fora dos trilhos e se perder em sua própria empolgação.

Enquanto Ne ensina o INTP a deixar-se ir e abraçar o acaso, Si protege suas costas e lembra-lhe que, às vezes, há uma razão muito boa para uma certa forma de experiência ter se tornado familiar: é o que é melhor para nós e nos mantem fora de problemas. Isso nos lembra de prestar atenção quando as coisas começam a afastar-se muito da nossa zona de conforto para o nosso bem e nos ajudam a evitar repetir os mesmos erros que já fizemos e através dos quais (com sorte) aprendemos.

Por fim, Si deve conceder ao INTP uma sensação de conexão real com as experiências verdadeiras representadas pelas ideias teóricas sobre as quais ele está constantemente refletindo em sua cabeça, o que contribuirá para o desenvolvimento lento da habilidade de se identificar concretamente com o lugar de onde os outros estão vindo. Uma coisa é ser capaz de explicar a alguém por que uma idéia deve funcionar em teoria e apontar quão claramente consistente e lógico é;

Outra coisa é poder dizer honestamente: “Porque eu estive lá e tentei por mim mesmo, e eu sei pela experiência que realmente funciona”. Ser capaz de oferecer esse tipo de backup para seus argumentos pode ajudar os INTPs a transcender a base teórica a partir da qual eles normalmente operam, cativando os outros de uma maneira que apenas a experiência do mundo real com problemas do mundo real é capaz.

Inferior: Sentimento Extrovertido (Fe)

No fundo do barril da composição cognitiva do INTP encontra-se o componente inconsciente e principalmente negligenciado à lógica personalizada de Ti: a ética coletivizada e as expectativas culturais representadas pelo Fe inferior.

Os INTP são, naturalmente, desconfiados do julgamento extrovertido: eles sentem que a tomada de decisões é algo que lhes pertence legitimamente e a eles sozinhos, e que a ideia de deixar as expectativas de outras pessoas corromperem a profundidade e a pureza de seu foco principal – – para fins tão questionáveis ​​como fazer com que as pessoas se deem bem, não menos – é, pelo menos conscientemente, visto como uma afronta perturbadora ao seu direito ao individualismo e ao pensamento livre.

“Por que é de se esperar que se dê bem com alguém cujas crenças claramente representam uma lógica incorreta e um raciocínio fraco? Não é minha culpa que as pessoas sejam muito estúpidas para perceber que suas crenças são ridículas”. Mais cedo na vida, Ti dominante pode ter muitas dificuldades inclusive para entender por que se dar bem com os outros é desejável, em primeiro lugar.

Se essas pessoas não podem ser confiáveis ​​para tomar decisões racionais de acordo com a realidade indiscutível da Verdade, não se pode ver nenhum valor em se associar a elas. A maneira como as INTPs adolescentes irritadas desenvolvem círculos sociais em torno dessa crença comum representam uma das grandes ironias do mundo junguiano.

Insistente que a emoção é, por natureza, uma forma fundamentalmente inválida de raciocínio, os INTP podem, de fato, se tornar emocionalmente vinculados à ideia de que sua tomada de decisão não é emocional e, portanto, perfeitamente racional e “objetivamente superior” a outros sistemas de valores concorrentes.

Ao afirmar que a lógica subjetiva de Ti representa a verdade absoluta ou objetiva, eles evitam convenientemente terem que enfrentar suas próprias necessidades emocionais e também a necessidade de aceitar que seu método preferido de raciocínio não representa a verdade absoluta.

Eles continuarão a citar “fatos” e “evidências científicas” com base em seu próprio senso subjetivo de verdade, usando os próprios axiomas de Ti como prova de sua máxima exatidão, nunca percebendo a natureza, em última instância, circular de suas próprias declarações de auto-superioridade. Quando eles conhecem outros INTPs que se sentem da mesma forma que eles, o fato de que alguém reconhece a necessidade consciente de Ti de ser O Mais Correto e a necessidade subconsciente de Fe de compartilhar um ponto de vista ético coletivamente com um grupo maior.

Mesmo que tentem negar, sob a superfície do inconsciente, o Fe inferior (auxiliado pelo Ne auxiliar) conduz os INTPs a buscar aceitação social e conexão emocional; No entanto, muitas vezes eles se encontram tão desesperançosos e sem pistas de como entender e se adaptar às pistas sociais que eles rapidamente desenvolvem associações intensamente negativas com todo o processo de tentar se compartilhar com os outros, que se contentam em interagir apenas com aqueles cujas crenças são consistentes com as suas, e portanto não ameaçadores.

Desta forma, os INTPs podem realmente agir fora de Fe procurando por amigos e conhecidos de mentalidade semelhante que não gostam da ideia de ter padrões de Fe forçados a eles, formando assim vínculos orientados a Fe com base, ironicamente, em torno da ideia de não gostar das mesmas expectativas sociais que acabam criando o terreno comum em que se identificam. “Não se adapte à sociedade – seja um não-conformista como nós!”

Ao atacar os sistemas de expectativas éticas coletivas, eles desdenham em um nível consciente, cumprindo suas próprias necessidades subconscientes de camaradagem cultural e familiar substituindo “Estou certo” com “Estamos certos” – mas boa sorte para qualquer membro daquele grupo que discorda dos preceitos de retidão pelo qual eles definem sua associação!

Eventualmente, uma vez que Ne e Si estão em seus lugares legítimos e se desenvolveram adequadamente, Fe inferior deve conceder ao INTP a tão necessária percepção de que às vezes a família e os amigos devem vir antes da exatidão teórica. Mesmo que seja errado ou ilógico ou infundado na ciência, se ele quer manter os amigos e familiares ao redor, ou realizar um trabalho consistente, ou participar de situações sociais com qualquer grau de sucesso discernível, ele deve desenvolver o desejo de se adaptar às suas emoções e necessidades éticas e preferências, mesmo que ele não consiga ver um motivo iminente “lógico” para concordar com eles.

Essa dualidade de pensamento (“Eu acho que é ilógico” + “Eu ainda posso ver o valor nele e respeitá-lo como uma forma de raciocínio igualmente válida”) é algo que toma algum tempo e muita busca para INTPs desenvolverem.

Exige, acima de tudo, a percepção de que, mesmo que exista a verdade absoluta, não é realmente possível ou logicamente plausível acreditar que qualquer ser humano possa acessar ou entender diretamente – a adição de Fe competente em sua hierarquia cognitiva permitirá para o INTP admitir que sim, mesmo ele está sujeito a viés emocional, e até mesmo ele tem razões práticas para ajustar suas perspectivas éticas de acordo com os sentimentos e necessidades daqueles com quem ele se importa.

Uma vez que o INTP é capaz de valorizar simultaneamente a idéia da verdade e admitir a si mesmo que sua própria opinião não pode constituir a totalidade dela, ele começará a perceber que equilibrar suas convicções pessoais contra avaliações morais coletivas pode realmente levá-lo ainda mais próximo da transcendente Visão de verdade e integridade universal em torno da qual toda a sua vida está centrada – e quem sabe? Ele pode até desenvolver algumas conexões pessoais profundamente significativas ao longo do caminho!

Anúncios

Um comentário em “INTP – Dinâmica das Funções

Adicione o seu

Deixe uma resposta

Powered by WordPress.com. Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: