Anúncios

Eneagrama 4: O Individualista

Este guia visa apresentar a teoria e tipologia do Eneagrama. Os posts serão traduções e adaptações do original, que merece todos os créditos: The Enneagram Institute e os livros de Riso-Hudson

 

Agora temos um Grupo no Facebook

Relação estimada com a Tipologia MBTI

Enea Jungian Functions MBTI Types
Quatro Intuição Introvertida ou Sentimento Introvertido Frequentemente INFJ, INFP, ISFP, ENFP
Esporadicamente ENFJ, INTJ, ESFP, ISFJ
Raramente ISTJ, ENTP, ESFJ, ENTJ, INTP, ISTP, ESTP, ESTJ

Tipo Quatro: O Individualista

Saudável

Autoconsciente, introspectivo, envolvido na “busca por si mesmo”, consciente de sentimentos e impulsos internos. Sensível e intuitivo tanto para si mesmo como para os outros: gentil, discreto, compassivo.

Altamente pessoal, individualista, fiel aos seus sentimentos. Auto-revelador, emocionalmente honesto, humano. Visão irônica do eu e da vida: pode ser sério e engraçado, vulnerável e emocionalmente forte.

No seu melhor: Profundamente criativo, expressando o pessoal e o universal, possivelmente em uma obra de arte. Inspirado, auto-renovador e regenerador capaz de transformar todas as suas experiências em algo valioso: redentor e auto-criativo.

Mediano

Leva uma orientação artística e romântica da vida, criando um ambiente belo e estético para cultivar e prolongar os sentimentos pessoais. Aumenta a realidade através da fantasia, sentimentos apaixonados e da imaginação.

Busca de um parceiro idealizado. Para manter contato com os sentimentos, eles interiorizam e personalizam as coisas, tornando-se auto-absorvidos, hipersensíveis, tímidos e autoconscientes. Temperamental, eles “se fazem de difíceis” para testar o interesse alheio.

Sentem que eles são diferentes dos outros e, portanto, estão isentos de viver como todos os outros fazem, até que suas necessidades emocionais sejam atendidas. Tornam-se melancólicos e sonhadores, desdenhosos, decadentes e sensuais, vivendo em um mundo de fantasia.

A auto-piedade e inveja dos outros leva à auto-indulgência. Tornam-se cada vez mais não práticos, improdutivos e pretensiosos, ainda assim, à espera de um salvador.

Não saudável

Quando os sonhos falham, tornam-se auto-inibidores e irritadiços, deprimidos e alienados de si mesmos e dos outros, bloqueados e emocionalmente paralisados. Envergonhados de si mesmo, cansados e incapazes de funcionar.

Mantem-se retirados para proteger sua auto-imagem e para ganhar tempo para resolver os sentimentos. Atormentado pelo auto-desprendimento, delirante, auto-crítico, auto-ódio e pensamentos mórbidos: tudo sobre eles se torna uma fonte de tormento.

Culpam os outros, afastam quem tenta ajudá-los. Desespero, e se torna autodestrutivo, possivelmente abusando de álcool ou drogas para escapar. No extremo: uma quebra emocional  total ou provável suicídio.

Principais Motivações

Querem ser eles mesmos, expressar-se em algo bonito, encontrar o parceiro ideal, retirar-se para proteger seus sentimentos, cuidar de necessidades emocionais antes de atender a qualquer outra coisa.

Uma visão geral dos Quatros

A natureza da criatividade provavelmente sempre permanecerá misteriosa porque sua base é irracional – nos sentimentos e inconsciente, daqueles que criam – e porque, como observa Winnicott, parte do motivo de criação é permanecer escondido, ser destituído dos outros.

No entanto, os motivos dados para o trabalho artístico – para se comunicar ou ocultar o Ser – são apenas dois possíveis motivos que qualquer pessoa pode ter para criar. Esses dois motivos são, no entanto, particularmente apropriados para os Quatros, o temperamento artístico entre os tipos de personalidade.

Claro, os membros de qualquer outro tipo de personalidade podem se tornar artistas no sentido de ganhar a vida assim, ao produzir obras de arte, no entanto, os Quatros tem além dessas, outras motivações.

No entanto, Quatros estão em busca de suas identidades e, ao ter uma orientação artística ou pelo menos estética para a vida, eles esperam descobrir quem são e o que é sobre si mesmo é significativo. Na tríade do sentimento, o Quatro é o tipo de personalidade que enfatiza o mundo subjetivo dos sentimentos, na criatividade e no individualismo, na introversão e na auto-absorção e no auto-tormento e no auto-ódio.

Neste tipo de personalidade, vemos artistas criativos, estetas românticos e sonhadores retirados, pessoas com sentimentos poderosos que se sentem diferentes dos outros porque a autoconsciência bloqueia-os de saírem de si mesmos.

Quatros são os mais conscientes dos tipos, e esta é a base do que é mais positivo e negativo sobre eles. O conflito constante que vemos em Quatros é entre a necessidade de estarem cientes de si mesmos, para que eles possam encontrarem-se e, ao mesmo tempo, sua necessidade de ultrapassar a autoconsciência, para que eles não fiquem presos na autoconsciência.

A tensão entre autoconciência e auto-transcendência pode ser resolvida na criatividade. No momento criativo, os Quatros saudáveis ​​aproveitam suas emoções sem se perderem, não só produzindo algo bonito, mas descobrindo quem são. No momento da inspiração são, paradoxalmente, tanto si mesmos, quanto o mundo externo, através da sua criação.

É por isso que todas as formas de criatividade são tão valorizadas por Quatros e por que, em seu estado inspirado, a criatividade é tão difícil de sustentar. Quatros só podem ser inspirados se eles se tenham transcendido pela primeira vez, algo que é extremamente ameaçador para a auto-imagem. Em certo sentido, então, apenas aprendendo a não procurar por eles mesmos, eles se encontrarão, e se renovarão no processo.

O problema com os Quatros medianos, no entanto, é que eles tentam entender-se introspectivamente sobre seus sentimentos. À medida que se movem para dentro em busca de si mesmos, eles se tornam tão conscientes de seus estados emocionais subjetivos, que esses sentimentos se tornam a realidade dominante para eles.

E, apesar dos Quatros medianos estarem tão envolvidos com suas emoções, eles geralmente não expressam seus sentimentos diretamente. Em vez disso, eles comunicam seus sentimentos indiretamente e simbolicamente. A direção geral de sua atenção, portanto, é interna, para aumentar a auto-absorção, porque Quatros sentem que eles são diferentes de outras pessoas e eles querem saber por que eles se sentem dessa maneira.

Ironicamente, no entanto, eles tentam encontrar seu lugar na vida, retirando-se dela para que eles possam mapear o labirinto de suas emoções. Mas o resultado de sua retirada é que mesmo os Quatros medianos têm dificuldades notáveis ​​para lidar com a vida, enquanto os Quatros não saudáveis ​​têm algumas das dificuldades emocionais mais severas de todos os tipos de personalidade.

Quatros tendem a agravar suas dificuldades emocionais de algumas maneiras impressionantes. Como Quatros se identificam com seus sentimentos, eles começaram a procurar a intensidade do sentimento em todas as suas atividades. Quanto mais intensamente sentem, mais real se sentem.

Assim, os Quatros medianos começam a empregar sua imaginação para “estimular” sua vida emocional. Essa estimulação pode levar, até num encontro rápido com uma pessoa qualquer, na concentração posterior nela, por horas para extrair todo o “suco emocional” daquela situação vivida.

O problema é que torna-se difícil para os Quatros sustentar seus estados de espírito e fantasias se eles ainda estão interagindo com os outros ou cuidando de necessidades práticas. Seus estados de sentimento e auto-imagem tornam-se raros até certo ponto que a realidade não suportará o quão diferente eles se tornaram da norma social.

Cada vez mais, eles começam a se retirar da vida e de relacionamentos e experiências reais, tanto para impedir que os outros interfiram com seus fortes devaneios e estados de espírito, como para evitar o constrangimento e a humilhação. Eventualmente, eles apenas interagem com as poucas pessoas que apoiam suas identidades e necessidades emocionais.

Enquanto eles desenham as cortinas e se afastam da vida, no entanto, elas se separam da fonte de seus sentimentos e de sua participação de criatividade no mundo. Em Quatros saudáveis, no entanto, a vida rica do inconsciente torna-se acessível e dá forma à sua arte. Mais do que qualquer outro tipo de personalidade, os Quatros saudáveis ​​são a ponte entre o espiritual e o animal na natureza humana, porque eles são tão conscientes desses dois lados em si mesmos.

Eles sentem em si mesmos as profundezas a que os seres humanos podem descer, bem como as alturas para as quais podem ser elevados. Nenhum outro tipo de personalidade é tão habitualmente consciente dos potenciais e dos fraquezas da natureza humana: os seres humanos são animais espirituais que ocupam um lugar desconfortável entre duas ordens de existência.

Quatros sentem ambos os lados de suas naturezas potencialmente conflitantes, e eles sofrerão intensamente ou estarão extasiados por causa deles. É por isso que, na melhor das hipóteses, os Quatros saudáveis ​​criam algo que pode tocar os outros profundamente, porque eles conseguiram entrar em contato com as profundidades ocultas da natureza humana, mergulhando profundamente na sua.

Ao fazê-lo, eles se transcendem e são capazes de descobrir algo universal sobre a natureza humana, fundindo conflitos pessoais e sentimentos divergentes na arte. Mas, como todos os outros, a maioria dos Quatros não vive no auge de seu potencial. Em resposta à ansiedade, eles se voltam para dentro, tornando-se auto-conscientes, particularmente sobre a negatividade que eles descobrem em si mesmos.

Para compensar seus sentimentos negativos, eles usam sua imaginação para tornar suas vidas mais suportáveis. Como resultado, os Quatros medianos começam a se retirar da vida comum. Eles se tornam auto-absorvidos e não aprendem a se relacionar com as pessoas ou a como administrar no mundo prático.

Eles se sentem como pessoas de fora, de alguma forma falhas e diferentes dos outros, incapazes de romper a barreira da autoconsciência que as separa da relação fácil com o mundo. E se eles são insalubres, seus sentimentos negativos se alimentam porque o Quatro se fechou de qualquer outra influência.

Os Quatros não saudáveis ​​estão tão completamente alienados dos outros, e ironicamente, até mesmo de si mesmos, que desesperadamente procuram encontrar uma maneira de sair da sua autoconsciência insatisfatória. Eles percebem que sua busca pelo eu os levou a um mundo de fantasias inúteis e ilusões.

Compreendendo muito claramente o que eles fizeram, e temendo que seja tarde demais para fazer algo a respeito, Quatros não saudáveis ​​odeiam e atormentam-se, voltando contra si mesmos para destruir o que eles se tornaram.

Esses Quatro problemas com identidade dificilmente transcendem a autoconsciência porque apenas o inverso é o que eles querem: tornarem-se mais conscientes de seus estados e sentimentos para que possam encontrar-sem e chegar a um senso de identidade firme.

Mas à medida que se tornam mais conscientes de si mesmos, Quatros torna-se cada vez mais atraídos por sentimentos não resolvidos, contraditórios e irracionais que eles querem resolver antes de se atreverem a expressá-los. A auto-descoberta é um motivo extremamente importante para os Quatros porque eles nunca sentem que seu senso de si mesmo é forte o suficiente para sustentar suas identidades, especialmente se eles precisam se afirmar.

Como seus sentimentos mudam tão facilmente, seu senso de identidade não é sólido, confiável, acaba não estando sob seu controle. Eles se sentem indefinidos e incertos sobre si mesmos, como se fossem uma nuvem de chuva que pudesse produzir algo de grande poder ou simplesmente se dissipar numa brisa.

Quatros nunca podem dizer como o próximo momento irá afetá-los, por isso é difícil para eles contar com eles mesmos. Algo está faltando em si mesmo, algo que eles não conseguem saber o que é, mas que eles sentem que não têm, no entanto. A dificuldade é que os Quatros medianos podem não saber quais são seus sentimentos até depois de expressá-los pessoalmente, verbalmente ou artisticamente.

Mas se eles expressam tudo o que sentem, eles temem que eles possam revelar demais, expondo-se a vergonha ou castigo. Por outro lado, ao não expressar seus sentimentos, os Quatros medianos minam a possibilidade de se descobrir num movimento circular sem fim.

Tornam-se conscientes de serem conscientes de si mesmos – a consciência deles está cheia de pouco mais do que fantasias e memórias, levando em última instância á ilusões, arrependimentos e uma vida desperdiçada. À medida que Quatros se tornam mais temerosos de que eles não conseguem encontrar uma identidade sólida em si mesmos, eles começam a criar uma identidade à partir das tendências aleatórias que acham.

Assim, questões de gosto e desgostos e reações emocionais tornam-se os materiais que os Quatros usam para construir uma identidade. Por que seu senso de si mesmo é tão tênue, no entanto, que começam a colocar um grande peso sobre o que seria para outras características relativamente sem importância. (“Eu só uso preto”. “Eu escuto música clássica, nunca country e ocidental.”)

É importante notar que a maioria desses traços pessoais funciona por negação. Talvez Quatros possam não saber quem são, mas eles certamente acreditam que eles sabem quem eles não são. Embora essas idiossincrasias possam ser bastante inofensivas por si mesmas, como Quatros dependem cada vez mais delas para descobrir quem são, começam a se fechar em um canto.

No interesse de manter uma auto-imagem estreitamente definida, eles podem se recusar a se envolver em muitas atividades básicas necessárias para viver suas vidas. (“Eu sou um poeta. Não consigo trabalhar em um escritório”). Quatros mantêm seu senso de identidade através de um contínuo diálogo interno e referência de suas reações emocionais.

Claro, os Quatros querem que alguém valide suas auto-imagens, também, mas são menos dependentes da afirmação de outros que Dois ou Três. Na verdade, grande parte da sua identidade está ligada a seus sentimentos por não ter a afirmação dos outros. Sentir-se diferente e incompreendido é tão central para a auto-imagem dos Quatros, como ser apenas bom e amoroso é para os Dois ou ser um “vencedor” totalmente competente é para os Três.

Problemas com Hostilidade e Desespero

Como o Dois e o Três, os outros dois tipos de personalidade da Tríade de Sentimento, Quatros tem um problema com a hostilidade. Eles dirigem sua hostilidade à si mesmos porque, como Dois e Três, Quatros rejeitou seu verdadeiro eu em favor de uma auto-imagem idealizada.

No entanto, devido à sua autoconsciência, Quatros estão sempre se tornando consciente de todas as formas em que eles não são como seu eu idealizado. Eles vêm desdenhar muitas de suas qualidades reais, que eles vêem como barreiras para se tornar o ego criado pela sua imaginação. Com raiva de si mesmos por serem defeituosos, Quatros inibem-se e se punem de várias maneiras, como veremos.

Claro, Quatros também experimentam hostilidade em relação aos outros como os dois tipos da tríade. Eles podem ficar enfurecidos se outros parecem questionar ou ignorar sua auto-imagem ou estados emocionais, mas eles tendem a expressar isso “deixando as pessoas de lado”, de repente e sem explicação, já que para ele a ausência de quem gostamos, é o pior dos castigos.

A criatividade de Quatros também pode ser empregada em observações sarcásticas ou maldosas dirigidas àqueles que feriram suas “sensibilidades”. Quatros também podem sofrer intensa hostilidade com as pessoas que idealizaram. Quando outros deixam de corresponder às esperanças dos Quatros, de serem o “bom pai” que lhes faltou na infância, eles podem reviver a dor original que sentiram ao não poderem se conectar com seus pais e projetar isso no novo interesse amoroso.

Eles podem expressar dramaticamente a raiva e a emoção que eles não conseguiram com seus próprios pais, mas geralmente se retiram rapidamente antes que a intensidade de seus sentimentos os ameie ou prejudique seus relacionamentos. Mais frequentemente, Quatros vão “ferver” ou “remoer” em silêncio. Em um nível profundo e inconsciente, Quatros são hostis em relação a seus pais porque eles sentem que seus pais não os cultivaram adequadamente.

Quatros sentem que eles não foram bem-vindos ao mundo; Eles se sentem fora de lugar, indesejados – e eles estão profundamente enfurecidos com seus pais por fazerem isso com eles. No entanto, sua raiva com seus pais é tão profunda que Quatros não se permitem expressar. Eles temem sua própria raiva e, portanto, negam isso, tentando concordar consigo mesmos.

Embora alguns dos tipos possam sentir o mesmo grau de raiva de seus pais, os Quatros tendem a ter mais dificuldade em continuar com suas vidas, porque eles se debruçam sobre essas feridas antigas. Em um nível sutil, Quatros não quer soltar sua dor, que outros lhes causaram, para que especialmente os pais, não percebam o quanto eles sofreram.

Como a consciência de sua hostilidade e sentimentos negativos gradualmente os desgasta, no entanto, os Quatros medianos indo em direção aos não saudáveis ​​afundam cada vez mais em dúvidas, depressão e desespero. Eles passam a maior parte do tempo procurando a coragem de continuar vivendo, apesar do sentimento irresistível de que a falha essencial em si é tão profunda que não pode ser curada.

Na verdade, o sentimento de desesperança é exatamente a correnteza com a qual eles devem constantemente nadar contra. E se a profundidade e força da desesperança fo muito forte, os Quatros não saudáveis ​​sucumbem a uma quebra emocional ou se suicidam, porque desesperam-se para se libertarem de si mesmos, e o suicídio é a única forma de escapar de nós mesmos.

Assim que Quatros se dedicam a uma busca de si mesmo, retirando-se da vida, eles estão indo na direção errada. Não importa quão necessária essa pesquisa possa parecer à eles, eles devem se convencer de que a busca direta de si mesmo é uma tentação que eventualmente leva ao desespero.

Por outro lado, o que torna os Quatros saudáveis ​​não é que eles se libertaram de uma vez por todas da turbulência de suas emoções, mas que encontraram uma maneira de transportar essa corrente para algum outro destino. Quatros saudáveis ​​aprenderam a sustentar suas identidades sem uma referência exclusiva aos seus sentimentos.

Ao superar a tentação de se retirar da vida para procurar por eles mesmos, eles não só se salvarão de sua própria destrutividade, eles serão capazes de trazer algo bonito e bom para a existência. Se eles aprendem a viver dessa maneira, Quatros podem estar entre os mais vitais dos tipos de personalidade, trazendo aos outros, o real significado do bem e do mal, da esperança e do desesperança, do significado do absurdo e a salvação do que pareceu estar perdido.

A dinâmica dos Quatro

 A Direção da Desintegração

Os Quatros vão para o Dois em sua direção de desintegração.

Começando no Nível 4 de desenvolvimento, Quatros sob estresse começarão a exibir muitas das qualidades dos Dois medianos à pouco saudáveis. Embora eles geralmente sejam retirados das pessoas, os Quatros medianos sempre quiseram e precisaram de pessoas, e sua mudança como os Dois, é um reconhecimento irônico e não intencional disso.

Quatros são atraídos para o Dois porque eles precisam superar sua alienação de si mesmos e outros, encontrando alguém que os amará. Ao fazê-lo, Quatros esperam que, com o tempo, possam se amar e realizar o bem que está neles. No Nível 4, Quatros gastam uma grande quantidade de tempo em fantasias românticas sobre si e sobre outros.

Eles não são retirados, mas estão mais focados em sua imaginação do que em pessoas e eventos reais. Eles sentem o estresse quando outros tentam se envolver com eles de forma mais direta e, geralmente, respondem com uma reação ligeiramente forçada.

Relacionamentos, reais ou potenciais, também se tornam uma importante fonte de estresse para Quatros , e eles pensam sobre eles com freqüência. Como os Dois medianos, os Quatros querem ter certeza de que o relacionamento está funcionando, que a outra pessoa gosta deles, então eles freqüentemente falam sobre o quanto eles se importam com o outro e lembram-lhe de como é significativo o relacionamento deles.

No Nível 5, os Quatros são altamente absorvidos e têm dificuldade em relação aos outros por causa de sua autoconsciência. Eles se concentram em seus sentimentos e fantasias e têm problemas para manter o interesse de outros, exceto na medida em que eles podem querer falar sobre seus problemas e desejos.

Isso faz com que outros evitem Quatros , o que inevitavelmente produz estresse e medos de abandono. Então os Quatros respondem revirando e invadindo a vida de outros como os Dois medianos. Eles se tornam apegados e possessivos às pessoas com quem eles ainda se sentem confortáveis ​​e que estão dispostos a apoiar as fantasias dos Quatros.

Eles começam a encontrar maneiras de “ser necessário” e não gostam de deixar as pessoas com quem eles se preocupam por muito tempo.

No nível 6 de desenvolvimento, a auto-indulgência e a isenção estarão lhes consumindo muito, e Quatros logo percebe que eles precisam de apoio, especialmente apoio financeiro, para continuar seu estilo de vida “artístico” e procurar por si mesmo.

As ansiedades sobre o dinheiro “começam a aparecer pelas ranhuras” e fazem com que eles exagerem sua importância nas vidas dos outros. Quatros nesta fase são tão auto-absorvidos que o menor gesto ou presente que eles oferecem pode ser um grande ato de generosidade.

Na verdade, Quatros talvez não tenham sido particularmente generosos, mas eles querem lembrar os outros de quaisquer atos de bondade que tenham feito como forma de desencorajá-los a ir embora. Neste nível, Quatros ficam obcecados por receber reconhecimento pelos serviços prestados ou apenas pelo “prazer único” do mérito.

Eles querem que os outros os respeitem como talentosos e desconhecidos, enquanto a realidade é que eles estão apenas sonhando suas vidas, dissipando-se na sensualidade ociosa.

No Nível 7, os Quatros não saudáveis ​​estarão muito deprimidos e cansados ​​para cuidar de si mesmos, muito menos manter um emprego. Eles são cada vez mais dependentes da boa vontade dos outros, mas podem ser extremamente difíceis de lidar por causa de seus profundos sentimentos de ressentimento e raiva.

Perder os outros neste momento é realmente terrível para eles – sem o apoio de seus amigos e parentes que os ajudam, Quatros temem que eles estariam na rua, destituídos. Assim, na mudança em direção ao Dois, eles começam a manipular os outros, jogando com culpa e minando a confiança dos outros para manter suas “linhas de suprimento” fluindo.

Este problema só contribui para as auto-reprovações e ressentimentos dos Quatros, porque muitas vezes são deixados no cuidado de pessoas que querem se afastar de suas famílias. Conseqüentemente, eles nunca mais desejam ter um relacionamento maravilhoso com alguém que os entenderá, que será paciente com eles e os salve de seus problemas.

Infelizmente, no entanto, os Quatros neuróticos são quase completamente incapazes de entrar e manter um relacionamento genuíno com qualquer um. No nível 8, Quatros não saudáveis ​​são atormentados pelo seu auto-ódio e morbidez delirante. Quando atingem o limite deles, eles podem ir em direção ao Dois e romper suas auto-inibições sufocantes, que suprimiam sua raiva reprimida e impulsos sexuais.

Eles sentem que sofreram o tempo suficiente e, portanto, têm o direito de obter suas necessidades atendidas pels outros. Eles podem fazer uma compulsão de drogas ou álcool ou procurar consolo na sexualidade compulsiva. Além disso, eles podem perseguir uma pessoa que se tornou o objeto de suas obsessões sexuais ou, se tiverem meios para fazê-lo, se aproveitar das pessoas mais indefesas do que elas.

A fúria dos outros também pode explodir, fazendo com que eles ataquem fisicamente pessoas que sentem que são responsáveis ​​por sua condição miserável. No Nível 9, quando os Quatros neuróticos vão para o Dois, eles podem ter algum tipo de colapso nervoso e se retrair completamente em seu mundo de imaginação.

Eliciando a piedade dos outros, em substituição pelo genuíno sentimento de ser amado. Eles também podem estar sem recursos financeiros e, portanto, precisam viver de outra pessoa no que é pouco mais do que uma existência parasitária e uma extensão do sentimento de isenção que já vimos.

Além disso, uma vez que eles estão quebrados por dentro, os Quatros deteriorados também se sentem isentos de terem expectativas sobre eles, mesmo a expectativa de que eles funcionem bem. Ironicamente, Quatros no Dois provavelmente começarão a odiar a própria pessoa de quem eles se tornaram dependentes, já que sua dependência é um constante lembrete de seus defeitos e falta de auto-estima.

Os conflitos aumentarão à medida que Quatros alternam entre intensos sentimentos de agressão em relação a si mesmos e agressão em relação ao outro. Outros, sem dúvida, também ficarão furiosos com Quatros deteriorados porque muitos dos seus problemas foram causados ​​ou muito exacerbados por suas próprias ações.

Quatros, portanto, provavelmente destruirá a própria relação em que tão desesperadamente dependem. O prognóstico para os Quatros deteriorados é sombrio: se eles não recebem ajuda profissional adequada, eles podem acabar ficando loucos, cometer suicídio ou ambos.

 A Direção de Integração

Os Quatros vão em direção ao Um em sua direção de integração.

Quatros saudáveis atualizam-se, concentrando-se em algo objetivo, algo além de seus sentimentos e sua imaginação. Quando Quatros muito saudáveis ​​vão para o Um, eles se mudam do mundo da subjetividade para o mundo da objetividade, da auto-absorção para a ação de princípios.

Eles encontraram a coragem de agir sem referência aos seus sentimentos e, assim, liberaram-se do implacável puxão da auto-absorção. Eles não são mais controlados por seus sentimentos, mas por suas convicções, atuando com princípios e não por “vontades”.

Como seres saudáveis, Quatros integrados são pessoas de ação, mobilizando suas energias ao serviço de algo além do seu interesse pessoal e gratificação emocional. Quatros no Um reconhecem que existem valores aos quais é necessário adotar. Eles voluntariamente se tornam autodisciplinados, trabalhando consistentemente para atualizar seus potenciais para que eles possam contribuir com o mundo.

Ironicamente, os Quatros integrados encontram a liberdade que procuraram ao querer fazer o que precisam fazer em vez de fazer o que “sentem vontade de fazer” em uma busca equivocada por si. Ao serem parte do mundo, eles encontram um contexto para se descobrir.

Além disso, Quatros integrados não perdem contato com seus sentimentos; Em vez disso, seus sentimentos se relacionam com o que está acontecendo na realidade. E uma vez que recebem satisfação da realidade, eles não estarão mais tentados a serem auto-indulgentes, nem pensar em si mesmos como diferentes dos outros.

Em vez disso, a integração do Quatros os submete-se tanto à realidade como aos ditames de consciência, colocando os limites em si mesmos, superando assim a tendência de se isentar de obrigações sociais e morais. Como os saudáveis, Quatros integrados são professores excepcionais, objetivos sobre si mesmos e ainda, porque são Quatros, capazes de trazer as riquezas do mundo subjetivo à luz do dia.

Sua intuição é reforçada por um excelente discernimento, visão pessoal por clareza mental. Finalmente, porque a integração dos Quatros se transcendeu, o que eles criam é objetivo, algo a partir do qual eles podem aprender o que é verdadeiro sobre si mesmos.

Quatros integrados são capazes de contemplar a sua criação, seja uma obra de arte, um ato de bondade ou um relacionamento bem sucedido, não apenas aprendendo quem são, mas dando-se razões para uma auto-estima genuína. Eles aprendem que, na medida em que sua criação é boa, a pessoa que a criou também deve ser boa.

Pensamentos Finais

Olhando para trás em sua deterioração, podemos ver que os Quatros neuróticos fizeram os aspectos piores e mais incapacitantes de sua auto-imagem em toda a verdade de quem eles são. Ironicamente, sua auto-imagem idealizada fica tão fora de contato com a realidade que eles rejeitam muitas das qualidades positivas que eles realmente possuem.

A pena não é que eles tenham sido tão danificados quanto sentem, mas que eles se tornaram profundamente danificados porque se odiaram, e não o contrário. Eles criaram uma profecia auto-realizável e sofrem as consequências disso.

Do nosso ponto de vista atual, também podemos ver que um dos erros mais importantes que Quatros fazem é confundir seu real Ser com seus sentimentos. A falácia é que, para se entenderem, eles devem trabalhar com seus sentimentos, particularmente os negativos, antes de atuar. Quando na verdade precisam trabalhar com o mundo para isso ocorrer.

Quatros não veem que o Eu não é o mesmo que os sentimentos, ou que a presença de sentimentos negativos não impede a presença do bem em si mesmos.

No entanto, à medida que se deterioram, os sentimentos maus expulsam os sentimentos bons, seus sentimentos negativos sobre si mesmos gradualmente eliminam quaisquer positivos que possam ter desenvolvido.

Quatros deve dar um salto de fé que, apesar da falta de um senso claro de si mesmos, eles se descobrirão com toda a certeza agindo positivamente em relação aos outros. Eles devem amar os outros, mesmo que não sintam que eles foram amados adequadamente.

Quando eles amam os outros, Quatros começarão a descobrir quem eles são, e a auto-estima seguirá. Eles também descobrirão que, porque eles podem amar, eles devem ter aprendido a amar em algum lugar. O que lhes foi dado, talvez tenha sido suficiente, afinal.

Quer saber mais sobre Eneagrama? Mostre-me onde!

Anúncios

Deixe uma resposta

Powered by WordPress.com. Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: