Anúncios

Eneagrama 6: O Legalista

Este guia visa apresentar a teoria e tipologia do Eneagrama. Os posts serão traduções e adaptações do original, que merece todos os créditos: The Enneagram Institute e os livros de Riso-Hudson

 

Agora temos um Grupo no Facebook

Relação estimada com a Tipologia MBTI

Enea Jungian Functions MBTI Types
Seis Percepção Introvertida ou demais funções Frequentemente ISTJ, ESTJ, INFP, ISFJ, ESFJ, ENFP, INTP
Esporadicamente ISFP, ISTP, INTJ, INFJ, ENFJ, ENTJ
Raramente ESTP, ESFP, ENTP

Tipo Seis: O Legalista

Saudável

Capaz de envolver os outros e se identificar com eles; Firme, sério e afetuoso. Vínculo com outros, formando relações e alianças. Dedicado à indivíduos e movimentos em que eles acreditam profundamente.

Construtores comunitários: responsáveis, confiáveis, confiáveis. Boa previsão e forte capacidade organizacional: solucionadores de problemas naturais. Trabalhador e perseverante, sacrifica-se pelos outros; Eles criam estabilidade e segurança em seu mundo, trazendo um espírito cooperativo.

No seu melhor: tornam-se auto-afirmativos, confiando em si mesmos e outros, independentes, mas simbioticamente interdependente e cooperativo, como um igual. A crença no eu leva a coragem verdadeira, pensamento positivo, liderança e rica auto-expressão.

Mediano

Começam a investir seu tempo e energia em tudo o que eles acreditam que será seguro e estável. Organizando e estruturando, eles procuram alianças e autoridades para segurança e continuidade. Assumem muitos compromissos com os outros, na esperança de que sejam reciprocados.

Constantemente vigilante, antecipando problemas. Eles procuram orientações claras e se sentem mais seguros quando os sistemas e procedimentos estão bem definidos. Para resistir a ter mais demandas feitas sobre eles, eles reagem contra outros passivo- agressivamente.

Tornam-se evasivos, indecisos, cautelosos, procrastinantes e ambivalentes. Forte dúvida sobre si mesmos e suspeita sobre os motivos dos outros. São altamente reativos, ansiosos e queixosos, dando “sinais mistos” contraditórios.

A confusão interna faz com que eles reajam imprevisivelmente. Para compensar as inseguranças, eles se tornam beligerantes, malvados e sarcásticos, culpando outros pelos problemas. Altamente partidários e defensivos, dividindo pessoas em amigos e inimigos enquanto procurava ameaças à sua própria segurança. Autoritário, preconceituoso e inseguro, para silenciar seus próprios medos.

Não saudável

Tornam-se fortemente dependentes e auto-depreciativos, com sentimentos de inferioridade aguda. Vendo-se como indefesos e incompetentes, procuram uma autoridade ou crença mais forte para resolver todos os problemas (possivelmente religião, crença ou metodologias e técnicas).

Submisso e masoquista. Sentem-se perseguidos, que outros “os querem prejudicar”, eles atacam e agem de forma irracional, atraindo o que temem. Fanatismo, violência.

Histéricos, e tentando escapar do “castigo”, tornam-se autodestrutivos e suicidas. Alcoolismo, overdoses de drogas, comportamento auto-comiserativos.

Principais Motivações: Quer ter segurança, sentir-se apoiado, ter aprovação dos outros, testar as atitudes dos outros em relação à eles, defender suas crenças.

Uma Visão Geral dos Seis

Seis estão cheio de contradições. Eles podem ser dependentes dos outros, mas valorizam sua independência. Eles querem confiar e depender dos outros, mas constantemente testar os outros para aliviar suas próprias suspeitas. Eles querem a proteção da autoridade, mas temem isso.

Eles são obedientes, mas desobedientes; Com medo da agressão, às sendo eles mesmos altamente agressivos. Eles procuram segurança, mas se sentem inseguros. Eles são agradáveis ​​e atraentes, mas podem ser críticos e odiosos.

Eles são tranquilizados por valores tradicionais, mas podem subverter esses valores. Eles querem escapar do castigo, mas podem atraí-lo para si mesmos. Seis estão cheio de contradições, porque a ansiedade faz com que eles ricochetem de um estado psicológico para outro. E em resposta à ansiedade, os Seis procuram estruturas, crenças, aliados, parceiros amorosos e autoridades para colocar sua ansiedade no repouso.

Nosso sistema de educação nos ensina a colocar nossa fé em outra coisa – uma corporação, um casamento, um comércio, uma profissão, uma religião, uma política, algo, quase pode-se dizer qualquer coisa, que nos ofereça um conjunto de regras que podemos obedecer e recompensa-nos pela obediência a eles. É mais seguro ser um animal doméstico do que um selvagem. (Michael Korda, Power, 254.)

Para os Seis , a segurança vem de uma lealdade e do tradicionalismo e um investimento de si mesmos em algo fora de si, que eles acreditam que lhes dará estabilidade e segurança.

Seis querem se sentir protegidos e seguros por ter algo maior e mais poderoso que eles os orientando. A IBM servirá, mas também o partido comunista, o partido republicano ou a igreja. As doutrinas em que os Seis acreditam são importantes para eles, mas também é ter alguém em quem confiar e acreditar.

Problemas com ansiedade e insegurança

Todos os três tipos de personalidade da Tríade do Pensamento têm um problema com a ansiedade, mas o Seis, como tipo primário, tem o maior problema com ela. Eles são o tipo que é mais consciente da ansiedade – “ansiosos por estarem ansiosos” – ao contrário de outros tipos de personalidade que desconhecem a ansiedade ou que inconscientemente a convertem em outros sintomas.

Cincos, por exemplo, deslocam a ansiedade distanciando-se de sua própria experiência; Setes a reprime através da atividade constante.

Por outro lado, Seis estão cientes de que eles estão ansiosos: às vezes eles são capazes de resistir a isso, e às vezes eles sucumbem. Seis tendem a usar dois métodos diferentes para lidar com sua ansiedade: uma resposta fóbica ou uma resposta contra-fóbica.

Seis que são mais fóbicos, muitas vezes lidam com seus medos através de uma posição dependente. Eles são mais conscientes de sua ansiedade e se voltam rapidamente para outros, particularmente figuras de autoridade, para apoio. Eles são mais auto-duvidosos e emocionalmente vulneráveis ​​e podem se parecer com o tipo quatro.

Seis fóbicos acreditam em manter um perfil discreto e não causar problemas, especialmente nas situações em que eles se voltaram para garantir segurança. Eles geralmente buscarão um curso de apaziguamento quando surgirem conflitos e gostariam de permanecer dentro de diretrizes e procedimentos bem definidos. Seis fóbicos tem medo de que as pessoas de quem ele depende os abandonem.

Seis que são mais contra-fóbicos são muito mais propensos a questionar, ou mesmo se rebelar contra as autoridades. Eles são mais rápidos em confrontar os outros e muitas vezes são mais suspeitos do que os Seis fóbicos.

Eles estão mais decididos a serem independentes e resistem buscar suporte nos outros. A este respeito, os Seis contra-fóbicos podem se parecer com Oitos. Eles tentam reprimir sua ansiedade através da ação, e nos Níveis medianos de desenvolvimento, podem reagir forte e defensivamente se questionados.

Eles querem sempre saber a posição dos outros em relação à eles e podem provocar agressivamente uma resposta deles para descobrir. Os Seis contra-fóbicos têm medo de que os outros tentem enganá-los ou se aproveitar deles. Quando surgem conflitos, eles podem ser altamente conflituosos e até mesmo beligerantes.

No entanto, sob sua fúria, eles são tão terríveis e ansiosos quanto os Seis fóbicos, mas seus comportamentos agressivos são uma reação à ansiedade em vez de uma expressão direta disso.

É importante notar que nenhum seis é inteiramente fóbico ou contra-f[obico. Em vez disso, cada individuo que possui personalidade do tipo Seis tem alguma mistura dessas atitudes ou padrões de resposta, e eles provavelmente aparecerão em diferentes áreas de suas vidas.

Por exemplo, um Seis pode ser muito agressivo e contra-fóbico com o seu cônjuge, mas mais fóbico e dependente no local de trabalho. Outro Seis, pode ser o exato oposto. Grande parte da preferência por uma dessas abordagens sobre a outra vem desde a infância. Em alguns casos, a abordagem básica que lhes foi ensinada era “virar a outra face”, para ser obediente e para se afastar de valentões e antagonistas.

Outras crianças são ensinadas a ser firmes, a não deixar que ninguém as empurre e a lutar contra agressores e inimigos.

Em ambos os casos, os Seis , como todos os outros, levarão essas lições e experiências à idade adulta, mas suas respostas ao medo e ao perigo potencial serão uma questão mais central do que para outros tipos. Seis em geral também tendem a ser mais fóbicos em certos níveis de desenvolvimento e mais contra-fóbicos em outros.

De fato, as duas respostas parecem alternar, Nível à Nível. Todos os Seis se protegem sendo extraordinariamente vigilantes para que possam antecipar problemas no ambiente, particularmente problemas com outras pessoas. Sua necessidade de questionar, sua atenção aos detalhes e problemas, sua necessidade de saber o que os outros pensam e suas intenções em relação à eles – e, eventualmente, suas tendências paranoicas – são todas tentativas de se defender de perigos reais ou imaginários.

Como resultado, os Seis aprendem a viver em um estado de alerta constante sobre o meio ambiente. Por causa de seu medo, treinam-se para assistir as pessoas e o meio ambiente em geral para que possam prever eventos e tomar medidas de proteção adequadas.

Ironicamente, os Seis devem ter “perigo” em suas mentes para se sentirem seguros: quanto mais paranoicos se tornam, mais completamente defendidos tentam ser. A raiz de sua ansiedade é um sentimento contínuo de não conseguirem se sustentar.

Eles não confiam na capacidade de saber o que fazer, especialmente quando suas decisões afetam sua segurança. No mínimo, tendem a adivinhar, tomar uma decisão e depois temer que tenham feito a escolha errada. Por sentirem-se inseguros de si mesmos, os Seis olham para fora de si mesmos por algo para apoiá-los e tranquilizá-los.

Isso pode ser um cônjuge, um emprego, amigos confiáveis, os militares, uma religião ou sistema de crenças, um terapeuta, uma prática espiritual, um guru. . . As possibilidades são tão variadas quanto as circunstâncias individuais da vida dos Seis.

Consequentemente, os Seis deve monitorar continuamente seus sistemas de suporte para garantir que eles sejam estáveis ​​e seguros. Eles se preocupam com o quanto as coisas estão indo no trabalho, sobre seus investimentos e principalmente poupança, sobre possíveis problemas legais – literalmente, qualquer coisa que possa prejudicar a segurança de seu mundo.

Em particular, os Seis sentem-se obrigados à monitorar seus aliados e adeptos para se certificar de que ainda estão “na equipe”. Os Seis medianos muitas vezes não sabem como os outros se sentem em relação a eles: eles querem que as pessoas gostem, mas muitas vezes duvidam que eles gostem.

Como resultado, eles testam os outros para descobrir as atitudes dos outros sobre eles, constantemente procurando evidências de aprovação ou desaprovação. E se Seis mediano se deteriorar na neurose, eles ficam ficarão desconfiados dos outros que se tornarão paranoicos, ansiosos e tão inseguros que não podem funcionar mais.

Mesmo que pertençam à Tríade do Pensamento, os Seis também são emocionais, porque seus sentimentos são afetados pela ansiedade.

É difícil descrever esse tipo de personalidade em termos simples, porque sua psique muda continuamente. Pode ser útil pensar em Seis como “ambivertidos”, uma mistura de sentimentos extrovertidos e introvertidos. É por isso que eles reagem ao que eles fizeram, especialmente se a ansiedade foi despertada, fazendo o contrário para compensar.

Eles então reagem a esse novo estado, e depois ao próximo, ad infinitum. Por exemplo, eles podem ser afetuosos com alguém; Então, temendo que eles sejam aproveitados ou abandonados, eles desconfiam da própria pessoa que acabou de ser o objeto desse sentimento e calor. Mas, preocupados com suas suspeitas, procuram reafirmação de que a relação ainda saudável.

Assim que recebem tranquilidade do outro, Seis se perguntam se eles não foram muito gratificantes com ela, então eles compensam demais, tornando-se defensivos, agindo como se não precisassem da outra pessoa. E assim vai.

Se você tem dificuldade em entender alguém por suas constantes contradições, provavelmente você está lidando com um Seis . Também é importante entender que, embora os Seis sejam emocionais, eles não mostram suas emoções diretamente – como Dois fazem, por exemplo – mesmo para aqueles que estão mais próximos.

Da mesma forma, os Seis raramente são sentimentais, preferindo ter uma visão menos “cor de rosa” das pessoas e do mundo. A maioria dos Seis saudáveis ​​à medianos são, no entanto, bastante claros sobre como eles se sentem sobre as coisas. Eles sabem quem eles amam e com quem eles não gostam.

Eles são incertos sobre o que eles pensam sobre as coisas, e eles são especialmente incerto quando se trata de decidir o que fazer. Por causa dessa incerteza, eles têm medo de tomar a ação errada ou enviar o sinal errado. Suas mentes se voltam e cercam com pensamentos conflitantes sobre o que eles deveriam estar fazendo, enquanto eles tentam simultaneamente descobrir o que os outros em suas vidas estão realmente fazendo.

Conseqüentemente, a ambivalência em relação a ambos e a outros faz com que eles deem sinais mistos. Ou, colocando de outra forma, os Seis reagem aos seus sentimentos – particularmente a ansiedade – e comunicam suas reações ao invés de seus sentimentos.

Exceto quando os Seis são muito saudáveis, raramente podem ter certeza do que está realmente em suas mentes. É por isso que alcançar a independência e a estabilidade emocional, especialmente a liberdade da ansiedade, é tão importante para eles.

Se eles são muito não saudáveis, sua auto-estima sofre: eles se sentem inferiores aos outros, como alguém que pode ser manipulado. Por outro lado, se eles são muito agressivos em sua busca pela independência, temem que eles alienem as pessoas que lhes proporcionam segurança e serão punidos de maneira terrível.

O desafio dos Seis  é encontrar uma maneira de manter os dois lados de suas personalidades, reduzindo gradualmente as tensões entre seus lados conflitantes até formarem uma unidade recíproca, como pessoa saudável.

A dinâmica dos Seis

A direção da desintegração

Seis vai em direção ao tipo Três em seu sentido de desintegração.

Os Seis se aproximam de Três começando no nível 4 de desenvolvimento, em condições de estresse, os Seis medianos para não saudáveis começam a atuar algumas das características de Três medianos para não saudáveis.

Os Seis medianos são atormentados pela auto-dúvida, insegurança social e falta de confiança. Quando eles se sentem particularmente inseguros de si mesmos, eles compensam sua insegurança ao se comportar de maneiras que acreditam que os outros esperam, como o Três mediano.

Também, como o Três mediano, eles se tornam determinados a convencer-se e outros de seu valor, excelência e capacidade. No Nível 4, Seis investem nas alianças, situações ou estruturas que eles acreditam aumentarão sua segurança. Eles se sentem obrigados a atender as demandas dos outros e querem sua aprovação e apoio em troca.

O aumento do estresse faz com que eles se desloquem em direção ao tipo Três, onde eles se tornam mais empenhados em desenvolver suas carreiras, alcançar o reconhecimento e “avançar” – tudo isso servindo como buffers contra a potencial perda de segurança.

Da mesma forma, eles sabem que os recursos são limitados e que há apenas tantas oportunidades para se dedicar, então eles se tornam competitivos para garantir o prestígio ou posição desejada para si. Além disso, por causa de suas identificações com seus aliados e com os sistemas que eles usam como segurança, eles usam a estima que derivam dessa identificação para reforçar seus egos e se sentir desdém e combativos em relação à outros sistemas. (“Harvard é melhor do que Yale”, “Eu uso um Mac, não um clone da IBM”, “Meu time ganhou o campeonato novamente!”)

Seis neste Nível podem começar a carregar responsabilidades demais e enterrarem-se no trabalho como formas de reprimir sua ansiedade. Basicamente, quando surge a insegurança, como os Três medianos, eles começam a trabalhar mais.

No Nível 5, Seis se sentem pressionados por suas muitas obrigações e é ambivalentes sobre muitas das suas situações de trabalho e as alianças que eles fizeram. No entanto, como os Três medianos, os Seis não querem alienar os outros, nem deixar que os outros saibam que não tem certeza de si mesmos ou da situação.

Assim, eles ativam o charme, tornando-se mais “amigáveis” ou “profissionais”, conforme necessário. Como no caso dos Três, essas adaptações são impulsionadas pelo medo da rejeição. Seis acreditam que há algum comportamento que seria mais apropriado do que sua resposta genuína à dada situação.

Eles tentam conquistar as pessoas adaptando-se às suas expectativas e depois avaliando suas respostas. Tais esforços geralmente não são bem-sucedidos: Seis não são Três, e outros podem perceber seu desconforto sob o comportamento amigável e profissional.

Sua atitude positiva e alegria parecem ensaiadas e inautênticas. Como o Seis percebe que os outros estão vendo seus esforços para parecerem confiante e “estranhos”, eles ficam ainda mais ansiosos e duvidando de si mesmos.

No nível 6, os Seis tornam-se desafiadores e agressivos em suas atitudes e comportamentos. Eles colocaram todos sobre aviso de que eles não devem ser ridiculizados, mas tendem a ir muito longe e intimidar outros. O movimento em direção ao Três neste nível pode ser visto como uma espécie de arrogância e alta habilidade.

Seis tornam-se soberbos, superestimando suas habilidades e inflando suas realizações para compensar seus sentimentos crescentes de inferioridade. Eles se promovem, seus negócios, ou as causas e ideologias a que se ligaram, assumindo uma posição superior e depreciando as pessoas que eles percebem como rivais.

Eles insistem que outros reconheçam seus talentos ou conquistas, e podem se tornar hostis quando essa apreciação não é alcançada. Além disso, como os Três neste nível, os Seis pode recorrer à falsos sucessos que obtiveram ou a conquistas sexuais, para fortalecer sua frágil auto-estima.

Ao mesmo tempo, a competitividade do grupo observada no Nível 4 degenerou em hostilidade e agressão no Nível 6. As pessoas entram em lutas acaloradas sobre as equipes de futebol ou derrubam pontos de vista espirituais ou políticos rivais. O orgulho sobre suas afiliações tornam-se um concurso frenético para a supremacia.

No nível 7, os Seis temem que eles tenham ido longe demais e tenham corroído sua base de apoio. Eles estão aterrorizados de que seus aliados ou superiores apontem erros em suas tarefas.

Como os tipo Três não saudáveis, os Seis tentam cobrir seus erros e negarão qualquer envolvimento com os problemas que eles criaram. Muitas vezes, os Seis não saudáveis continuarão a oferecer ajuda aos outros, tanto pessoal como profissionalmente. (“Numa atitude: Eu vou fazer isso para você”).

Mas eles são realmente muito disfuncionais para se conseguir muito, e então devem enganar as pessoas dizendo que fizeram coisas que não fizeram. Eles não necessariamente enganam os outros maliciosamente, mas para escapar do castigo ou ao abandono.

Eles acreditam que eles podem ser capazes de reparar o dano que causaram, ou fazer o trabalho que eles alegaram ter feito, se eles puderem aplacar os outros o suficiente. O fato é, no entanto, que os Seis não saudáveis estão sendo falsos e abrindo caminho para maior ansiedade e perda de segurança. pois suas invenções e mentiras tornam-se mais uma fonte de pressão e estresse, exigindo mais trabalho e causando mais pânico.

No Nível 8, os Seis paranoicos podem estar envolvidos com atividades e obsessões que são potencialmente perigosas e destrutivas para si e para os outros. Eles vivem em constante medo de que seu ódio obsessivo, bem como qualquer plano de vingança, sejam descobertos por outros.

Como resultado, eles se tornam tortuosos e divididos em sua psicologia, como os tipos Três não saudáveis. Eles são a proverbial “pessoa legal e silenciosa”, a quem ninguém presta muita atenção até que sua paranoia entra em erupção em algum incidente horrível.

Em um nível menos dramático, eles podem não dar nenhuma indicação de que eles estão infelizes com um emprego ou um relacionamento até que eles inesperadamente desapareçam uma manhã sem explicação.

Sua paranoia também pode fazer com que eles criem identidades falsas para si mesmos, ou apresentarem a novos conhecidos como bem diferentes de quem eles realmente são. É como se os Seis não saudáveis tivessem medo de serem vistos sem camuflagem – uma das últimas fontes de segurança que sentem.

No nível 9, Seis tentam punir-se para evitar ser punido por outros, mas sob uma maior pressão, que pode representar o mais baixo nível dos comportamentos dos tipo Três, em que sua ansiedade e raiva explodem na fúria psicopata.

Seis que vão em direção ao tipo Três não mais manipulam sua agressão contra eles mesmos; Em vez disso, eles apontam os outros para vê-los sofrer. O fanatismo autoritário e o ódio observado no Seis  nível mediano retorna de forma muito mais agressiva e perigosa.

Seis deteriorados atacam violentamente os outros de forma definitiva para superar seus sentimentos de inferioridade de uma vez por todas. Tornam-se vingativos, mesmo que suas vítimas não tenham sido a verdadeira causa de seu sofrimento.

Mas os Seis no Três permanecem fundamentalmente Seis , e sua violência psicopática é apenas outra forma de auto derrota, mas que exige o mais severo castigo. Se eles quebraram a lei, o Seis no Três não conseguirão provocar uma resposta que os reconcilie com o outro. Em vez disso, eles podem ser presos ou executados, ou eles mesmos se tornam objeto de ódio e vingança.

A direção da integração

O Seis vai em direção ao tipo Nove em dua direção de integração.

Em termos simples, os Seis precisam resolver sua ambivalência e sua ansiedade sobre si mesmos e sobre os outros. Isso é exatamente o que acontece quando eles vão em direção ao Nove.

Seis no Nove são muito mais emocionalmente abertos, receptivos e simpatizantes em relação às pessoas e, como resultado, seu espectro emocional cresce muito mais. Os Seis no sentido de integração, são emocionalmente estáveis, pacíficos e seguros de si e do seu valor.

Eles superam completamente suas tendências de serem dependentes e, em vez disso, se tornam pessoas autônomas e independentes na qual os outros podem confiar. A integração dos Seis é capaz de tranquilizar e apoiar os outros, em vez de buscar reafirmação e apoio dos outros, como já vimos ao longo de seus níveis de desenvolvimento.

De fato, o Seis no Nove é bastante diferente dos Seis menos saudáveis. Uma mudança revolucionária para melhor ocorreu nos Seis no sentido de integração: ele ou ela se torna independente e, no entanto, paradoxalmente, está mais próximo dos outros do que nunca.

Uma recompensa inesperada deste desenvolvimento é que a integração dos Seis desenvolveu um maior número de amigos do que tinham quando procuravam proteção nos outros, como figuras de autoridade ou como membros do seu grupo.

Não são mais reativos às pessoas, eles são capazes de formar uma união estável com os outros. Outros os procuram porque são tão saudáveis, maduros e bem dispostos para com as pessoas. A brincadeira e o senso de humor que vimos em Seis saudáveis ​​não foram deixados para trás, embora adicionados a essas qualidades, está a luminosidade e disposição do Nove, otimismo e bondade, traços pelos quais os Seis não são geralmente conhecidos, mas que agora possuem em abundância.

Os Seis integrados, finalmente, alcançam não apenas a segurança, mas a capacidade de confiar nos outros, algo que sempre os eludiu. Além disso, porque eles agora confiam em si mesmos, eles finalmente transcendem sua ansiedade e se sentem aterrados e verdadeiramente à vontade no mundo.

Pensamentos Finais

Olhando para trás, sobre a deterioração dos Seis, podemos ver que eles arruinaram seu desejo de segurança. Seis não saudáveis são pessoas autodestrutivas que são seus próprios inimigos.

Se eles persistirem nesse comportamento masoquista e autodestrutivo, os Seis neuróticos provavelmente expulsarão de suas vidas todos de quem eles dependerem.

Eles se verão abandonados e sozinhos, as coisas que eles mais temem. Não há nada de errado em formar alianças com outros, mas é crucial que Seis estejam cientes do caráter de seus aliados, pois eles têm uma influência tão importante neles.

O compromisso com uma boa pessoa vai longe em ajudar os Seis a serem bons em si mesmos; O compromisso com uma pessoa que traz suas agressões e inseguranças terá efeitos muito ruins sobre eles de fato.

Seis tem medo de serem abandonados e acabarem sozinhos porque, sem pelo menos uma outra pessoa em suas vidas, estariam completamente à mercê da ansiedade.

Outras pessoas colocam limites sobre eles, governando suas flutuações entre ansiedade e sua resposta, agressão.

No entanto, os Seis precisam de alguma tensão na psique para manter seu senso de si mesmo. Ironicamente, Seis interagem com pessoas tanto para controlar a ansiedade quanto estimulá-la.

Mas, é claro, a ansiedade é desagradável e a agressão é perigosa, então os Seis também buscam nos outros para salvá-los das conseqüências de ambos os estados, se eles saem do controle.

Assim, suas psiques apresentam um enigma insolúvel, a menos que os Seis possam encontrar uma maneira de sair completamente dela.

Eles devem aprender que não precisam reagir às pessoas ou depender delas se confiarem em si mesmas.

Seis só conseguirão confiar em si mesmos, se eles aprenderem que eles têm uma fonte silenciosa de orientação interior dentro de si.

E ao confiar na orientação interna, eles encontram a segurança, apoio e direção que eles estavam procurando.

Quer saber mais sobre Eneagrama? Mostre-me onde!

Anúncios

Deixe uma resposta

Powered by WordPress.com. Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: