Anúncios

INTJ – Dinâmica das Funções

Esse é mais um post traduzido e adaptado na íntegra, então se quiserem ver o original que merece todos os créditos esses são os links abaixo:

  1. Simulatedworld’s Profiles for Extroverted Types
  2. Simulatedworld’s Profiles for Introverted Types

 Não sabe o que é MBTI? GUIA DE ESTUDOS

Agora temos um Grupo no Facebook

 

INTJ: uma análise das funções cognitivas junguianas

INTJ, ou Introvertido Intuitivo de Pensamento e Julgamento, é um rótulo emprestado da nomenclatura MBTI e agora aplicado ao conjunto de Funções Cognitivas Junguianas {Ni, Te, Fi, Se}.

Dominante: Intuição Introvertida (Ni)

“Sinto que a maioria das pessoas ignora muitos passos. Eles estão limitados a estruturas de significado que eu não identifico nem vejo como necessárias ou úteis no processo de desenvolvimento da compreensão. Claro, a capacidade de imaginar novas interpretações e plataformas para entendimento é a coisa mais importante para mim, embora muitas vezes seja difícil convencer os outros a deixar de lado suas próprias perspectivas o suficiente para até mesmo notar o tipo de saltos conceituais que chegam até mim em uma base quase constante.

Eu gosto de resolver problemas, recuando e ajustando os blocos de construção em que toda a questão se baseia: se você não está disposto a fazer isso, inevitavelmente vai perder alguma coisa que possa mudar completamente tudo. E onde você estaria então? Quando você realmente entender algo completamente, as respostas vão saltar para você com tanta clareza que o problema praticamente se resolve. Se isso ainda não aconteceu, então você ainda está perdendo alguma coisa ou olhando o problema do jeito errado “.

Como dominantes de Ni, os INTJs não são estritamente pessoas de “ideias” nem pessoas de “processo”: enquanto as ideias e os processos influenciam fortemente no que fazem, é a síntese entre os dois que realmente caracterizam sua visão única. Como seus primos dominantes Si, os dominantes de Ni estão mais preocupados com a forma como sua própria cognição personaliza a informação e a resume em “mapas” internos de experiências passadas.

A diferença é que, enquanto Si usa dados sensoriais mais precisos e específicos para formular esses mapas (e, portanto, constrói mais conclusões completas ao longo do tempo), Ni prefere intuir o esqueleto estrutural do mapa com base nas experiências passadas junto a outras ideias ou símbolos que são teoricamente relacionados.

Esta é uma vantagem e uma desvantagem, na medida em que o Ni pode, muitas vezes, prever como a impressão pessoal de uma experiência desconhecida será e, assim, explorar um território perceptivo inexplorado perfeitamente na própria mente, porém limitado no nível das precisões sensoriais, internalizando e muitas vezes precisando começar de novo e “re-mapear” os detalhes mais delicados de experiências familiares usando o mesmo modelo de padrão conceitual que usou para chegar lá em primeiro lugar.

Em outras palavras, os INTJs são capazes de ver “pelos cantos” em termos de limitações conceituais da linguagem e dos sistemas de símbolos e seus significados associados. Muitas vezes, eles podem “prever” significados e interpretações que ainda não existem no atual sistema de símbolos disponíveis, mas eles não fazem isso adicionando mais informações ou complexidade.

Pelo contrário: o Ni funciona simplificando problemas complexos em suas partes componentes e revirando lentamente cada um para ver como ele se parece de um ângulo diferente. Às vezes, se você procura por tempo o suficiente e de forma completa o suficiente, há um ângulo que ninguém mais pensou em olhar ou usar ainda.

Os INTJs podem aparecer com idéias e sugestões que parecem transformar completamente a convenção aceita em sua mente – embora essa não seja realmente sua intenção; eles simplesmente reconhecem um problema que precisa ser resolvido e, em seguida, ajustam suas percepções individuais sobre isso até que eles vejam uma maneira de contorná-lo.

Às vezes, isso resulta em uma solução muito típica e convencional; outras vezes não. Conquanto completem a tarefa desejada, isso realmente não importa. Os INTJs nunca sentem que eles realmente podem ter uma noção da real extensão de um problema até serem capazes de parar com as mesmas hipóteses desnecessárias/enganosas que todos fazem sem sequer perceber.

“Voltar ao básico” (ou alguma variação do mesmo) é uma frase que escuto frequentemente quando solicito o conselho de um INTJ, especialmente no que diz respeito a problemas que estou tendo dificuldade em resolver. Eternamente conscientes do problema da interpretação, quanto mais um INTJ explora as muitas facetas de uma determinada ideia, mais descobre que há para saber sobre isso e menos preparado ele se sente para reagir com competência sem dedicar o devido tempo para partir cada nova descoberta em pedaços menores e mais digeríveis.

Quanto mais os INTJs praticam conscientemente esse processo de “quebrá-lo em partes mais simples”, mais eles conseguem visualizar instantaneamente a solução abrangente que eles estão procurando. Muitas vezes, essa solução é muito mais simples do que qualquer um espera: enquanto todos os outros estão ocupados procurando mais maneiras de enfiar um objeto circular em um espaço triangular, o INTJ está tentando conceituar um objeto triangular que ainda não existe.

A única razão pela qual o INTJ “sabe” que ele existe é que a existência de um espaço triangular implica conceitualmente que deveria ser possível – mesmo que não esteja no “mapa” que a maioria das pessoas está usando agora.

Auxiliar: Pensamento Extrovertido (Te)

O problema, no entanto, com o uso exclusivo de Ni, é que ele concede ao INTJ toda a profundidade perceptiva no mundo, mas sem amplitude de aplicabilidade para conectar suas idéias a qualquer contexto externo mensurável ou útil.

Entramos em Te: é vital para Pi dominantes (IxxJ) desenvolver fluência em uma linguagem objetivamente demonstrável pela qual eles possam estruturar, prever e avaliar a forma como o mundo em torno deles se comporta (ou, pelo menos, no entanto, parece se comportar de acordo com a compreensão humana coletiva.) INTJs percebem que, em última análise, toda “objetividade” no sentido mais absoluto é impossível;

No entanto, uma vez que nossas percepções são tudo o que temos para prosseguir, podemos também concordar com alguns padrões para quantificar e medir os fenômenos externos, de modo que, pelo menos, tenhamos algum tipo de terreno comum para avançar em direção a objetivos significativos.

É por isso que tantos INTJs acham trabalho e prazer nas ciências: o método científico fornece uma medida objetiva de qualquer fenômeno dado que possa ser obtido realisticamente, e é amplamente creditado e suportado por praticamente todas as pessoas que a maioria dos INTJs considera inteligentes e que valem a pena ser ouvidas. Ele funciona consistentemente para todos em todos os tipos de contextos diferentes, e os especialistas concordam que é o método mais eficiente = o sonho de Te.

Quando se trata de estrutura lógica, a Te acredita firmemente em estar de acordo com um padrão consistente de avaliação: precisamos de um padrão que possa provar quantitativamente e empiricamente que o que os especialistas concordam faz sentido lógico em termos de organização categórica.

Para INTJs, a profundidade de análise é melhorada através da iNtuição na forma de Ni – tentar aplicar profundidade ao processo de organização estruturada é um esforço infrutífero, porque o objetivo fundamental da lógica é se aplicar à mais ampla gama possível de diferentes contextos da mesmo maneira padronizada e consistentemente previsível. Assim, do ponto de vista de Te, a “lógica” individualizada ou subjetiva não é útil nem consistente com o propósito da própria lógica.

À medida que o INTJ desenvolve Te, ele se encontra cada vez mais capaz de delegar tarefas e transformar suas visões extraordinárias em projetos e processos reais que geram progresso mensurável em um cronograma realista.

Ele aprende a coordenar as diferentes disciplinas e processos necessários para atingir seus objetivos, e se sente naturalmente capaz ao quebrar processos maiores em tarefas suficientemente pequenas para que todo o projeto se torne uma realidade gerenciável. Este objetivo vital contribui para o permanente caso de amor de Te com os conceitos de independência pessoal e responsabilidade.

Os TJs querem mostrar que são capazes de gerenciar recursos de forma inteligente e eficiente, e que eles podem ficar de pé e dizer com honestidade que dependem apenas de si mesmos para sustento e apoio.  A sociedade é, para Te, um grande sistema de relações lógicas inter-relacionadas, e o sistema não funcionará corretamente, a menos que cada membro seja definitivamente responsável por si mesmo. TJs odeiam ser dependentes ou subservientes dos outros, e eles se orgulham de sua capacidade de gerar mais recursos do que eles consomem.

É de suma importância para a Te considerar as limitações sobre os recursos disponíveis e garantir que sejam distribuídos da maneira mais eficiente possível. Os INTJs geralmente se destacam nas posições de gerenciamento, onde são livres para visualizar condições de trabalho idealmente eficientes e projetar, melhorar ou ajustar processos e metodologias do mundo real em conformidade.

Quando eles se comprometem com um projeto – o que eles não farão, a menos que eles realmente considerem que vale a pena ou precisem do dinheiro – eles se empolgarão para cumprir seus acordos, na medida do possível, dentro das limitações dos recursos disponibilizados.

Eles mantêm-se em elevados padrões a este respeito, pois, se não respeitarem os padrões pelos quais Te governa as relações estruturais entre entidades do mundo externo (ou seja, leis, procedimentos, regras, medidas, padrões quantitativos), eles estão muito conscientes de que eles não terão alternativa quando as partes em que trabalharam falharem em manter seus próprios propósitos do acordo.

Ao menos, os INTJs podem ser considerados para completar de forma confiável as tarefas a que eles se prestaram. Esta é uma questão não só de orgulho pessoal, mas também de utilidade prática – se alguém possui uma reputação por ignorar o método Te aceito entre as pessoas com quem ele procura trabalhar, ele pode muito bem encontrar outros indispostos a trabalhar com ele no futuro .

Terciário: Sentimento Introvertido (Fi)

Muitas vezes, é difícil para outros tipos entender por que os INTJs podem parecer tão frios e indiferentes, tão desinteressados ​​em questões interpessoais e desconectados das necessidades e dos sentimentos dos outros.

Na verdade, isso representa um problema substancial para INTJs quando se trata de um dos seus pontos fracos característicos: interação social.  A causa disso pode ser atribuída a alguma combinação de Te (“Envolver-se em pequenas conversas e me importar com os sentimentos das pessoas que eu não gosto não é um uso produtivo do tempo de ninguém, e o tempo é um recurso valioso”) e Fi (“Se eu não gosto realmente ou simpatizo com essa pessoa, não vejo nenhuma razão para eu ter que me conectar emocionalmente com ela se eu não quiser. “)

Frequentemente, as expectativas culturais que sugerem aos INTJs que eles deveriam participar de rituais sociais parecem-lhes imposições  injustas e aleatórias sobre sua liberdade pessoal. Estão oferecendo-lhes uma cortesia que não pediram, e depois castigados quando não retornam o favor. “Se não há lei, nenhuma relação lógica empiricamente padronizada exige que eu faça isso, por que eu deveria ser criticado por não fazer?”, pergunta Te.

E, infelizmente, esta questão não pode realmente ser respondida totalmente nos termos Te. O argumento Te para participar de rituais culturais tende a apontar que, se você pretende satisfazer rituais sem sentido, você criará mais oportunidades para conseguir seus objetivos reais, porque as pessoas irão vê-lo de forma mais favorável e assim estarão mais dispostos a cooperar com seus desejos. E esse é o jeito em que muitos INTJs se convencem a enfrentá-lo.

Mas na verdade, essa é apenas uma solução sem coração que nem sequer começa a sugerir o espectro completo de perspectivas disponíveis para um INTJ bem equilibrado que aprendeu a comandar o Fi terciário. Este é um marco que muitos INTJs demoram muito para aprender a valorizar: Fi permite que julguem e avaliem subjetivamente, de acordo com um padrão individual e pessoal que não se dobrará para as opiniões de ninguém e proporcionará uma bússola moral definitiva conectando-os diretamente ao seu verdadeiro senso de valor e propósito superior.

Para muitos INTJs, a capacidade de julgamento introvertido na forma de Fi terciário fornece o equilíbrio necessário para as avaliações frias e impessoais de Te. Ele concede um senso mais refinado de gosto estético e valor artístico: em vez de meramente medir por números, Fi leva o INTJ a considerar o impacto emocional e moral que a arte e a estética têm sobre ele – ele aprende a simpatizar com a alma do poeta , o pintor, o escritor, o músico. Ele não mais apenas entende conceitualmente; ele se identifica.

Fi concede ao INTJ uma conexão com algo maior do que ele, mais poderoso do que seus objetivos mundanos e aspirações e, em última análise, mais importante em princípio do que a soma de tudo o que ele nunca realizará em sua vida. Conecta-o a um senso de responsabilidade profundamente pessoal para defender o que é bom e justo, decidir por si mesmo vale a pena além do alcance de seus próprios privilégios e benefícios. Em suma, ele permite que ele estabeleça algumas barreiras definitivas em termos de certo e errado.

A incapacidade de fazer isso pode ser um problema substancial para os INTJs que ignoram ou não desenvolvem o Fi. Uma vez que Ni pode ajustar sua interpretação a qualquer coisa que sirva os objetivos, Te considera a despesa eficiente de recursos, a falta de qualquer função de julgamento introvertido substancial pode resultar na justificativa de praticamente qualquer ação ou posição – o Ni dominante é muito consciente de que, conquanto você transfira os pontos de vantagem e enxergue isso da maneira correta, qualquer interpretação pode ser potencialmente justificada. Isso representa um grande problema para a personalidade do INTJ – como um caso em questão, considere o personagem Kurtz no filme Apocalypse Now: Obcecado com a conquista da Guerra do Vietnã a todo custo (seu objetivo Te definido objetivamente), Kurtz procura eliminar totalmente qualquer vestígio da compaixão humana por ele mesmo, acreditando que o único método efetivo para derrotar o Vietcong é vencê-los em seu próprio jogo, deixando-se levar por uma brutalidade desenfreada e eliminando toda e qualquer consideração pela vida humana no processo.

Em suma, ele tenta através do Ni, tirar Fi de sua própria cognição, a fim de cumprir a agenda de Te. Em última análise isso não funciona: depois de todo o horror e derramamento de sangue que ele inflige aos nativos que o cercam, ele ainda tem consciência e ele permite que Willard o mate, sabendo que seu experimento falhou e que ele precisa ser parado para o bem do bem maior.

Quando o Te é pouco desenvolvido, resultando em um chamado “ciclo NiFi”, o INTJ se torna cada vez mais ameaçado pelas pressões de se adequar a qualquer que seja a expectativa ou metodologia exterior.

Ao aceitar ou promover qualquer informação objetiva, o ciclo NiFi do INTJ sente que está comprometendo a pureza da percepção de Ni, expondo-o a uma tendência potencialmente enganadora, e ressente-se das expectativas dos outros para que ele mude o que ele vê como sua identidade moral pessoal ( Fi.) Ele se retirará cada vez mais de todas as formas de interação, convencido de que a única maneira de desenvolver uma compreensão pura e completa é bloquear todas e quaisquer fontes externas de informação. Distanciando-se deliberadamente de cada vínculo com a realidade objetiva, todas as impressões bizarras e irracionais são alimentadas isoladamente (e objetivamente infundadas).

Os julgamentos de valor de Fi colorem as percepções incrivelmente elaboradas de Ni sobre as terríves afrontas invariavelmente escondidas em cada canto. Esse estranho recluso na rua que usa um chapéu de latão 24/7 para impedir que o governo penetre seu cérebro com mensagens secretas, sombrias e nefastas de controle da mente? Provavelmente um ciclo de NiFi INTJ.

Inferior: Sensação Extrovertida (Se)

Vale a pena notar que a percepção introvertida precisa de grandes esforços para limitar a sua percepção a certos tipos específicos de informação com os quais é confortável e familiar, porque a compreensão deste conceito nos ajuda a entender por que a percepção extrovertida (que encoraja a absorver a maior quantidade possível de diferentes variedades de novas informações) gera um obstáculo psicológico tão difícil para os tipos IxxJ.

No caso do INTJ, o Se inferior é forçado a aparecer principalmente durante momentos altamente estressantes, onde é necessário tomar imensas quantidades de novas informações externas, se adaptar e responder em tempo real.

É aí que os IJs mais se debatem: eles estão mais confortáveis quando Pi tem permissão para selecionar o tipo de informação que deseja perceber e depois se concentrar intensamente em absorvê-lo no molde interno para esse tipo de material experimental, que Je consultará então e tomará a decisão quanto à qual metodologia aceita exteriormente será mais eficaz.

No entanto, quando todos os tipos de informações diferentes são lançadas em sua cara ao mesmo tempo, o INTJ deve recorrer ao Se inferior a fim de capturá-las e ter alguma esperança de responder antes que a oportunidade tenha desaparecido. Ele deve agir puramente com impulso imediato sem tempo de reflexão ou consideração; ele é forçada a navegar em um terreno que não só carece de um mapa, mas que ele nem sequer possui modelos relacionados com a experiência para se orientar. Ele deve improvisar.

Quando isso acontece com INTJs, a enorme torrete de informações indiferenciadas acompanhadas do sentimento de perda total de controle gerada pela incapacidade de refletir ou considerar as opções antes de responder é extraordinariamente ameaçadora. Deixado sem nenhuma outra opção, Se inferior leva o INTJ a recorrer aos seus instintos animais mais básicos: luta ou fuga.

Mesmo o INTJ comumente normal, calmo e reservado pode ser propenso a episódios ocasionais de indiscrição total, resultando em extrema indulgência em prazeres sensuais ou raiva absoluta e até mesmo violência física (ou pelo menos ameaças manifestas dos mesmos).

Eu também vi, em mais de uma ocasião, um INTJ comprar símbolos de status caros (carros extravagantes, casas grandes, etc.) com o simples propósito de mostrar o quanto seu trabalho árduo e sua perseverança pagaram em um material imediatamente perceptível, no sentido material.

Em algum nível, os INTJs estão conscientes de que os bens ostentosos são o único idioma que algumas pessoas entenderão – e enquanto eles tendem a considerar este um sistema de valor bastante primitivo, eles estão felizes em se obrigar, ocasionalmente, a gastar dinheiro significativo em coisas boas.

Desta forma, eles podem simultaneamente se entregarem aos desejos inconscientes de Se, enquanto dizem a si mesmos que estão fazendo isso apenas como uma pequena piada privada com eles mesmos, onde Ni pode rir do quanto uma exibição de status e poder tão trivial e superficial pode impactar as percepções das comuns e tolas pessoas à sua volta.

Como Ni dominantes, os INTJs são naturalmente avessos a um foco no significado literal e superficial, porque ameaça a insistência de Ni em definir sua identidade pela capacidade de ver além do óbvio e intuir a interpretação menos óbvia, o significado oculto abaixo da superfície.

Se eles alguma vez aprenderem a comandar Se de uma maneira positiva (o que é algo raro), os INTs aprenderão a discernir situações em que não há um significado subjacente, ou pelo menos em que procurar não é útil nem produtivo. Para um Ni dominante, desligar esse desejo de ver “nas entrelinhas” e concentrar-se exclusivamente no conteúdo sensorial imediato é tão ameaçador quanto desligar visão, audição, toque, sabor e cheiro seria para um Se dominante.

Ele se sente perdido, confuso e terrivelmente sujeito ao mesmo engano das percepções superficiais que sua própria auto-imagem se orgulha de possuir a habilidade natural de discernir e evitar.

No entanto, alguns INTJs eventualmente aprendem a comandar Se de uma maneira útil. Isso confere algum senso do que é popular e imediatamente eficaz em um nível sensorial literal, que muitas vezes se associa ao desejo de Te ser julgado como competente e eficaz para levar INTJs a se orgulhar de suas aparências físicas e ter certeza de que suas roupas, fala e os gostos estéticos estão atualizados e estilosos (e, portanto, não impedem oportunidades de negócios úteis que de outra forma poderiam ter perdido).

Isso lhes proporciona uma apreciação por coisas como elas são em vez de procurar constantemente maneiras de reinterpretá-las como algo mais, e para os prazeres simples na vida – boa comida, arte e entretenimento, intimidade física – de uma forma que pode, com o tempo, descobrir estas coisas como mais puras espiritualmente do que a meta-análise constante a que eles estão acostumados.

Em um INTJ muito bem equilibrado, Se deve reforçar a sensação de atração estética e valor artístico de Fi (“Como essa arte retrata um significado oculto que eu posso analisar?”, Dará lugar a “Como essa obra de arte me faz sentir imediatamente? “), enquanto permite a indulgência ocasional e controlada em diversão pura e despreocupada, sem nenhum motivo mas por seus próprios méritos.

E isso é algo, penso eu, que faria com que muitos INTJs se sentissem muito melhores se pudessem  tirar de seus sistemas de maneira saudável e não destrutiva. Quanto mais cedo tiramos isso do caminho, mais cedo podemos voltar ao trabalho.

Anúncios

Um comentário em “INTJ – Dinâmica das Funções

Adicione o seu

  1. nos intj precisamos ler isso é bastante eficaz e eu uso a função fi é um marco que melhora muito a vida pricipalmente na falha de autoconciencia da função ni dominante

Deixe uma resposta

Powered by WordPress.com. Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: